Translate

terça-feira, 23 de abril de 2013

Salve-se, Jorge!

Como estamos no Rio de Janeiro, tudo aqui acaba em samba, cerveja e confusão.


Foto: Marcelo Migliaccio



Até uma pretensa celebração religiosa pelo dia de São Jorge. Passando de bicicleta pelo Centro do Rio vazio no feriado, eis que me deparo com o que, pelo vermelho-e-branco dominante na paisagem, parecia um encontro de confraternização entre as torcidas do Internacional, América, CRB, Sergipe e a rapaziada da escola de samba do Salgueiro.


Foto: Marcelo Migliaccio

Olha só o tamanho da fila para entrar na igreja, isso por volta das sete da manhã. Muitos acordaram cedo, outros nem dormiram, viraram a noite ali mesmo, nas barraquinhas.

Foto: Marcelo Migliaccio


Só que na hora de entrar no templo, a fila se transformava num fenomenal empurra-empurra. Todo mundo esquecia a fraternidade e até pisoteava seu semelhante nas barbas do santo guerreiro. Nem dragão levou boa vida...





A emissora oficial dos católicos estava lá, com link ao vivo. Já a dos evangélicos ignorou solenemente o evento.

Foto: Marcelo Migliaccio

Um senhor (parcialmente encoberto na foto abaixo) não conseguiu entrar na igreja e reclamou com os guardas municipais. Disse que chegou às quatro da matina e, na hora H, foi excluído com a família pelos furões de fila. Mal disfarçando o ar de deboche, os GMs disseram que o problema era da PM e não deles. É incrível como os agentes públicos sentem um prazer inconfessável em negar ajuda ao cidadão que, em última análise, paga seus salários.


Foto: Marcelo Migliaccio



O pobre homem foi então até um carro da Polícia Militar, alertando para o tumulto na frente da igreja, mas, assim como os agentes municipais, os estaduais também, como se diz aqui no Rio, "cagaram e andaram" para o velho e sua denúncia.


Foto: Marcelo Migliaccio


Melhor fizeram essas crianças, que, em meio a sapatos e calças brancas e camisas em todos os tons de vermelho, aprontaram uma guerra particular de isopor esfarelado.


Foto: Marcelo Migliaccio



E salve-se quem puder, Jorge!


Foto: Marcelo Migliaccio

9 comentários:

  1. Igreja vazia só para os encontros amorosos do "cara" e da Morena.

    Milagres da Glória. Só que não dá ibope... nem apelando pra Jorge!

    ResponderExcluir
  2. Quando Caetano ainda fazia musica boa e falava menos bobagens, ele chamou o Brasil de "estupida republica catolica". Nada mais adequado, principalmente se considerarmos outras festas religiosas como o Ciro de Nazare ou a festa de Aparecida, que fazem o dia de Sao Jorge parecer brincadeira de crianca.

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca entendi o porque de fogos às 05 da matina. Sera que é falta do que fazer. Ou seja passam a noite bebendo e de manhã não tendo o que fazer vão soltar bombas fortíssimas.
    Sergio.

    ResponderExcluir
  4. Caetano, sempre genial, Interpreta lindamente a oração de São Jorge.
    Embora Agnóstico, respeito as manifastações de fé ao Santo Guerreiro. O barulho dos fogos, desde as cinco da manhã parece-me mais agradável que os estampidos de armas, que continuam ceifando vidas em todas as faixas etárias em todo o mundo, sobretudo, em nosso Rio e SP.
    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
  5. Pouco antes de morrer Dona Cano teve que pedir desculpas publicamente ao ex-presidente Lula, em nome de seu filho Caetano que o havia chamado de analfabeto, em mais um de seus ataques histericos. Hoje, quando Lula acaba de assinar contrato como colunista do New York Times so nos resta dizer: Chupa Caetano, Chupa FHC e Chuuuupa Diogo Mainard.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Alexandre.Olha o que disse o Davis Sena no seu excelente blog Palavra Livre:"Acontece que, para a irritação, o rancor e a intolerância dessa gente medíocre, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre outros afazeres de âmbitos nacionais e internacionais é o novo colunista do The New York Times, considerado o mais importante diário do mundo. O político trabalhista brasileiro vai ser pago. Aliás, bem pago, para a infelicidade e ira dos burgueses e pequenos burgueses de índoles invejosas e perversas. Já vejo os membros da Casa Grande e seus agregados, herdeiros da escravidão, a cortar os pulsos e a lacrimejar lágrimas de crocodilos. É isso aí".

