Translate

domingo, 12 de julho de 2015

A grande dama

Foto: Marcelo Migliaccio


Taí um inseto diferente. Não se mistura com os outros, está sempre sozinha, geralmente num lugar bonito, a bater seus dois pares de asas sobre um lago ou riacho.

Não é repugnante como as moscas e as baratas.

Não machuca como as abelhas e os marimbondos.

Não enche o saco como os pernilongos.

Nem transmite doenças como o mosquito da dengue ou aquele outro da malária, ou ainda o da doença de chagas. Como tem mau elemento nessa área...

A borboleta é só um rostinho bonito, quer dizer, uma asinha bonita.  E, mesmo assim, só depois da segunda plástica...

A cigarra, deus me livre, quem gosta de mulher histérica?

Não vou nem falar da pulga que é sacanagem. É chutar cachorro morto.

Libélula é a grande dama, esguia, elegante, na dela, incapaz de nos importunar. Talvez por isso, por pura inveja, não seja badalada, não esteja nas manchetes. Dizem que Deus não deu asa a cobra, mas Ele também não deu mídia à libélula. Seria até covardia.

Por isso ela está por aí desde o Paleozóico sem o devido reconhecimento. Na época da ditadura, chegou a ser investigada por uma deduzível ligação com a organização de esquerda Libelu (Liberdade e Luta), mas logo viram que ela não tinha nada a ver. Sábia, a libélula nunca se manifestou publicamente sobre política.

Veja as formigas, por exemplo: estão por toda parte, são figurinhas fáceis, arroz de festa maior não há. Para onde se olha, tem uma formiga. A libélula nunca foi marqueteira assim, nunca quis essa fama  fácil. Nem tem assessor de imprensa...

A libélula é inacessível. Tem 30 mil olhos e, ao menor sinal de assédio, é capaz de fugir a 85 km/h. É ruim de conseguir um selfie com ela.

Quando eu era pequeno e vi uma libélula pela primeira vez, minha mãe apontou e disse:

_ Olha ali um helicóptero miniatura!

E eu fiquei encantado com aquilo. Imagine só: um mini helicóptero voando sobre um mini oceano. A libélula ainda tem mais essa qualidade: é capaz de encantar as crianças.

Por isso este líbelo à libélula!

Foto: Marcelo Migliaccio

2 comentários: