Translate

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Baixar a maioridade penal não vai mudar as coisas

A campanha pela redução da maioridade penal conquistou a opinião pública. Enquetes na mídia mostram 99% a favor de cadeia para menores infratores. Os últimos casos ajudaram. Latrocínios, estupros, violências gratuitas contra vítimas que não esboçam reação etc. Agora os apresentadores fascistas de programas policiais já não gritam mais sós. Toda a classe média teleguiada se juntou a eles. Se pensasse um pouco mais veria que, como sempre, estão lhe empurrando um remédio inócuo goela a dentro.

Concordo que crimes hediondos merecem penas severas, muito mais severas que três anos de internação e ficha limpa ao completar 18 primaveras. Mas, se os adultos condenados por crimes hediondos têm progressão e saem até com um terço da condenação cumprido, o que nos faria pensar que menores não teriam a mesma complacência por parte dos juízes?

E o estudo durante a prisão do menor? Alguém pensou nisso? Claro que todos concordam que o adolescente confinado precisa estudar. Ou ele vai ficar no ócio durante toda a pena que tiver que cumprir? Vão construir escolas de ensino médio ou profissionalizante nas cadeias? Ou os menores vão sair para estudar? Aí já seria um regime semi-aberto. E será que compareceriam às aulas se saíssem da cadeia para isso? Talvez, se a pena fosse aumentada em um dia para cada falta à aula.

Como sempre, a discussão nos meios de comunicação de massa é míope, desvirtuada por interesses econômicos e políticos, preconceitos e pelo ilusório "politicamente correto".

A redução da maioridade pode até servir para que jovens tarados, cruéis, sem respeito pela vida humana e pervertidos fiquem longe do convívio social, o que pouparia muitas vidas. Só não acho que isso vá desestimular outros jovens a cometerem crimes iguais ou piores. Uma das características do perfil desses adolescentes criminosos é a total falta de interesse pelo seu próprio futuro e o desprezo pelas consequências dos seus atos.

A única consequência prática da redução da maioridade penal é que alguns delinqüentes passarão mais tempo afastados do convívio social, o que eu acho válido diante dos fatos. Por outro lado, o número de crimes que deixarão de ser cometidos após a mudança na lei, para mim, será desprezível. A inconsequência é um traço do comportamento do jovem transgressor. E quanto mais novo, mais inconsequente.

Nossa fábrica de degenerados está a pleno vapor. Nos últimos dois anos, dobrou o número de adolescentes apreendidos no Rio. Diariamente, 22 são flagrados cometendo crimes, entre eles crianças de 12 anos, superlotando um sistema de reclusão "socioeducativo" negligenciado por décadas.

Abandonadas pelos pais em favelas e shoppings, crianças são educadas pelos interesses econômicos e mercadológicos da mídia. E esse já se revelou ser um péssimo sistema pedagógico. Sexismo, consumismo, egoísmo, racismo, fanatismo, maledicência e elitismo são algumas das cadeiras dessa universidade da boçalidade difundida via jornal, internet, rádio e TV. O fenômeno é mundial: nenhum povo resiste ao lixo produzido pela indústria cultural. Lembra da Índia transcendental? Virou a meca do estupro. E os Estados Unidos dos atiradores mirins? Estão melhor que nós? Fazem uma lavagem cerebral nas crianças exibindo sexo, porrada e propaganda de cerveja o dia inteiro e depois se perguntam por que os jovens estão como estão…

Tá todo mundo contra o Bolsonaro, mas um videogame violento forma muito mais fascistas que asneiras ditas por um deputado com cérebro de gorila.

O processo vem de muito tempo. Estamos agora no ponto de virada, quando a água começa a ferver e transbordar para fora da panela. Aí, todo mundo se dá conta de como a coisa está russa. Aos desatentos, pode parecer que de uma hora para outra parte de nossos jovens se tornou cruel e violenta. Mas a gestação começou há décadas. Só que agora o ovo da serpente eclodiu. É um momento delicado porque ficou evidente para nós que descemos mais um degrau na nossa autodegradação social.

Chamar um desses moleques de monstro e trancá-lo na cadeia por dez anos é muito mais cômodo do que admitir a falência do sistema em que vivemos. Isolaremos um, dois, cem monstros, mas continuaremos criando outros.