      Com a palavra, então, os ridículos americanizados de plantão...o que dirão???, uma vez que o NYT é a "bíblia" deles e os "istêitis", a (quase) pátria. E diria pútria rsrs.
      Marcos Lùcio

      Excluir
    2. Pegou na feridona deles Marcos, abraco!

      Excluir
  6. Não são só os católicos que festejam São Jorge, a umbanda também, mesmo sendo cassado pela Igreja Católica. Esse sincretismo religioso em torno de São Jorge é muito bom.

    As 5 da manhã, barulho de arma ou de fogos é realmente um inferno no ouvido que quem está dormindo !!

    Nessa época, a Globo sempre faz reportagens sobre balões e diz com tanta ênfase que soltar um é crime, que fico até com medo de olhar um no céu. Pode até ser proibido, mas que é bonito ver um balão é.

    Cury.

    ResponderExcluir
  7. Repassando o que li no blog do Reinaldo, no JB.

    Na Umbanda ele é Ogum, santo guerreiro.

    Mas para os católico ele é um mártir. São Jorge nasceu na Capadócia -- hoje um sofisticado balneário na Turquia -- no ano 280 da nossa era. Vinte anos depois, mudou-se com a mãe (viúva) para a Palestina, vindo a ingressar no exército do imperador romano Diocleciano, que gostava dele e o promoveu a conde.

    Mas Diocleciano começou a implacável perseguição aos cristãos e Jorge se opôs a ele e à corte, defendendo cada vez mais a sua fé em Cristo. O imperador, então, condenou-o às mais terríveis torturas. Mas Jorge consegiu sobreviver às lanças dos soldados, permaneceu firme sob o peso de uma imensa pedra e "fez o milagre" de resistir às navalhadas que recebeu, assim como ao calor de uma fornalha de cal. O imperador, enlouquecido de ódio, mandou então decapitá-lo em 23 de abril do ano 303 DC.

    Morreu o corpo, mas nasceu a lenda.

    E o culto a São Jorge se espalhou pelo Oriente e pelo Ocidente. São Jorge é o santo patrono da Inglaterra, Portugal, Geórgia, Catalunha, Lituânia, da cidade de Moscou e, extra-oficialmente, da cidade do Rio de Janeiro (título oficialmente atribuído a São Sebastião).

    A bandeira inglesa, (não do Reino Unido, só a da Inglaterra), por exemplo, é composta por uma cruz vermelha sobre um fundo branco. A cruz vermelha representa São Jorge, o patrono da Inglaterra. De acordo com a lenda, São Jorge lutou e matou o dragão para salvar uma princesa. Após matar o animal mitológico, São Jorge fez uma cruz em seu escudo com o sangue do dragão.



    Além de ser padroeiro dos escoteiros. E do Coríntias!

    Sua figura demonstra garra, força e luta. Tornou-se o padroeiro da guerra e da tecnologia, simbolizando todo aquele que trabalha nas linhas de frente, abrindo novos caminhos e alargando fronteiras mas, ao mesmo tempo, protege seus filhos e guarda a sua (nossa) casa.

    E a espada-de-são-jorge? Por causa de suas folhas pontudas é associada ao poder de cortar as energias negativas, a inveja, olho-grande, magia e maus-olhados em geral. Aguns dizem que espanta os maus espíritos, além de atrair coragem e prosperidade.
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir