Translate

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Vivemos uma pandemia de Carlos Imperiais

O documentário sobre Carlos Imperial é bem interessante apesar do pouco destaque dado à sua fase política e da omissão da paixão pelo Botafogo, clube do qual foi até dirigente. As imagens de suas pornochanchadas, as lembranças das mentiras que contava, as provas de sua personalidade vingativa e os depoimentos impressionantes dos filhos valem o ingresso.

Foi bom rever imagens do programa que ele apresentou na TV Tupi no final dos anos 70. Sábado à noite, exibia cantores do segundo time da era brasileira das discotecas. Dudu França, que aparece no documentário denunciando o roubo de suas músicas por Imperial, era um dos astros. Morador da Urca e sem mais nada para fazer no limbo dos meus 14 anos, eu às vezes ficava no auditório. Quando Sidney Magal aparecia, a mulherada ia ao delírio... no final, Imperial ia embora no seu Ford Del Rey conversível.

Imperial se destacava três décadas atrás por ser o mau caráter declarado. Havia muitos pilantras mas ele era um dos raros que não tinha vergonha de assumir a canalhice.

Hoje, Imperial seria apenas mais um na multidão de traíras que não têm preocupação alguma em esconder o que são.

Eles estão por toda parte. Vivemos uma pandemia de Carlos Imperiais.

Temos até um deles presidindo a Câmara dos Deputados...


2 comentários:

  1. Uma imagem do Carlos Imperial que jamais saiu de minha cabeça:
    Era o casamento de minha amiga Mônica com o Marco Imperial, seu pai entrou na Igreja descalço, isso mesmo descalço !!!
    Não sabíamos se olhávamos para os noivos ou para o Carlos Imperial descalço;
    Durante semanas, o assunto do galera era essa cena esdrúxula e inesquecível dele.
    O casamento não vingou, mas o fruto deles é a lindíssima Stephania.
    Cury

    ResponderExcluir
  2. Verdade. Isso me faz lembrar seu comentario afirmando que o suborno (a tentativa de suborno) de politicos da oposicao, para passar projetos sociais, era valido...

    ResponderExcluir