O ensino público no Brasil é indigente, nem sinal de trânsito o brasileiro respeita. Quase metade dos professores da rede estadual de São Paulo já sofreu agressão, física ou verbal. Ameaças de morte não são raras. O valor que esses garotos dão à vida é o valor que lhes ensinamos a dar. A lição que aprenderam é que o dinheiro vale muito mais que uma reles vida humana. Um homicida não fica um dia na cadeia se tiver muita grana para gastar nos labirintos da Justiça.

É exatamente o Poder Judiciário que dá uma contribuição fundamental patrocinando a impunidade. Nas cadeias, só há pretos e pobres. Belo exemplo para os mais novos seguirem.

E, além do mais, quando os maiores de 16 anos forem passíveis de prisão e de penas severas, as quadrilhas passarão a usar garotos de 14 e 15 para assumirem seus crimes.

E um belo dia teremos penitenciárias com serviço de creche para cuidar dos bebês criminosos.




Leia também

A cultura da violência

Recado para uma criança

49 comentários:

  1. Nao adianta baixar a maioridade penal se antes TODO o codigo penal nao for refeito. Nao adianta baixar se antes o sistema carcerario nao for melhorado, deixando de ser um deposito. Nao adianta baixar se antes as nossas "ortoridades" nao criarem centros que possam - realmente - ajudar um menor infrator a se tornar um adulto dentro dos criterios que consideramos como uma sociedade. Se tudo isso mudar ai isso poderia acontecer.
    Do mais, sim, sou a favor de penas longas para crimes hediondos sem reducao do periodo imposto mas dentro das mudancas acima. Do contrario, seguiremos com depositos e fabricas de bandidos.

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que voce tocou nesse assunto, as vezes fico me achando perdido nessa discussao que cada vez mais passa uma sensacao de unanimidade a favor da reducao da maioridade penal. Como voce falou e o Ariel reforcou, essa atitude sera inocua se nao for acompanhada de outras relacionadas principalmente aa desigualdade e falta de oportunidade para estes jovens. Entao, caso seja aprovada a reducao para 16 anos devemos estar preparados para ver jovens sendo recrutados para o crime, cada vez mais novos e para a proxima campanha de reducao da maioridade para 14, 12, 10, 8...

    ResponderExcluir
  3. Sou a favor da redução da maioridade penal por uma questão de coerência. Se a Constituição Federal considera uma pessoa de 16 anos responsável o suficiente para votar, então ela também pode ser responsabilizada civil e criminalmente. De outra forma, há milhares de irresponsáveis votando e elegendo candidatos pelo País.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou a favor, mas acho que não vai melhorar em nada a situação.

      Excluir
  4. O problema do menor é o maior, sou totalmente contra a diminuição da maioridade penal, enquanto o governo investir nos efeitos e não na causa, a escalada da violência não irá diminuir.

    Nossa elite política tem pouco interesse em reeducar os presos, prefere mantê-los como mortos-vivos e tratá-los como dejetos humanos.

    Mas o que esperar de um país onde um ex-governador do mais rico estado da Federação, Luiz Antonio Fleury Filho, justifica o massacre de 111 presos no Carandiru, em 1992, como uma ação “legítima e necessária” ?
    Escreveu bem frei Betto.

    Cury

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é a crueldade e a gravidade dos crimes cometidos por menores ultimamente, Cury, como ficam as famílias das vítimas?

      Excluir
    2. Esta ai em sua pergunta Marcelo a resposta para a quase unanimidade pela reducao da maioridade penal e digo mais faco campanha pela institucionslizacao da pena de morte no brasil. Em minha cidade Sao Bernardo recentemente uma dentista foi queimada viva porque so tinha 30 reais no banco. Pergunto esses monstros merecem viver? Se a reducao da maioridade penal nao diminuir crimes em que o menor e utilizado como fantoche entao creio totalmente que a PENA DE MORTE vai. A impunidade gera a grande maioria dessa violencia.

