Translate

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Zôo ilógico


_ Trata-se de alguma brincadeira, excelência?

Subitamente, o burburinho na sala de audiências cessou. Pela primeira vez naquela tarde, o juiz levantava seus olhos do par de lentes que usava na ponta do nariz para ler a interminável papelada. Sem mostrar temor, o advogado que estava diante dele respondeu com segurança.

_ De forma alguma, meritíssimo.

_ Mas o que eu leio aqui na sua petição é que os proponentes são… baleia, hipopótamo, macaco, burro, jegue, asno, jumento, toupeira, anta, vaca, elefante, porco, hiena, veado, cavalo, galinha, perua, piranha, pavão, cobra, gambá, rato, bode, urubu e gorila.

_ Isso mesmo, meritíssimo. O instrumento que vossa excelência tem nas mãos visa impedir que se perpetue uma injustiça caluniosa e injuriosa contra essas espécies de animais.

Todos na grande sala de audiências do fórum prestavam a maior atenção. Advogados, escrivões, secretárias, réus, bombeiros e policiais eram só ouvidos.

_ E que crime grave é esse, excelência? _ perguntou o magistrado com uma ponta de ironia.

_ É que há séculos o ser humano vem usando essas espécies, cujos nomes científicos estão aí listados mais adiante, para depreciar seus semelhantes. Os nomes desses bichos foram transformados em adjetivos que os humanos usam para se agredir.

_ Interessante, inusitado, excelência, continue _ pediu o juiz exibindo seu primeiro sorriso em semanas. Embora fosse um sorriso de deboche, era um sorriso.

_ Veja o porco, por exemplo. Ele não é um animal sujo, pelo menos não é mais sujo que nenhum outro. Quem o coloca num chiqueiro imundo é o seu dono. Mas o porco virou adjetivo para classificar um homem que não gosta de tomar banho.

Alguém gargalhou no fundo da sala, as pessoas cochichavam. O juiz ficou com o rosto vermelho, mas o advogado continuou.

_ E a galinha, excelência, não é promíscua, copula com apenas um galo. Assim como a piranha não cobra por sexo, como as prostitutas das quais virou sinônimo.

_ Vossa excelência sabe como o Judiciário está abarrotado de processos, não sabe?

_ Perfeitamente, meritíssimo.

_ De forma que eu acho um insulto à sociedade entrar com uma petição dessas.

_ Insulto é o que fazem com a baleia, excelência. Ela só se alimenta de peixes, carne branca, nada o dia inteiro, nunca foi sedentária, e no entanto chamam de baleia um ser humano obeso que não pratica exercícios e come compulsivamente alimentos calóricos. O elefante, que vive o mesmo drama, só come salada...

A gargalhada foi geral. Um faxineiro virou para o outro e disse:

_ Aí, Zé Gordo, é contigo!

O juiz pareceu ficar ainda mais impaciente com a diversão geral.

_ Ordem! Ordem! _ bateu com seu martelo na mesa.

_ O urubu não é agourento, a cobra não é traiçoeira, foge ao primeiro sinal de perigo.

Foi quando um militar que aguardada o julgamento de uma outra ação naquela tarde levantou a voz.

_ E os gorilas não torturam nem dão golpes de estado.

Todos aplaudiram. O juiz estava colérico, possesso, parecia que suas roupas estourariam a qualquer momento como as do incrível Hulk.

Uma mulher na primeira fila desceu do salto:

_ A perua não é mais vaidosa do que eu. O touro não é corno e o cavalo é um doce de pessoa...

E o estudante:

_ Rato rouba no máximo um pedacinho de queijo, não dá defalques de milhões no dinheiro público!

Mais risos.

_ Um gambá toma mais banho que o meu cunhado _ insuflou um gaiato lá do fundo.

_ SILÊNCIO! SILÊNCIO!

O juiz esperou o último resquício do vozerio se apagar e olhou o advogado com gravidade:

_ Vossa excelência acredita mesmo no valor dessa causa?

_ Com todo respeito, meritíssimo, gostaria que fosse criada uma jurisprudência em respeito aos animais.

_ Pois então vossa excelência terá muito tempo para confabular com seus clientes, porque eu o condeno a 30 dias de prisão...

E continuou quase aos berros para não ser abafado pelos comentários gerais de reprovação da platéia.

_ … 30 dias de prisão numa jaula do jardim zoológico municipal. Sem direito a fiança! Para deixar de ser burro e não me aparecer mais aqui com asneiras.


Foto: Marcelo Migliaccio
Pobre vaca, que nada tem de vadia











* Inspirado em uma conversa com o amigo Davis




9 comentários:

  1. RISOS, MUITOS RISOS.

    Aguardemos a resposta que os requerentes darão ao MM juiz, porque a literatura e o cinema nos servem enquanto veículos de vingança contra o animal racional.

    Orwell é expoente máximo, num outro contexto, claro. Mas, certa forma, há uma dose de "revolução" no seu texto.

    Se bem que o magistrado foi mais cruel com o Lobão!

















