Translate

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O petróleo é do Brasil

Os cariocas que me perdoem, afinal eu também sou daqui. Também os fluminenses me desculpem, pois, além de tudo, torço pelo tricolor (foi mal o trocadilho).

Mas eu acho muito justa essa redivisão dos royalties do petróleo. O petróleo não é do Rio, do Espírito Santo ou da Bahia. É do Brasil e, portanto, todas as unidades da federação têm o direito de beneficiar-se de seus dividendos.

Ok, estados produtores precisam ter salvaguardas já que estão sujeitos a acidentes. E um acidente com petróleo não é brincadeira. Que o digam os peixes e os pássaros... notadamente os tucanos, que deixaram afundar a P-36, a maior plataforma do mundo, quando tentaram sucatear a Petrobrás para privatizá-la.


Além do mais, quando o petróleo é extraído do mar, a área é da União e não do estado litorâneo.

Não é justo que poucos estados fiquem com a parte do leão, embora a coisa tenha se transformado numa discussão muito mais bairrista do que econômica ou ambiental.

Dizem que o Rio perderá R$ 6 bilhões com a mudança na lei, já aprovada pelo Senado. A imprensa daqui trata a coisa como uma disputa de futebol. "Senado vota contra o Rio" e coisas do gênero.


Aliás, apoiar a redivisão dos royalties é pecado mortal nas redações do Rio. Ai do jornalista que defendê-la. Vai acabar como frentista de posto de gasolina, se tiver sorte...

E, de mais a mais, o que o Rio tem feito com os recursos? Investiu em professores? Em policiais? Em escolas em tempo integral? Se investiu, ainda foi muito pouco, pelo que se vê por aí.

E Campos? E Macaé? Como gastam os milhões do petróleo? Pelo que sei, o grosso vai para a manutenção de currais eleitorais.


Até entendo a campanha que estão fazendo o governador e o prefeito do Rio em favor dos royalties, mas onde está o patriotismo deles? Não são federalistas? Como vão poder se candidatar a presidente tendo pregado privilégios a três estados em detrimento da Nação? Como comungam na missa dominical se não querem dividir o pão?

O petróleo é nosso. Dos brasileiros. E não dos cariocas.

7 comentários:

  1. Não faz muito tempo, quando a molequinha começou a falar asneiras sobre refinaria, e óleo, alguém já levantou a bandeira que assim como qualquer recurso mineral, e o petróleo não deixa de sê-lo, o recurso pertence à União, constitucionalmente falando. A estória da refinaria de Itaboraí é um tiro no pé, qualquer milico ficaria possesso, pois basta UM avião bombardear as duas refinarias e depois seguir para Paulínea, e paralisar a produção de combustíveis em todo sudeste.
    Essa ladainha pelo Rio, é coisa de quem quer estádio, e não escolas, como você bem destacou. Está rolando uma 'apresentação de figuras' na rede, por e-mail, com os quadros de como ficarão os estádios e quanto custará cada um deles, e fotos de escolas. Vale a pena refletir sobre desarmamento do cidadão, reservas estratégicas de petróleo e terras raras, e pouco pão e muito circo... Na Suíça, cada cidadão é um soldado pronto para defender seu território, no Brasil, cada cidadão é um sambista ou torcedor...

    ResponderExcluir
  2. Bem lembrado,o oceano pertence ao Brasil e não apenas aos estados costeiros. Se o Rio de Janeiro vai perder 6 bilhões é porquê recebe essa fortuna mensalmente talvez. Porquê nunca pagou bem aos professores/policiais/profissionais da saúde.
    Mas não se engane, onde quer que se mande tanto dinheiro vai aparecer ladrão. O administrador local vai achar que o dinheiro é dele.
    Sergio

    ResponderExcluir
  3. Moro em Macaé e vejo o desperdício de dinheiro que existe aqui.Sou professora de duas escolas municipais que estão caindo aos pedaços;a periferia não perde em nada para as favelas (sem UPP) do Rio; o trânsito é caótico;não há tratamento de esgoto em nenhum bairro;os ônibus são poucos para atender os trabalhadores.Agora mesmo, foram "plantados" centenas de postes amarelos na orla, que mostram mais uma vez a falta de planejamento com o dinheiro arrecadado.

    ResponderExcluir
  4. Concordo em parte que o lucro do petróleo deva ser dividido, principalmente com os Estados mais pobres, mas porque Minas Gerais não fez essa divisão com o ouro e diamantes que extraiu do seu solo ???
    Paulinho Cury

    ResponderExcluir
  5. É isso mesmo Marcelo, quem falou que é direito exclusivo do Sérgio Cadafi, digo, Moamar Cabral de roubar seis bilhões sozinho? Deixa que essa grana seja roubada irmamente entre os Estados e seus vermes parasitas. Um dia todos nós entnderemos que dinheiro é um pedaço de papel e não se come.
    ZEITGEIST

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de lembrar ao comentarista aí de cima que o auge da exploração aurífera em Minas se deu quando o Brasil ainda era colônia de Portugal, portanto, o ouro não era de província nenhuma e sim da metrópole, que ficava em outro continente.

    ResponderExcluir
  7. "A PM planetária apagou mais um" e "O petróleo é do Brasil", afinamos. De carona com UATU, vale a pena refletir sobre Desarmamento reservas estratégicas de petróleo e terras raras, e pouco pão e muito circo. A Propaganda do Terror reelegeu FHC, Desarmou civis e faz o mesmo com os royalties. Não é sem motivos que o patrocinador do Desarmamento é o país que defende incondicionalmente o direito de posse e compra de armas por seus cidadãos, é também o maior fabricante mundial e fornecedor de armas à NATO. - "Da importância do Terror e da Propaganda na manutenção do Poder e Controle das Massas". All rights reserved, William Blak.

    ResponderExcluir