      Ricardo Garcia

      Excluir
  5. Nao entedi voce Marcelo: Se dizer a favor de algo que voce mostrou por a + b que nao vai dar em nada???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que um cara de 17 anos que põe fogo em uma dentista deve ficar pelo menos 30 anos preso, mas digo que isso não terá efeito inibidor porque a indústria da violência está a todo vapor fabricando mais jovens que não dão valor à vida. Esses estão pouco ligando para o Código Penal

      Excluir
    2. É Marcelo, mas pelo menos enquanto esse doido estiver preso, ele nao bota fogo em mais nenhum inocente...
      Entao é valido sim encarcerar. E digo mais, se tem idade e capacidade pra praticar o crime, entao tem idade pra responder pelo crime tambem.
      Abraço

      Excluir
  6. Totalmente a favor da redução da maioridade. Estudos comprovam que adolescentes que cometem crimes hediondosm como os veiculados nos últimos dias, são, apesar da pouca idade, Psicopapatas, portanto, irrecuperáveis. Ao cumprir medida educativa e atingir a maioridade, robustecem sua crueldade. Eles, como adultos autores de crimes semelhantes, deveriam cumprir, de fato, a integralidade de suas penas. Bancar Educação prá Psicopata juvenil, com que objetivo? Ampliar sua cpacidade cognitiva para o crime. Psicopatas já nascem com essa condição e nenhum tratamento resolve. Os mesmos são incapazes de empatia, solidariedade e outros sentimentos inerentes às pessoas comuns. Cadeia eterna, se possível fosse, ainda seria pouco prá esses vermes de qualquer idade. Odeio todo Psicopata, inclusive políticos que perpetuam miséria nos Estados de que são proprietários, os que desviam dinheiro de saúde e Educação, os que adulteram alimentos e outro crimes perversos. Todos deveriam apodrecer presos.

    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pela lei brasileira, se for psicopata não vai preso na cadeia e sim internado em um sanatório/hospício. qualquer advogado conhece essa cartilha. e internação não tem prazo, pode ser 1 ano ou 100, a depender do médico.

      Excluir
    2. Engano seu, companheiro. Psicopatia não é transtorno Mental. Todo Psicopata tem plena consciência de seus atos, sendo presos em peninteciárias comuns, como deve ser . Voê deve estar confundindo Psicopata com Psicótico, esses, sim, são ininputáveis, sujeitos à internações em instituições psiquiátricas penais e exames criminológicos( antes, exame de verificação de cessação de periculosidade), efetuados por equipe interdisciplinar:Psiquiatas, Assistentes Sociais e Administração. Nós, os Psicólogos, já não participamos, por determinação do CFP, bem fundamentadas. Enquanto Estagiário de Psicologia, nos anos 1970, atuei no Hospital Psiquiátrico Penal Nélson Hungria, já extinto, exatamente no acompanhamento de criminosos com transtornos mentais, coligindo dados necessários à elaboração dos pareceres para o EVCP(exame de verificação de cessação de periculosidade)

      ANTONIO CARLOS

      Excluir
    3. O Antonio Carlos deve estar coberto de razao, afinal trata-se de um tema de sua area de atuacao. Entretanto, seria interessante mencionar que sendo o individuo um psicopata, a condenacao simples apesar de retira-lo do convivio na sociedade, nao resolve o problema, pois mesmo que ele fique 30 anos na cadeia, a possibilidade de voltar a cometer o mesmo crime eh muito alta, mostrando que a prisao pura e simples eh uma medida equivocada.

      Excluir
  7. Nada é por acaso
    estamos fazendo a colheita maldita daquilo que plantamos,
    ou no minimo que permitimos q plantassem...
    E é claro q todos querem soluções fáceis.
    Mas a UNICA solução verdadeira e que tambem é facil, nao agrada.
    Não agrada a esses mesmos que já se permitiram enganar,
    os inocentes uteis, as vitimas da propria tibieza, mas ao mesmo tempo soberbos...
    Criaturas essas já se julgando donas do destino, imaginam ter suplantado o Criador.
    Quiçá Mary Quant, Andy Warhol, Steve Jobs, Sejam os salvadores dessa gente, e estamos colhendo...
    E enquanto falsos mestres plantam Margaridas, nos colhemos ECAS, grande progresso, Procopio.
    E a ironia maior é o que penduram na parede, a vista de todos jurisconsultos, sera para crucificar de novo?
    Já que o tratam como letra morta no estado laico, ou louco.
    Ab-rogar a natureza humana?
    Com o que?
    Com novas tecnologias?
    Com novos modismos?
    Tenho de rir; Já esta funcionando?
    Não falta inteligencia ao Homem, falta Fé.
    Fé e entendimento de que somos consequencia de Leis de um Universo, que não podemos entender e nem alcançar com nossas palavras e pensamentos, limitados a nossa pequenez.
    Resta o consolo de que tudo isso já foi previsto...


