Translate

quinta-feira, 8 de março de 2012

Misterioso tempo

Árvore em maio

Amendoeira na Urca. Foto de Marcelo Migliaccio


Árvore em agosto

Amendoeira na Urca. Foto de Marcelo Migliaccio




Feira às 5h20

Feira na Urca. Foto de Marcelo Migliaccio



Feira às 10h20

Feira na Urca. Foto de Marcelo Migliaccio



Gato relaxado um segundo antes

Gato/Foto: Marcelo Migliaccio

Gato assustado um segundo depois

Marcelo Migliaccio




Praia da Urca às 7h10

Praia Urca/Foto: Marcelo Migliaccio



Praia da Urca às 11h10

Marcelo Migliaccio




O tempo não passa, nós é que passamos. Então... passar bem.



13 comentários:

  1. Achei legal. Passar bem também. Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Lindo! Lindo! Lindo!

    Minha alma ficou mais leve.

    Obrigada.

    Um abraço fraterno,

    Wanda

    ResponderExcluir
  3. morreu o gorila do zoo de bh , conhecido pelo apelido de idi amin. viveu toda a sua vida no cativeiro. os idiotas ainda queriam que deixasse um filho para que vivesse no cativeirotambém e eternamente.ele driblou todo mundo e morreu sem filhos, na prisão em que todos os presos são inocentes. e ainda por cima lhe deram o apelido de um ditador sanguinário. nas últimas fotos o animal demonstrava uma tristeza profunda, que poucas vezes ví na face de nós ditos humanos, seus carcereiros. que vc esteja num lugar muito melhor do que a quela cela imunda.

    ResponderExcluir
  4. Marcelo, hoje estou mais "emocional" do que de costume, e fiquei com os olhos cheios d´àgua. É bom tem você pra "passar bem" pela vida comigo.

    ResponderExcluir
  5. A linda Lua cheia que faz hoje é em homenagem as Mulheres. Abraços à todas as mulheres. E em especial às que fizeram e
    fazem parte de minha vida.
    Parabéns pelas fotos e os comentários.
    Sergio.

    ResponderExcluir
  6. Marcelo, essa janela da 1ª foto é na sua casa ???
    que privilégio em ???
    Da minha janela eu vejo o Cristo, faz muito olhar para ele após acordar ou antes de dormir !!
    Lindo dia para todos.
    Cury

    ResponderExcluir
  7. Gostei do gato fumando maconha e depois cheirando cocaína.

