Translate

sábado, 12 de julho de 2014

Terceiro...

O Ultraje a Rigor conta que terceiro lugar já é ruim. Imagine quarto...


13 comentários:

  1. Bem escolhido. Afinal trata - se da banda mais coxinha do momento. Combina com o papelão da seleção, com Minas Gerais e com Aécio. E por falar nisso a CBF já manifestou sua preferência pelo Aécio, coincidência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente comentario, companheiro! Sem duvida, entendeu perfeitamente a ideia do Marcelo ao postar isso ai!! Essa banda, sem duvida, faz parte da elite branca (sem racismo) e despreza a rale negra (sem racismo). Essa banda, mais que coxinha, eh croquete, eh empadinha e, pior ainda, risole!
      Mas isso nao importa. Importa que a nossa querida Dilma vai se reeleger e teremos mais 4 maravilhosos anos com o glorioso PT e, se a CBF continuar apoiando outros que nao o do grande PT vai acabar igual ao Celso Daniel.
      Felizmente politica e futebol nao se misturam pois, se assim fosse, nossa selecao seria a primeira. Tal qual esse maravilhoso governo que temos que esta dando de 10x1 (em homenagem aos 7 da Inglaterra + 3 da Holanda e 1zinho do Brasil).
      Abaixo a elite branca, os coxinhas e demais quitutes alem de todos os outros que sao contra essa maravilha que esta no comando!
      Do mais, o dinheiro investido na copa vai retornar, principalmente pelas tanta e tantas boas obras realizadas e que ja se encontram operacao, que estao facilitando e dando melhores condicoes ao nosso querido povo! E tambem, ao retornar, sera devidamente aplicado em hospitais, escolas, etc, etc, etc e etc! Um viva ao grande PT!!!!!

      Excluir
    2. Vale a pena acessar o link: http://www.jb.com.br/ e ler o excelente material do JB intitulado perder, ganhar e viver de Drummond.
      Cury

      Excluir
    3. Grande Drummond. Bonito texto. Dei especial atencao para quando ele sintetiza a derrota com "Eh comecar de novo". Sem duvida, Cury, devemos seguir adiante! Aprendendo com os erros para que possamos nos aprimorar.

      Excluir
  2. Essa música tá mais p hino holandês. Holanda que há tanto merece um título, mas ao que parece, sempre com cuidado pra não ser o primeiro. drum

    ResponderExcluir
  3. Agora entendi porque escolheram um tatu para mascote da Copa. Depois de tanto vexame, o que resta é se esconder em um buraco.
    Cury

    ResponderExcluir
  4. Não tenho vocação para Capitão Nascimento e não quero ver ninguém "pedindo pra sair". Admito que qualquer um tem direito de votar em quem quiser, ou mesmo festejar o que quiser, como São Paulo que tem um feriado para festejar um levante separatista que, pasmem, perdeu! Mas o que vemos hoje é uma horda de derrotados que não sabendo admitir a derrota utilizam as redes sociais para liberar seus instintos racistas, fascistas ou coisa que o valha. O Roger do Ultraje, assim como o Lobão se especializaram em ultrajar tudo o que vem do PT, do Lula ou da Dilma. Para eles cotas, bolsa família, minha casa, mais médicos, ou qualquer outra coisa criada pelo governo é esmola, ou foi feita para roubar. Estes, como muitos outros são caluniadores que ficam nervosos quando desmascarados. Felizmente estes coxinhas, que antes eram rebeldes sem causa, são minoria perante milhões que ainda clamam por melhores condições de vida, que os anos de governo tucano insistiram em ignorar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que "Capitao Nascimento" seja um personagem de algum filme ou serie: Quase nao assisto TV...
      Assisto apenas uma serie na HBO e dois programas humoristicos na Globo Internacional (Pe na Cova e Tapas e beijos - Alo Marcelo. Quando voce der um beijo no seu pai, de um por mim e diga que eu adoro ver o seu Chalita!) simplesmente nao faco ideia de quem seja mas, de qualquer forma, eu nao peco para sair. Quando muito eu informo.