    "E, por se ver multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará." S.Mateus 24:12

    Savonarola





    ResponderExcluir
  8. Seus argumentos são bastante lúcidos e as causas estão muito bem esquadrinhadas. Mas quando somos vítimas destes "di menor", não conseguimos concordar completamente. Tenho uma amiga que disse: se um pivete destes matar ou estuprar minha adorada filha (pensemos nos filhos, sobrinhos, amigos, etc., se os tivermos ou não), não pensarei duas vezes em prisão perpétua ou até morte para ele, se possível, pois não acredito que são recuperáveis.Um delinquente deste nível insuportável/trágico(pequenos roubos é outra história, mas também perigosa), será sempre um criminoso, não podendo ficar solto nas ruas em hipótese alguma. Se , p.ex., o estuprador do ônibus da Avenida Brasil é menor, que fique recluso numa instituição apropriada para menores, mas solto não poderia ficar para , certamente, estuprar e até matar outras. Não consegui discordar dela.

    As pessoas que se julgam a favor da redução, como ela, argumentam que um adolescente de 16 anos, que já pode votar(?!) já se acha suficientemente maduro para começar a tomar uma cervejinha com os amigos, e pegar o carro do seu pai para dar uma volta, também é suficientemente "maduro" para responder judicialmente por seus atos.
    Algumas pessoas, entretanto, como um grupo de deputados estaduais do Estado de São Paulo defendem a redução da maioridade penal para 14 anos utilizando a comparação com a maioridade penal fixada em outros países, especialmente nos chamados países desenvolvidos.

    A maioridade penal é fixada aos 13 anos na França; 14 anos na Itália; 15 anos nos quatro países escandinavos; e aos 16 anos em Portugal; chegando mesmo a 10 anos na Inglaterra ou ainda variando entre 6 e 12 anos nos diversos estados norte-americanos.

    Algumas opiniões, para incrementar e compartilhar:

    Aham, senta lá Claudia.

    Engraçado é usarmos um ECA caduco, preparado para o seculo retrasado em pleno seculo XXI. Menor pode votar, dirigir, mas não pode responder por seus atos. Ridiculo. Tem consciencia do que fez? Que responda por isso. Miseravelmente no Brasil menor não pode trabalhar, mas pode aprontar, bandido não pode produzir algo bom, não pode trabalhar pelo proprio sustento, não pode trabalho forçado (queria ver força pra fazer rebelião depois de 14h diarias de trabalho bruto forçado), não pode receber pena capital, não pode nada, tem que ser tudo uma merda, queimou colchão? Os palhaços dos contribuintes darão um novinho, fora todas as outras coisinhas que são dadas em privilegios e manutenções. O trabalhador, que é decente, é quem paga por tudo o que não tem direito a nada. E ai de quem encostar um dedo nesses criminosinhos, vem Direitos Humanos, ECA, Associação dos Gnomos Cantores, tudo pra buzinar e encher o saco, mas cadê esse pessoal quando alguem esta implorando pela vida durante um sequestro? Cadê, quando voce, sob a mira de uma arma, reza para que o que esta sendo levado seja o suficiente para que voce saia vivo do assalto? Negocio é o seguinte, se não mudar, daqui a pouco ate o exercito vai ficar ineficiente. Agora fala serio, voce acha mesmo que cadeia, instituto de recuperação, febem (porque é febem mesmo), consegue mesmo recuperar esse pessoal?
    Responder

    Anônimo
    Pais de menores infratores devem ser punidos pelos atos dos seus filhos. Cadeia para eles e para os filhos tb. Eles botam filho no mundo feito ratos e quer que o governo (= eu,tu,ele, nós, vós e eles)cuide de sua prole. O Legislativo (=políticos) deveria criar uma lei estipulando a quantidade de filhos proporcional à renda dos pais. Dependentes de drogas devem ser internados sob força bruta, não devem ter escolha de internamento. OS bens dos traficantes devem ser confiscados de imediato e este montante arrecadado revertido no tratamento dos usuários. Chega de falácias, precisamos de ação !
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Punir os pais pode ser meio injusto, né?

