Translate

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Contratempos de viagem

Numa coisa Brasil e Argentina sao iguais: os taxistas rodam pela cidade fazendo proselitismo político.

Aliás, todo governante esperto de qualquer país, logo que entra, trata de dar um incentivo fiscal para essa categoria, porque assim se livra de que 40 mil motoristas (no caso de Buenos Aires) rodem pela cidade falando mal do governo. Uma caixa de ressonância muito inconveniente.

Geralmente, taxistas sao conservadores. Peguei dois aqui que desancaram a presidente Cristina Kirchner. Chamaram-na de "terrotista" e "montonera". Um deles disse que como mulher é muito bonita, mas como presidente, péssima. Só que o povo vai reelegê-la no mês que vem.

Ainda lembro que, nos anos 80, era impossível pegar um táxi no Rio sem ouvir críticas a Brizola. E, em Sao Paulo, faziam campanha aberta e gratuita para Paulo Maluf e Jânio Quadros...

Bom, se algum de vocês vier a Buenos Aires e achar uma carteira num táxi, guarde para mim, porque ontem deixei a minha no banco traseiro de um deles. E, como tragédia pouca é bobagem, trocaram meu voo, que sairia hoje de manha direto para o Rio por outro que parte 16h30, com escala numa outra cidade daqui. Aerolineas Argentinas...

Vou chegar tarde da noite.

Sem documentos, fui muito bem atendido na delegacia da "policía" e no consulado brasleiro. Me deram um papel timbrado que, se Deus quiser, será aceito nas "imigraciones" pelas quais terei que passar.

Sei que esse papinho de turista deve estar um saco para você, mas estou por fora dos acontecimentos no Brasil.

Soube que a selecao (o c cedilha também sumiu do teclado portenho) deu olé nos argentinos, ontem, por um taxista torcedor do Boca, que riu da próprio infortúnio futebolístico.

Agora, para fazer hora até o embarque, vou visitar um museu que tem quadros do Picasso e do Modigliani. Ontem, no Malba, vi de perto o Abaporu, de Tarsila do Amaral, que foi comprado por um argentino. Estava protegido por um vidro blindado, claro, porque eu poderia querer me vingar das Aerolineas danificando a obra que vale milhoes. Há trabalhos fantásticos lá, principalmente do colombiano Cruz-Diez, que, aos 88 anos, é um artista fantástico.

Vou mostrar muitas imagens da viagem, inclusive das obras artísticas, logo que voltar ao Brasil, algo que, com sorte, espero conseguir antes da meia-noite desta quinta-feira. E com a bagagem intacta.

2 comentários:

  1. Imprevistos acontece, muita energia positiva para você. Quando tiver uma chance dá uma olhada no you tube, o video de ( CALLE 13 " LATINOAMERICA " ) gravado em BOLIVIA, reflete muito o pensamento de esquerda. Um abraço

    Pedro

    ResponderExcluir
  2. Os taxistas geralmente não são apenas reacionários, são também ignorantes, com aquela ignorância arrogante e chata, com opiniões definitivas sobre qualquer assunto, donos de uma "verdade" veiculada por Clarin contra Cristina, do Globo contra o Brizola e do Estadão em favor dos "estadistas" Maluf e Jânio Quadros. Carlos Marques

    ResponderExcluir