      Lobao e Roger: gosto das musicas deles. Nao me interessa se eles sao contra ou a favor disso ou daquilo. Eu curto a musica. O resto, nao significa absulutamente nada para mim. Porque eu vou "patrulhar" se o que eu quero eh ouvir a musica?
      Quando morava no Rio sempre comprava o paozinho na mesma padaria, mesmo existindo outras duas, perto. Aquela onde comprava tinha o pao mais gostoso! O dono, claro, era um portugues. Comprei pao por varios anos. Nunca perguntei ao dono se ele era a favor do Salazar ou a favor da Revolucao dos Cravos. Em outras palavras: Nao me importava (nem me interessava) sobre as preferencias do dono da padaria: Adorava o paozinho capitalista, socialista, comunista ou mesmo com bromato.

      Companheiro! Vai devagar nesse patrulhamento! Segura a pemba!! Chamar quem opina de caluniador eh como chutar para o gol e acertar no publico. Que feio!

      Mais: nao entendo essa de "ficar nervoso quando desmascarado". Se um cara emite uma opiniao, porque ficar nervoso? E ser desmascarado por emitir uma opiniao??? Fica um pouco turva essa sua posicao. Olha o patrulhamento!!

      Houve um que usou a palavra "odio". Ninguem tem que acreditar no que escrevo e, mais importante, vale estar de bem com a minha consciencia e, nesse estado, afirmo que nao sinto odio. Nao faz parte da minha vida. Tenho, sei, uma consciencia critica e eh usando dessa consciencia critica que emito opinioes. Creio que o atual governo vem fazendo varias coisas boas mas a maneira como vem administrando, executando, fiscalizando eh tragicomico.
      O projeto do rio Sao Francisco, por exemplo. Como anda? Voce sabe? Ja procurou algo? Veja!
      A refinaria que era para estar operando, que custaria "X" e nao esta e ja se gastou uma quantidade monstruosa do NOSSO dinheiro...
      Sao dois exemplos para fechar o ponto: onde esta a fiscalizacao? O gerenciamento? O cronograma? Por que tudo que eh iniciado pelo governo (E, ATENCAO, NAO ESTOU DIZENDO QUE EH COISA DO ATUAL GOVERNO MAS SIM DE TODOS DESDE QUE ME CONHECO POR GENTE) demora, fica inacabado, custa muito mais caro, tem ma qualidade? Sera que, um dia, isso vai funcionar?

      Considerando que uma das primeiras coisas que aconteceu no Brasil foi tentar enganar os nativos com colares de pedras e outras quinquilharias e que isso ficou arraigado na nossa cultura ate os dias de hoje, nao creio que estarei vivo para ver as mudancas que gostaria de ver...

      Esse eh o Brasil, o povo, a cultura. Nao sou contra o PT. Sou contra as maracutaias, as mutretas e tantas outras sacanagens que nao da para enumerar entao, nao sou eu que vai mudar o pensar de outros (quem sou eu para isso?) mas digo apenas que, se o atual governo, em certos aspectos trabalha para o povo, isso - antes de tudo - eh uma obrigacao e nao um favor e devemos, sempre, ver por varios angulos pois se ficamos apenas olhando para o lado do sol, acabaremos cegos!

      Do mais (sei que para alguns -dependendo de como encaram certos valores- eh dificil), SP festeja com um feriado, tem uma avenida cujo nome eh a data, tem monumentos porque foi um acontecimento importante para o povo, na poca. Foi um marco e ficou na lembranca um "sim, tentamos algo" (tenha sido isso um levante separatista). Houve uma vontade, lutou-se por um ideal, pessoas perderam as vidas por esse ideal e, claro, comemoram pois comemorar nao significa ser um vencedor mas sim um participante.
      Fico pasmo eh com o seu ponto de vista: se voce ve dessa maneira, o proximo passo seria perguntar por que comemoramos Tiradentes...