      Excluir


    2. Ainda não tenho motivos para duvidar de que : CRIANÇA, SINTOMA DOS PAIS.Daí não achar injusto se punir a causa.Desta forma, os pais iriam se sentir obrigados a educar os filhos(com medo da prisão) .Concordo com a concepção que Jacques Lacan elabora:" o sintoma da criança se encontra no lugar de responder àquilo que há de sintomático na estrutura familiar"

      A posição da criança é sintomática. Ora, o sintoma não é doença. Onde, então, se
      encontra a doença, causa do sintoma da criança? Evidentemente na "estrutura familiar". Mas
      quem constitui essa estrutura? Obviamente os pais que a
      priori
      a fundaram como marido e
      mulher, senão como genitores. Conclusão: o lugar do sintoma é a criança e o lugar da doença
      (causa) está nos pais. Disso decorre , em psicanálise, e com evidência, que são os pais que precisam ser tratados e ou punidos.Temos então que a criança (o ser humano) é determinada pelo discurso parental.De minha parte, não tenho dúvida.Em nível de psiquismo, vejo muito
      (o caráter, principalmente) do meu pai e de minha mãe.O desejo da mãe, como qualquer desejo, terá sempre uma falta, não fosse senão a intenção de
      ter gerado o filho. Mas é isso que pesa, pois trata-se de um sujeito! O filho vem então como
      "preenchimento" dessa falta. O que, sabemos, será sempre uma leda ilusão. Mas pelo fato de
      ser inconsciente nem por isso essa ilusão deixará de ter na prática maiores ou menores
      conseqüências. Tudo depende da estrutura do desejo da mãe. Inclusive a geração de um filho
      normativizado. Se essa estrutura for perversa ou psicótica as conseqüências para o filho serão
      mais pesadas, senão drásticas. Maud Mannoni diz que é preciso três gerações para produzir
      um filho psicótico. O mesmo, sabemos pela clínica, se pode dizer de um sujeito perverso.
      Em "Os Complexos Familiares"
      Lacan insiste: "Entre todos os grupos humanos, a família
      desempenha um papel primordial na transmissão da cultura... a família prevalece na primeira educação, na
      repressão das pulsões, na aquisição da língua acertadamente chamada materna. Com isso,
      ela preside os processos fundamentais do desenvolvimento psíquico, preside essa organização
      das emoções segundo tipos condicionados pelo meio ambiente, que é a base dos sentimentos
      ; mais amplamente, ela transmite estruturas de comportamento e de
      representação cujo jogo ultrapassa os limites da consciência. Ela estabelece desse modo,
      entre as gerações, uma continuidade psíquica cuja causalidade é de ordem mental".


      Que será dessa geração onde a função paterna pouco se faz presente ou está simplesmente
      ausente? A provável delinquência, a não ser que a sorte ajude.Toda paternidade (ou maternidade) tem de ser responsável, pois trata-se da felicidade ou
      infelicidade de um ser humano inocente, radicalmente incapaz de traçar o destino de seu
      desejo.
      Se não bastasse...notamos uma certa imaturidade prolongada no homem pós-moderno a ponto de ter-se-lhe
      atribuído o termo adultescente(ridículo, né?).Daí a falta de modelo para os filhos ser mera consequência,... dando mais chance ao azar.
      Marcos Lúcio

      Excluir
    3. NÃO SENHOR, HÁ PAIS QUE EDUCAM E DÃO AMOR AO FILHOS, MAS ELES SIMPLESMENTE NÃO CORRESPONDEM AOS ESFORÇOS DOS PAIS. E TAMBEM NÃO SE ESQUEÇA QUE O ESTADO BRASILEIRO DESTRUIU A AUTORIDADE PATERNA, OLHA O ECA E OUTRAS ABOBRINHAS DO GENERO...

      Excluir
    4. Um lembrete:as duas opiniões do meu primeiro post(senta lá Cláudia e Anônimo), não são minhas...foram copiadas de um sítio da internet.
      M.L.

