Translate

terça-feira, 16 de abril de 2013

Pagando a conta com a vida

Até quando os norte-americanos vão sofrer por causa da política externa adotada por seus governantes há décadas?

Talvez pelo mesmo período de tempo que os brasileiros penarão por conta dos governantes, deputados e senadores que, salvo honrosas exceções, elegeram e elegem desde a proclamação da República.

Ou seja: a culpa, nesse caso, é de quem sofre, porque os americanos é que legitimam seus mandatários arrogantes, assim como nós fazemos com nossos legisladores incompetentes e corruptos.

As bombas na maratona de Boston, que vitimaram homens, mulheres e crianças reunidos num dia festivo, certamente não explodiriam se os Estados Unidos abrisse mão da posição de polícia planetária que vêm assumindo. Curiosamente, são eles mesmos que se dizem os guardiões das liberdades dos povos. Liberdade desde que rezem pela sua cartilha?

E, para os que precisam de tudo dito com todas as letras, friso que não estou justificando nem muito menos defendendo barbáries como a de Boston ou das Torres gêmeas, mas quem semeia rancor e ressentimento não pode esperar colher flores.

Lembram-se do Vietnã? Os vietnamitas certamente ainda se lembram. E as mães e pais dos americanos que morreram do outro lado do mundo a troco de nada também.

Tensão entre as Coréias? Lá vão os porta-aviões dos EUA fazer manobras do outro lado do mundo.

Conflitos entre judeus e palestinos? Lá estão, firmes, os americanos a apoiar Israel incondicionalmente, ignorando a fome a sede a opressão que assola as famílias palestinas.

Cuba optou pelo comunismo? Eis os filhos do Tio Sam a liderarem um boicote comercial desumano na esperança de que o regime de Fidel Castro seja derrubado por um povo que vive em privações. E até que está demorando...

Ocupar o Iraque? Isso é coisa de criança. Colocaram uma UPP gigante lá depois de forçar o ditador Saddam Russein a se esconder num buraco de rato.

Na Líbia, o esquadrão da morte correu para eliminar Muamar Kadafi sem direito a julgamento.

Na América do Sul, financiaram e sustentaram ditaduras por muitos anos. Sorte deles que no cone sul o povo em geral é mais pacífico, ou apático...

Só não se metem com os desmandos de Vladmir Putin na Rússia, nem com a potência chinesa porque ali o buraco é bem mais embaixo...

Que se dane a soberania afegã se uma força tarefa pode violar suas fronteiras para caçar Bin Laden.

E, assim, árabes de todos os matizes continuam alimentando seu ódio.

Bushs e Bushs depois, Reagans e Reagans depois, os cidadãos americanos continuam pagando a conta da prepotência republicana e da fraqueza democrata. Ambas as correntes seguem, aliás, legitimadas pelos votos de muitos dos que ontem voaram pelos ares em mais um espetáculo de selvageria humana transmitido via satélite para o mundo assistir.

É por isso que hoje todos os americanos é que deveriam sair às ruas e gritar:

_ Yankees, go home!!!

28 comentários:

  1. "As bombas na maratona de Boston, que vitimaram homens, mulheres e crianças reunidos num dia festivo, certamente não explodiriam se os Estados Unidos abrisse mão da posição de polícia planetária que vêm assumindo."

    Seria mais prudente aguardar as investigações para tirar qualquer conclusão...

    ResponderExcluir
  2. O que você ganha com esse anti-americanismo? Os EUA foram lá defender os seus direitos e interesses, diferente de nós que vimos a Bolivia invadir a Petrobras e não fizemos nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou antiamericano, se você ler com atenção verá que esse texto é uma defesa do povo americano que sofre com os atentados. E uma guerra entre Brasil e Bolívia não seria nada mal para a indústria de armas, não é mesmo, Cesar?

      Excluir
    2. Mas que o Brasil botou o galho dentro, nao ha como negar, nao eh?

      Excluir
    3. E Jesus, oferecendo a outra face, também "botou o galho dentro"?