    ResponderExcluir
  8. Mauro Pires de Amorim.
    É isso aí Marcelo, passar bem em equilíbrio, paz, harmonia, é um exercício e tanto.
    Depende de nossa consciência e caráter, ou como preferem os mais academicamente intelectualizados, da ética. Ou ainda, os mais religiosamente espiritualizados, da alma, do espírito. Seja como for, em meu parco entendimento, consciência e caráter presente em cada um de nós.
    Suas fotos me lembraram muito alguns momentos de meu passado não muito distante e que mantém-se presente, embora em menos constância de disponibilidade temporal para exercê-los do que antes.
    Serei mais específico e emblemático. Naquela época, eu costumava nos finais de semana, frequentar a Praia do Recreio dos Bandeirantes, logo depois da Reserva, no Posto 9 (de lá, não confundir com o de Ipanema). Acordava às 6:00 hs, para sair de casa às 7:00 hs, vez que, morava em Copacabana. Chegava no Recreio por volta das 7:45 hs. Era uma beleza, vagas de estacionamento à vontade, praia praticamente deserta.
    Curtia o sol e o mar até por volta das 11:00 hs, horário em que a praia começava a virar uma obsessão neurótica percebida no ar pelas emanações dos frequentadores que chegavam com seus veículos barulhentos em ostentações presenciais anunciativas externadas por sonoridade excessiva de buzinas, acelerações exageradas dos motores, músicas e falatórios em volumes exagerados. Fora o fato do princípio do caos que se formava para se conseguir uma vaga de estacionamento. Como já me sentia feliz e suficiente em minha curtição, sentia que era o momento se partir.
    Em meu retorno rumo à Copacabana, com a pista de volta fluíndo bem, percebia na pista de ida em direção à Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes, o engarrafamento e imaginava o consequente sofrimento daquelas pessoas. Pensava, será que vale todo esse estresse para um dia feliz na praia? Qual será o real conceito de felicidade dessas pessoas? Concluía que a felicidade para a grande maioria de nossa sociedade é um produto de marketing, desses que se vende numa propaganda qualquer onde as pessoas têm que se enquadrarem, serem "insiders" naquele modelo para serem "do contexto" e consequentemente estarem nos locais e horários da "galera do contexto".
    Obviamente, que eu para acordar em minha casa às 6:00 hs, dormia cedo, por volta das 22:00 hs, afim de ter um bom equilíbrio energético. Por isso, jamais estaria na noite ou madrugada anterior "no contexto".
    Mas tudo bem, cada um com seu cada um e pensando bem, com ajuda de nossa consciência e caráter, conseguimos ter qualidade de vida e felicidade.
    É verdade que atualmente não frequento mais a Praia do Recreio, mas com a mesma postura de compreensão, procuro agir usando como parâmetro de equilíbrio entre meu desejo e as condições da atividade almejada. "É preciso saber viver".
    Felicidades e boas energias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também só vou à praia bem cedo, Mauro, na multidão, sigo a contramão. Abraço

      Excluir
    2. Mauro Pires de Amorim.
      Não sou perfeito, mas no mesmo sentido de meu comentário anterior, nesses feriados e épocas sazonais das estações do ano, sigo a tendência inversa.
      Portanto, quase nunca saio da Cidade do Rio de Janeiro nos feriados, conforme faz a maioria da multidão, ocasionando multidão também nos locais de destino, fora os engarrafamentos nas estradas.
      Nas épocas das estações do ano, quando posso viajar, vou para a serra ou para locais mais frios no verão, quando a tendência da maioria é seguir para as praias ou locais quentes conforme a estação do ano. E para as praias e locais mais quentes na época do inverno. Afinal no Brasil, não temos em sua maioria, invernos e verões tão distintos assim, sendo na média do clima, calor e menos calor.
      Mesmo para o exterior, quando tive a oportunidade de ir, seguí o mesmo raciocínio. Principalmente para países de climas mais contrastantes. Sou um sujeito nascido e criado em país tropical. Não estou acostumado com neve e gelo, portanto prefiro viajar no verão de lá.
      Ademais, nem penso em praticar esportes de inverno, pela mesma razão de minha origem tropical. Já pensou? Querer dar uma de brasileiro "isperto" e se meter pirambeira nevada abaixo num esquí, trenó ou similar e acabar todo quebrado e desconjuntado nas "férias felizes". Esportes radicais também não me atraem, pela mesma razão do risco de acabar todo quebrado e desconjuntado.
      Não sou o Rei da Malandragem, mas no sentido popular brasileiro, sigo o ditado que diz, "O bom malandro morre de velho".
      Felicidades e boas energias.

      Excluir
  9. Há tempo que não frequentava este pedaço. Adorei sua postagem de fotos. Grande idéia. Quanto a passar bem, deixo para vc um pensamento que decorei de tanto ouvir meu pai declamar. Ai vai: "Quem passou pela vida em brancas núvens, e em plácido repouso adormeceu, quem não sentiu o frio da desgrassa, quem pasou pela vida e não sofreu, não foi homem, foi espectro de homem, só passou pela vida, não viveu." Um pouco triste, mas fazer o que... Cada um tem obrigacão de passar pela vida da melhor maneira possivel. Nós nascemos para sermos felizes. Passe bem vc tbm e obrigada por existir. Yves.

    ResponderExcluir