      Excluir
    5. Sr. anônimo...tomara que isto exista...eu desconheço.Só acreditaria nestes pais que "educam", e dão "amor" aos filhos e estes "ingratos" não correspondem...se os ingratos concordassem que os pais são estas maravilhosas criaturas. Hum...a forma de educar e dar amor, dependendo de quem o faz, pode estar completamente equivocada. Não basta a intenção, os pais têm de perguntar sinceramente aos filhos se a forma de educar e dar amor está sendo entendida e sentida.

      Excluir
  9. A grande questao eh quando o delinquente for nosso filho...

    ResponderExcluir
  10. Prezado Marcelo, pegando carona em pequeno trecho do que você mesmo escreveu:
    "A redução da maioridade pode até servir para que jovens tarados, cruéis, sem respeito pela vida humana e pervertidos fiquem longe do convívio social, o que pouparia muitas vidas".

    Pronto, já está justificado. O resto infelizmente não será cuidado pelas mazelas e incompetências do nosso país.
    Mas a questão é que alguém tem que fazer alguma coisa.
    Sou do tempo em que se você não reagisse, não havia perigo...

    LC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É , essas mortes sem reação são difíceis de digerir.

      Excluir
  11. Eu defendo, sim, a redução da maioridade penal nos casos de homicídio, estupro ou qualquer outro crime violento, nos moldes de como é na Inglaterra e vários outros países (como pode ser visto neste link => http://ow.ly/kUmGC). Eu deixaria de fora casos de furto e talvez um primeiro caso de assalto. Uma reincidência, no entanto, já não o protegeria mais.

    Que isso vá impedir outros menores de cometerem crimes não vai, mas vai punir aqueles que já cometeram. Porque matar e estuprar não é simplesmente um ato ilícito, como um roubo...é um crime. E como tal deve ser julgado, mesmo porque qualquer garoto ou garota de 13, 14 anos de hoje em dia sabe muito bem o que está fazendo. Até mais jovem. Eles sabem o que é matar ou estuprar. E se cometem estes crimes não podem dizer que não sabiam o que estavam fazendo.

    Cito um caso que aconteceu com a filha de um ex-empregada: a garota tinha 13 anos e estava dando em cima de um rapaz. De tanto ficar em cima do cara ele acabou cedendo e transou com a guria. Depois de um tempo ela aparece grávida e a mãe, desesperada, vai na polícia e diz que o cara tinha seduzido a filha dela, que era menor. A polícia foi no trabalho do cara conversar com ele e o coitado, desesperado, diz que jamais poderia imaginar que ela só tivesse 13 anos, pois a garota é alta e tem corpo de mulher (e tem mesmo). Depois de tudo isso ainda foi se descobrir que o filho que ela estava esperando era de um terceiro. Ou seja: vai dizer que ela não sabia o que era transar? Só porque tinha 13 anos?

    Outra coisa que eu sou a favor nos casos de estupro é a castração química para o estuprador, pois um dia esse cara sai da cadeia e dificilmente uma criatura dessas se regenera, como é pra lá de sabido. Então não se tira o direito à vida dele, mas se tira a principal arma que ele tem.

    Eu era muito defensora dos direitos humanos, mas hoje em dia eu acho que respeitamos além da conta os direitos humanos do crimoso e muito pouco os direitos humanos das vítimas.

    Antes de terminar, gostaria de fazer uma observação: algo que agrava e muito a crueldade dos crimes que vêm sendo cometidos é o fato destes menores estarem todos drogados, porque de cara limpa fica mais difícil. E se conseguissem cometer os crimes de cara limpa, aí mesmo é que a pena deveria triplicar, teriam boas chances de serem psicopatas e pra esses pena perpétua é pouco - já que eles têm plena noção do que estão fazendo e punição é uma coisa que não os assusta. (aliás, pra quem quiser conhecer melhor a mente de um psicopata - que pode ser o cara que trabalha ao teu lado - eu sugiro a leitura desta brilhante matéria feita pela revista Superinteressante: http://ow.ly/kUscJ).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O típico caso da filha da empregada com o filho do patrão!!!

      Excluir
  12. Alguem me esclarece o pq desse numero magico ser o 18 ???
    E sera q existe mesmo esse numero magico ???
    A idade cronologica nao representa tanta coisa assim, em se falando de crime, os fatos são o que realmente importa...