      Excluir
  3. Seu irretocável e oportuno texto, mal comparando, remeteu-me ao mestre Santayana, no JB, a respeito da "Dama" de Ferro, tão arrogante, prepotente, colonialista, imperialista e tirânica quanto a maioria dos mandatários yankees, né?...senão vejamos, neste excerto:

    "A contra-revolução mundial de Mme. Thatcher contra os direitos do homem continua, na brutal insolência do neoliberalismo, sob o comando do Clube de Bilderberg e dos grandes bancos mundiais.

    Em todos os países do mundo, principalmente na Europa, os pobres estão morrendo, por falta de empregos, de hospitais, de teto, de vontade de viver. Há endemia de suicídios, principalmente nos países meridionais. Thatcher morreu, mas Ângela Merkel está aí, para defender as suas idéias.

    Um cartaz impiedoso, exibido sábado à noite em Londres expressa o sentimento dos ofendidos e humilhados pelas “reformas” de Thatcher: “The bitch is dead” – a cadela morreu. Seus filhotes, no entanto, se multiplicam no mundo.

    Se a Humanidade quiser sobreviver com a dignidade construída pela razão, e não se entregar a uma tirania universal, terá que reagir com a mobilização política dos cidadãos organizada em torno de iniciativas concretas que restabeleçam os direitos previstos nas leis que pretendiam assegurar, em todo o mundo, o Estado de bem estar social, antes que seja muito tarde".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de assinar...Marcos Lúcio

      Excluir
  4. Nao adianta Marcelo, os americanofilos de plantao nunca admitirao que a culpa pelos atentados eh do proprio EUA. Assim como nao querem tambem abrir mao de ver o Pais como senhor da razao ao redor do Mundo, com todas as intervencoes absurdas e belicistas que voce citou. Assim como voce, obviamente nao apoiarei atos contra a vida humana nem de um lado nem de outro, mas nao tenho como deixar de ressaltar que com seus problemas para resolver, pelo menos os EUA deixam a Venezuela em paz.

    ResponderExcluir
  5. O texto reflete com agudeza e pertinência, a fragilidade á que é exposta a população americana, devido á política de Senhores do Mundo, exercitada por seus Govrnantes. Infelizmente, creio que outros atentados ocorrerão.

    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
  6. O terrorismo é execrável, ainda que praticado pela esquerda, mas geralmente o terrorismo só beneficia a extrema direita.
    Se os EUA são hoje atacados de forma tão violenta é porque, de alguma forma, eles se valeram do seu poder para humilhar povos e etnias.
    Se olharmos a história de mais de um século, nos damos conta de que o Ocidente como um todo e particularmente os EUA humilharam os países muçulmanos do Oriente Médio. Controlaram os governos, tomaram-lhe o petróleo e montaram imensas bases militares. Deixaram atrás de si muita amargura e raiva, caldo cultural para a vingança e o terrorismo.

    Recomendo o livro " Fundamentalismo, Terrorismo, Religião e Paz ", de Leonardo Boff, muito bom !!

    Cury

    ResponderExcluir
  7. Não morro de amores pelos americanos,mas quem faz o que os terroristas fazem não lhes dá moral para falar do imperialismo americano. Por exemplo,quando a ex-URSS invadiu o Afeganistão,não surgiu aquela turma de pacifistas que apareceu,com razão,aliás,durante a Guerra do Vietnã.
    Na verdade,os que se apresentam como opção aos EUA são muito piores do que o grande satã. O problema é que ninguém percebe isso e quando a situação fica ruim,é dos imperialistas que todos lembram. Na 1 Guerra Mundial,quando Inglaterra e França já estavam jogando a toalha diante do imperialismo alemão,foi aos EUA que pediram água. Na 2 Guerra, quando viram que Hitler ia engolir o mundo,lá foi todo mundo de novo pedir pelo amor de Deus pro grande satã salvar a situação. E hoje as opções aos gringos não são muito animadoras,haja vista aquele patético aprendiz de ditador da Coréia do Norte,arrotando poder bélico em vez de usar a ajuda econômica de seus amigos pra matar a fome de seu povo,de binóculo na cara,talvez se achando o novo general Mac Arthur.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas quem derrotou os alemães na segunda guerra foram os soviéticos...