      Excluir
  5. Transcrevo: “Seremos imunes a qualquer critica quanto a nossa infraestrutura desmoronada e falida, quanto a nossa terminal condicao moral, so conseguindo enxergar as trapacas dos grupos adversarios, a exibir com jactancia e orgulho, sem a menor cerimonia, um rabo mais imundo que o do opositor.”

    ResponderExcluir
  6. Alguém disse uma vez, mas não lembro quem: aquele que baseia seu discurso em citações não está exercitando a inteligência e sim a memória. Quanto a Copa venceu o melhor time que representa a organização e o planejamento em detrimento de uma Argentina baseada em federação atrasada, na gana e improviso. A vitória argentina seria um sinal de que nada precisava mudar no futebol do Brasil. O governo, por sua vez, mostra aos coxinhas de plantão que mudar seria um retrocesso ao tempo dos vendilhões do Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como ja disse, nao gosto de assistir TV. Prefiro um bom livro! Soh este ano ja "devorei" cinco sendo que um, num idioma que nao domino bem, levou mais tempo e contou com a ajuda de um dicionario bilingue.
      Adoro ler. Gracas aos livros (e a boa memoria) posso usar frases, citacoes sem sair do contexto. Eh gratificante saber de algo, dito por alguem, e poder reproduzir isso.
      Gracas aos livros consegui enriquecer o meu vocabulario, cultura, conhecimento.
      Um livro eh um grande amigo, se nao um grande mestre. Ninguem melhor do que um professor para dar o aval a essa verdade!

      Infelizmente nem todos pensam assim. O nosso querido grande guru, por exemplo, antes de chegar ao mais elevado cargo da nossa nacao, em uma entrevista declarou: "Eu sou um pouco preguicoso. Eu nao gosto de ler" (se nao acredita, procure e encontrara) e isso me levou a refletir.
      Se nao existir um profundo investimento na educacao de base, nunca teremos uma sociedade justa. Nunca teremos uma reducao de desigualdades. Nao basta garantir vagas em faculdades para determinados segmentos. Deve existir um ensino de qualidade desde o inicio. Esse eh o caminho mais logico mas...
      Novamente afirmo que nao me detenho no atual governo quanto as minhas criticas mas sim em decadas de erros e desinteresse para com a populacao. Se houve um Paulo Freire, seu metodo (posto em pratica no inicio dos anos 60) nao recebeu a devida atencao, que traria bons ventos a tantos, numa corrente que poderia ter levado a erradicacao do analfabetismo e dos alfabetizados funcionais. Perdeu-se uma grande oportunidade!
      A sociedade da mais importancia a efemeridades do que as necessidades por consequencia, falam tanto de selecao e tao pouco sobre o IDH.
      Dai, torcem, torcem sem pensar que estamos em 88 lugar na educacao e 72 na saude (recomendo o artigo de um fraternal amigo de longas decadas: http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=262&cid=203415)
      Lamentavelmente seguimos num Brasil onde impera a Lei de Gerson, onde eh mais importante gritar "gol" do que "quero boas escolas", "quero hospitais", "quero saude", "quero servico publico", "quero seguranca" e, principalmente, "quero respeito"!

      Excluir
  7. Mais uma vez se aproximam as eleições e surgirão os candidatos com a mesma ladainha de sempre: mais educação, mais saúde, mais segurança, menos corrupção. Nenhum candidato falará algo diferente disso. Da mesma forma as manifestações recentes se perdem ao fazer reivindicações genéricas. Clamar por essas coisas definitivamente não diferencia joio do trigo. Queremos candidatos comprometidos com aspectos estruturais importantes para a sociedade. E com a polarização que mais uma vez se desenha teremos o PSDB do estado mínimo contra o PT que apóia o fortalecimento do estado em países em desenvolvimento. O PSDB da meritocracia contra o PT da inclusão. O PSDB excludente contra o PT que defende o aumento da participação popular. Muita gente diz que político é tudo igual para ficar a vontade para votar em qualquer um. Eu discordo e já escolhi meu lado. O PSDB e o discurso vazio deixo para os coxinhas de plantão.

    ResponderExcluir