    Torelly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Torelly,

      sugiro que você leia o documento da Unicef de 2007 para entender porque o número 18 não é mágico, mas baseado em argumentos antropológicos e sociológicos.
      Espero contribuir para o debate e evitar que as exceções sejam tratadas como regra.

      Saudações,

      Wanda Rodrigues (educadora)

      Excluir
  13. E como tambem ja foi dito aqui, vao continuar ocorrendo, independentemente de o destino ser a cadeia ou a fundacao casa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas se não houver cadeia ou a fundação, isolando grande parte destes monstrinhos, o número de psicopatas ou delinquentes ultrapassará o limite do intolerável, em progressão perversamente geométrica.Um estuprador ou assassino na cadeia é um a menos para barbarizar e faz, sim, alguma diferença, embora não resolva o problema cuja origem se assenta mais nas inúmeras reproduções irresponsáveis.É preciso colocar um limite nesta proliferação e/ou perpetuação da pobreza, um celeiro para delinquência posto que as oportunidades de melhoria praticamente não existem, conceitualmente.Concordo com quem disse que os pais, principalmente dos delinquentes riquinhos, devem pagar, com prisão, pelos crimes dos filhotes.

      Excluir
  14. Mas concordo com vc, estão confundindo causa com efeito.
    Mas infelizmente parece q ja estamos num caminho sem volta e o salve-se quem puder ja virou regra

    Torelly

    ResponderExcluir
  15. Atualmente no Brasil, existe uma estranha cultura de bastardia voluntariosa. Os adolescentes vivem vidas completamente desregradas, certamente por terem nascido em núcleos familiares desprovidos de valores morais. Há no Brasil varias gerações de seres que nasceram de aventuras irresponsáveis e cresceram dentro de um padrão de comportamento que objetiva apenas a satisfação dos apetites mais imediatos do corpo (comer, beber, dormir, transar, etc.). Quem mora na periferia de grandes cidades, pode observar que a iniciação sexual se dá em idade muito baixa, meninas de doze anos já se tornam mães, e tudo ganha contornos de total naturalidade, principalmente quando os pais biológicos também menores de idade seguem seu curso de irresponsabilidades jogando bola na rua, soltando pipas em cima da laje, sem qualquer preocupação com o fato de serem pais e as meninas a seu turno, entregam os filhos aos pais que os criam como se fossem seus próprios filhos. A “cultura” funk, apregoa esses valores constantemente em seus poemas que incentivam a pratica do sexo da forma mais vulgar e bestial entre a garotada que adotou esta manifestação cultural como padrão de comportamento. Portanto, este negocio de pensão alimentícia é coisa de classe média mesmo, pois o que teriam os pais dos filhos das meninas das periferias a oferecer à suas famílias senão apenas a sua pessoa para se tornarem mais uma boca a sustentar pelos avós daqueles pobres bastardos.

    REPUBLICANDO & O PROBLEMA SÓ PIORANDO...

    ResponderExcluir
  16. Esse número mágico 18 que Torelly menciona deve ser por que com 18 anos o jovem se alista nas forças armadas e por conseguinte já tem maturidade suficiente para dirigir, votar e responder pelos seus atos civil e criminalmente.

    Cury

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cury,

      leia minha resposta para o Torelly.

      Atenciosamente,

      Wanda Rodrigues

      Excluir
  17. Olá, Marcelo!

    Muito oportuno seu texto.
    Envio para seus leitores o endereço de um documento da Unicef (de 2007) para que possamos sair da discussão rasteira e pensarmos em alternativas mais coerentes e factíveis, respeitando os direitos de todos, tanto vítimas quanto infratores. Afinal ainda não atingimos a barbárie!
    http://www.mpdft.gov.br/portal/pdf/unidades/promotorias/pdij/Diversos/estudo_idade_penal_completo.pdf

    Um abraço fraterno de sua leitora assídua e grande admiradora,

    Wanda Rodrigues

    ResponderExcluir
  18. Todos nos sentimos lisongeados pela consideracao da missivista ao classificar nossas mensagens como "discussao rasteira".

    ResponderExcluir
  19. Cara Wanda Educadora Rodriguez
    carissima...