      Excluir
    2. A derrota alemã foi uma ação conjunta liderada pelos EUA. Quando o inverno de 1941 acabou,os alemães desencadearam uma forte ofensiva contra os russos,tendo Hitler afirmado que "dessa vez não haverá general inverno para socorrer os russos na última hora,quando estávamos a 60km de Moscou". Mas dessa vez o Serviço Secreto Britânico havia alertado aos russos da localização e tamanho exatos das forças alemãs,e os americanos enviado centenas de milhares de toneladas de material bélico,tendo os russos à época feito enormes elogios ao material que recebiam dos yankes,muitos dizendo ao encontrar um soldado americano:"Chevrolet,Dodge,boooom!!!!",pra não falar da ofensiva das fortalezas voadoras B-17 e B-24,destruindo o parque industrial alemão,uma vez que a Força Aérea Russa não possuía uma frota de bombardeiros pesados.Mesmo assim,Stalin não parava de perguntar quando os americanos iriam abrir a segunda frente,que seria feita no Dia D,fazendo com que os alemães deslocassem forças da frente russa para a ocidental,aliviando a pressão sobre os russos.É fato conhecido de que os alemães já estavam ganhando a batalha de Kursk quando Hitler soube da invasão americana à Itália,tendo o ditador alemão mandado sustar a ofensiva,permitindo aos soviéticos ganhar a batalha.No final da guerra,os gringos ainda deixaram os soviéticos chegarem primeiro a Berlim,tendo o General Eisenhower mandado parar as tropas na altura do Rio Elba,pra desespero do General Patton,que afirmava estar mais perto de Berlim do que Zukhov,e que poderia chegar à capital alemã em 48 horas,uma vez que os alemães preferiam muito mais entregar Berlim aos americanos do que aos russos. Quando o comandante-geral perguntou "e quem quer isso?",Patton pôs as mãos nos ombros dele e disse:"Creio que a história responderá por você." A famosa foto da bandeira soviética no telhado do Reischstag cristalizou em muitos a idéia de que os russos venceram,só que nada disso teria acontecido sem a ajuda dos yankes.

      Excluir
    3. Afinal, eram os "aliados". Até a FEB ajudou... rss

      Excluir
  8. Na hora do desespero eh normal que se apele para qualquer coisa, inclusive para o apoio americano. Mas, uma vez em divida com os EUA, voce esta fadado a ter que aceitar suas imposicoes pelo resto da vida, vide o caso de Israel. Fazendo uma analogia a uma coisa mais palpavel do que "um pacto com o demo", eh mais ou menos como pedir dinheiro a agiota, so se faz isso em desespero e depois voce ta ferrado!!!

    ResponderExcluir
  9. Hitler não esperava encontrar a forte resistência de Josef Stalin que na época fez o seguinte pronunciamento, convocando os soviéticos à luta: "O inimigo é cruel e implacável. Pretende tomar nossas terras regadas com o suor dos nossos rostos; tomar nosso cereal, nosso petróleo, obtidos com o trabalho de nossas mãos "

    O exército soviético também soube tirar partido do rigoroso inverno russo. Sem uniformes apropriados, dezenas de milhares de alemães morreram de frio e os equipamentos militares perdiam eficiência

    Para muitos estudiosos, foi na União Soviética que a Alemanha perdeu a guerra.

    Cury.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até hoje a Segunda Guerra na Rússia e chamada de Grande Guerra Patriótica.

      Excluir
  10. O feitiço vira contra o feiticeiro e quem com ferro fere, com ferro será ferido...até a física quântica comprova esta evidência energética. Os "istêitis" acabam colhendo o que semeiam, e a indústria bélica e cinematográfica já demonstram o quanto a violência é prioridade para eles...em que pese o fato de eu não ser adepto de competições e violências...venham de onde vier.Ser pacifista ou gandista ou teresadecalcutista,etc., parede ser minha sina.

    ResponderExcluir
  11. Entre uma passagem prá conhecer Havana e uma prá Disney fico com a segunda.....

    Marcos Pinto de Oliveira França - Subtenente - EB - RJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com Cuba sem embargo a decisão não seria tão fácil...