    ResponderExcluir

  2. Realmente é ilógico ou preconceituoso e não só com a vaca, que nada tem de vadia - e se fosse problema ou solução dela somente, né?

    Desde que me percebi menos infantil, e quando mais adulto mais evidente ficou... a injustiça contra os animais, ao "humanizarem" estúpida e equivocadamente suas características.De todos o que primeiro despertou minha discordância, foi a galinha que levou a fama que pertence ao galo, este sim, promíscuo na "visão" moralista ou hipócrita principalmente dos tarados disfarçados rs. Há dois erros de digitação no seu divertido e oportuno texto. O correto é escrivães e abafado.

    Para fazermos as pazes com os bichos rsrs, reproduzo parte de um estudo feito pelo Dr. Valter Barros Moura, psicanalista clínico pela Sociedade Psicanalítica Ortodoxa do Brasil e Mestre em Administração com ênfase no Comportamento do Consumidor, Psicologia e Gestão de Pessoas, etc. sobre os significados psicanalíticos, arquetípicos (mitos e primais)destes seres perfeitos, afinal, imperfeitos somos nós, os (des)humanos...indiscutivelmente.


    Mitos, Arquétipos e Primais


    Alegria e beleza é a mensagem do Beija-flor.
    Ao pairar no ar suas asas formam o símbolo do infinito: o Oito. Esse é um alerta para que não estejamos parados no tempo, lamentando o passado ou esperançosos demais pelo futuro e nos esqueçamos de degustar o presente.

    Graça e compromisso interior: símbolos do Cisne.
    A natureza ilusória das primeiras aparências nos lembra que a verdadeira beleza cresce e vem de dentro. O Cisne nos ensina que todos nós temos a graça e a beleza interior, e isso tem a ver com nossa autoestima.

    Viver em harmonia: esta é a mensagem do Macaco.
    Quando o Macaco escolhe seu eleito, traz a mensagem de que ele deve estar e entrar em harmonia consigo mesmo. Sem ter uma posição egoísta, esse Animal de Poder mostra a importância da vida perante a nós mesmos.

    Transmutação de energias é o símbolo do Sapo.
    Os laços ancestrais comuns ao homem com todo o seu Ciclo da Vida representa este primal, considerado como “cantor das antigas canções” de Gaia porque celebra o início do mais primitivo elemento e estado ancestral do homem, ou seja, o aquoso.

    Cavalo e Pégaso reúnem lealdade, liberdade e amor.
    Cavalo e Pegaso são símbolos do poder que surge quando abrimos nossos corações para os outros, com espírito de compaixão e amor e partilhamos os nossos próprios dons com as nossas comunidades.

    Cervos simbolizam o poder da gentileza e gratidão.
    Veados , Cervos ou Alces nos lembram a honrarmos e respeitarmos a inocência da nossa Criança Interior, para que assim possamos levar a vida com gratidão e o coração aberto.
    Eles nos mostram como são primais poderosos para se ter um comportamento gentil, para exercer a observação aguçada e a sensibilidade.Este Animal de Poder é o portador sagrado da paz e mostra às pessoas como é possível abrir seus corações e amar incondicionalmente
    Símbolo da autoestima o Alce nos dá coragem.

    Aranha mostra quem tece a realidade: somos nós!
    Ela nos lembra que somos nós quem tecemos nossas próprias realidades. E no tecido da vida, nós é que nos responsabilizamos pelos resultados de nossas atitudes e ações.

    Nas sombras do agora, foco é a exigência do Tigre.
    Ele exige que seus eleitos limpem a mente de toda e qualquer distração, soberba ou vaidade para se conectarem com sua energia e estejam totalmente focados no agora, no momento presente.

    Semear, colher e distribuir são símbolos do Esquilo.
    Há outra mensagem metafórica embutida nos atos dos Esquilos, a qual nos lembra para que sejamos conscientes de que as sementes que plantarmos em nossas próprias vidas, como eles, nós certamente colheremos os resultados reciprocamente.
    Abraço
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí se vê como tudo é questão de ponto de vista e de estado de espírito. Abraço

      Excluir
  3. Só não foi falado sobre o tucano, que é um pássaro muito tranquilo, mas mesmo assim serve de mascote para um bando de politicos malas. Micliaccio comece uma campanha para mudar isso. que o PSDB seja proibido de usar o Tucano, que arrume outra forma de se mostrar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O PSDB tinha que adotar o picapau, ô gente cara de pau...

      Excluir
  4. Excelente reflexão de como o ser humano se acha o máximo. Já imaginou se por acaso outra civilização chamasse seus compatriotas de "humanos" no sentido pejorativo ? Não deixa de ser um exercício de imaginação...rs
    Faz lembrar uma frase,não sei se do Barão de Itararé:"Quem é mais porco? O porco ou o homem que come o porco?".

    ResponderExcluir
  5. Esse texto me fez lembrar trecho de duas músicas:
    Eu queria ser civilizado como os animais...(O Progresso)
    Bico calado, o homem vem ai (Passaredo)

    Raríssimas vezes assisto uma tourada, mas estarei sempre torcendo pelo touro.

    Cury

    ResponderExcluir