    O direito do infrator ja esta assegurado, é o de infringir.
    Ah, e de infligir tambem...
    O direito da UNICEF é o doce direito de opinar, opinar discorrendo com bastante elegancia sobre Piaget, Montessori etc, e nos ensinando em como tocar o nosso País e nossas vidas, isso a muita distancia, certo...
    E quanto a nós, os rasteiros, parece que pela cabeça dos antropologos & sociologos temos de nos resignar a sermos, mortos, assaltados, estuprados, incendiados, torturados, aterrorizados etc, etc, pelo simples fato de isso ser a excecao e nao a regra.
    Grande consolo senhora educadora...
    Não consigo deixar de achar vergonhoso como certas pessoas querem bancar a avestruz e nao satisfeitos com isso tambem querem obrigar o resto do mundo a serem assim.
    Quem já passou dos 4o, sabe na propria carne o quanto nosso País regrediu na qualidade de vida em virtude da violencia urbana, violencia urbana que so se instalou em nossas cidades devido a frouxidão da moral e dos costumes, violencia essa que foi importada, imposta a nós justamente por esses "genios" da UNICEF e seus lacaios.
    Ah claro, as feministas e outros do genero, vão me chamar de machao antiquado isso e aquilo, mas como diz a propria Biblia, cegos condutores de cegos.
    Só posso terminar dizendo que sei q essa discursao toda é esteril e que a coisa so vai mudar, mudar mesmo, para aqueles que pararem de escrever aqui por tombarem vitimas de algum marginal (vai fazer diferença se ele é menor ou nao?)...
    De todo jeito sempre aprecio o embate das ideias.

    Torelly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, Torelly!

      Tanto você quanto o Alexandre Clístenes me entenderam muito mal. Em nenhum momento desejei me colocar como dona da verdade. Se me identifiquei como educadora, não foi por vaidade, mas para tentar explicar os meus motivos para combater a redução da maioridade penal.
      Me perdoe, sou já de alguma idade (56 anos) e às vezes cometo o pecado de achar que, como professora, posso dar alguns conselhos à juventude (vício da profissão e da idade).

      Me desculpem, mesmo. Respeito muito a opinião de vocês e espero terminar por aqui nossas diferenças.

      Um abraço fraterno,

      Wanda Rodrigues

      Excluir
    2. Ta tranquilo Wanda, aqui neste espaço livre que o Mestre da comunicação Marcelo Migliaccio nos proporciona, somos todos iguais.
      Eu mesmo poderia alegar um doutorado e mestrado nisso e naquilo, mas que diferença faria? Aqui somos todos basicamente o mesmo, simples internautas, nossas ideias sao nossas credenciais...

      E la nave va...

      Excluir
  20. Que fotografia legal esta de hoje.

    Lembrei de mim...

    Parabéns!

    Andrea

    ResponderExcluir
  21. Tudo em ordem Wanda.
    Bom domingo a todos.

    ResponderExcluir
  22. Muita coisa precisa mudar...
    http://www.youtube.com/watch?v=KTWc3Eo_CpI

    Abs,

    ResponderExcluir
  23. Todos devem ter acompanhado neste fim de semana o caso do menino de tres anos que agrediu violentamente um filhote de cachorro. Incentivado pela mae que dizia em alto e bom som que todo cachorro deveria apanhar desse jeito, se nada for feito, daqui a algum tempo ele se tornara um agressor contumaz, primeiramente de animais, e mais tarde de outros de sua propria especie. Nao seria o caso de diminuir a maioridade penal para tres anos, cortando o mal pela raiz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que ele não agrediu a mãe que se faz merecedora.Cavaco não voa longe do pau e nem fruto dá longe da árvore.Ele será mais um monstrinho criado pela monstrona mãe, evidentemente e salve-se quem puder, se puder!!!

      Excluir
    2. AS MULHERES SÃO MUITO MAIS SENSÍVEIS QUE OS HOMENS

      Excluir
  24. Já está na hora do Brasil abaixar a menoridade, e implantar a pena de morte para casos de alta piroculosidade e a prisão perpétua.

    ResponderExcluir
  25. Desculpa pelo termo menoridade, corrigindo: é maioridade penal!!

    ResponderExcluir