      Excluir
    2. Já estive em Havana e gostei bastante, em que pesem as limitações das quais já sabia...jamais viajaria sem saber ou pesquisar ou me informar o melhor possível, para qualquer destino do planeta.Fiquei bem impressionado. Nunca vi povo tão alegre (genuinamente), sensual, educado e bem informado (boa escolaridade). A música excepcional, é um capítulo à parte, além da beleza arquitetônica do centro histórico, do forte, etc., noves fora o show deslumbrante do TROPICANA e dos mojitos inesquecíveis da Bodeguita del Medio.Não vi menor abandonado, assalto e mendigo, muito menos miséria. Também não vi gente rica ou muito bem vestida pelas ruas, claaaaaaaro!...há um aspecto mais ou menos harmônico- entre os populares - de modéstia, simplicidade ou contenção . Já Varadero é mais turística/sofisticada e linda.A culinária é deliciosa e para quem se liga em história e arte, não faltam óotimos e instrutivos ou culturais programas. Em hipótese alguma eu iria (oportunidades não faltaram) à Disney...parquinho de diversão tem até em alguns condomínio rsrs. Havana é única e singularidade é comigo mesmo.
      Eduardo

      Excluir
    3. Entre a Disney com bombas e tudo e o leste europeu, eu fico com a segunda opção !!

      Paulo Cesar Cury - brasileiro e utópico - RJ !!

      Excluir
    4. Alguns condomínios, desculpe. Faltou acrescentar que a bela Praça Velha é Patrimônio mundial da Unesco, com seus prédios de estilos dos séculos XVII a XIX, e sua recente revitalização dá notoriedade aos restaurantes e bares.

      Já a Praça da Catedral tem duas preciosidades de Havana. Uma, como o próprio nome diz, é a Catedral de San Cristóbal, que nas palavras do romancista cubano Alejo Carpentier, é "música convertida em pedra", dada sua estrutura de pedra em estilo barroco, erguida no século XVIII por jesuítas, e que se destaca por suas torres assimétricas. A outra joia é o restaurante El Patio, instalado sob arcos de um palacete também barroco e cheio de locais e turistas.
      Na esplanada do Malecón, a cena será composta por turistas e cubanos, casais, pescadores, músicos, crianças e jovens jogando futebol ou beisebol. E olhando para o mar, será possível avistar a Fortaleza de La Cabaña e o Castelo do Morro. O cenário é inspirador.

      Tem o Capitólio, a Praça das Armas e o Castelo da Real Força de Diego Quiñones, a sorveteria Coppélia, a fábrica de charuto Cohyba(e outras)o Teatro Nacional e seu balé famosíssimo, e muiiiiiiiito mais para ver e sentir. O mundo não é só Nova York.
      Eduardo
      Eduardo

      Excluir
    5. Assim como Eduardo tambem ja estive em Cuba e pude constatar ao vivo todas essas caractéisticas do povo e do Pais. Mas muitos preferem se informar pela TV e continuar desconhecendo o obvio. Portanto, prefiro que os americanofilos continuem indo para a Disney passar a mao no Pateta e deixem Cuba em paz. Ideal seria que os EUA fizessem o mesmo e acabassem com o embargo, mas como esperar sensatez daqueles que se acham donos do Mundo.

      Excluir
  12. desculpem mas todos estão enganados e iludidos, governantes são só marionetes dos verdadeiros donos do mundo(carteis de banqueiros, os "banksters"). estes três eventos 9/11, 7/7 e esse "atentados" em Boston, foram ataques de bandeira falsa. Por favor acordem, tudo foi planejado para culpar "terroristas", apenas razões para se invadir países alheios, roubar seus recursos e lucrar com guerras desnecessárias. Eles seguem com seus planos de desencadear 3 guerra mundial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico sempre tentado a acreditar, melhor: acredito no que o anônimo disse...bem e com propriedade.Se os donos do mundo são, de fato, os banksters...tais e quais agiotas, são capazes de qualquer coisa. Adoraria estar enganado.
      M.L.

      Excluir
  13. Basta ver o testemunho insuspeito do Americano Oliver Stone, (no youtube mesmo) acerca de Fidel e Cuba, para se saber o tamanho da mentira dos que insistem em falar mal desse pequeno Pais e seu Povo GIGANTE...
    Torelly

    ResponderExcluir
  14. Veterano já amputado finge ser vitima do "atentado" de Bosta!

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=188390424646754&set=o.139627966148605&type=1

    ResponderExcluir