Translate

domingo, 5 de janeiro de 2014

Cinema Paradiso cearense

Acho o cearense o povo mais inteligente do país. Esse filme é uma prova disso. É exceção entre tantas comédias sem graça que andam por aí. Quem puder ver, não perca.


3 comentários:

  1. Vou aproveitar a dica e assisti-lo durante a semana, está passando no estação Botafogo, assisti uma estranha amizade no mesmo lugar.
    Quando era pequeno ouvia sempre alguém dizer que o cearense é o judeu brasileiro.

    Com a Morte de Nelson Ned, fiz uma viagem pelas músicas antigas, e me diverti muito com Bilu tetéia, o Telefone chora, Não se vá, Farofa fa fa, etc...

    Cury.

    ResponderExcluir
  2. Josilesvenia Frogosó6 de janeiro de 2014 17:01

    E Francisgleydisson criou em plena década de 70 o cinema 3D.

    Tivesse a chancela da Globo Filmes certamente desbancaria a mãe barraqueira e o gordinho escandaloso.

    Se aqui no sul foi exibido somente nas salas de menor porte, exibição tipo relâmpago, terá ficado mais tempo em cartaz nos cinemas da terra natal do diretor Helder Gomes? Dos 184 municípios, apenas 5 possuem cinema. Uma matéria do ano passado do jornal Tribuna do Ceará, informa que o número subiu para 6.

    Talvez os prefeitos dos municípios de lá ainda priorizem a inauguração de bancos de praça.

    Assistam! A dica é como um golpe na " pleura central da peridural"

    ResponderExcluir
  3. O primeiro, e talvez mais grave problema de Cine Holliúdy diz respeito a sua montagem completamente errática ou praticamente inexistente, já que pode ser comparada a qualquer edição empregada em programas como Zorra Total, que abusam da repetição e artificialidade
    com personagens excessivamente rasos ou caricaturais ou popularescos a fim de forçar o riso infantilóide ou facílimo em quem assiste.Só que excessos , além de pura apelação, camuflam a vacuidade de talento.É louvável o argumento de um homem apaixonado por cinema que tenta mantê-lo vivo no interior de um Ceará dos anos 70, quando ocorre a chegada da televisão (ela deixou "todos" alienados/burros demais), que quase levou a sétima arte à falência. O amor do rapaz por aquela forma de cultura, auxiliado pelo carisma excepcional de Edmilson Filho, é deveras interessante e até mesmo emocionante, sendo, claro, um ponto positivo.Cine Holliúdy peca por se prender em excesso a inúmeras gags que mais lembram a bobajada dos quadros de um A Praça É Nossa ou os Trapalhões.Já figurino e maquiagem acabam sendo tão erráticos quanto o restante da obra, pois se aqui acertam nas roupas e feições mais simples ou coloridas dos protagonistas, ali erram ao produzir uma figura como a do pastor , p.ex., com sua cabeleira falsa e barba excessiva.Sou muito mais Brasil que Itália, mas assista Cinema Paradiso (dos mais belos filmes realizados) e compare esta arte indiscutível com este nosso produto cinematográfico -puro entretenimento apelativo-cuja história tem potencial- sem dúvida-, mas que não passa de leite em um pires raso, de tão superficial que é sua exploração.Gosto não se discute, respeita-se ou lamenta-se.Logicamente a maioria a quem qualquer prazer sempre diverte, vai adorar.Bom proveito, então.

    ResponderExcluir