Translate

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Metrô caipira

O traçado anunciado para o novo trecho do metrô do Rio, rumo à Barra da Tijuca, é mais uma prova do elitismo escancarado do atual governo estadual e de seu absoluto fracasso no que se refere aos transportes de massa.

Em vez de seguir por Botafogo até a Gávea, como seria mais lógico e econômico, o traçado passa por Ipanema e Leblon. As ruas Mena Barreto, São Clemente e Jardim Botânico continuarão portanto engarrafadas, assim como a orla da Lagoa por aquele lado.

Enquanto isso, vão amontoar estações próximas e supérfluas nas Praças Nossa Senhora da Paz e Antero de Quental, além de macular o Jardim de Alah com uma outra. Um crime. Bom, mas pra quem já destruiu o Maracanã e o bondinho de Santa Teresa, um Jardim de Alah a menos não é nada...

Eu não sei por que essa veneração por Ipanema e Leblon. Parece que o prefeito e o governador são caipriras... deslumbrados com as novelas do Manoel Carlos...

O metrô deveria avançar até o Leblon depois, devagar...

Que fixação em babar o ovo desses bairros, que exercem um fascínio inexplicável sobre os caipiras, principalmente os caipiras cariocas. E o pior é que as estações Cantagalo e General Osório vão ficar fechadas por oito meses! Ou seja, querem puxar o saco dos moradores mas acabam prejudicando.

De minha parte, acho o Leblon super deprê. Todo mundo na rua se acha protagonista da novela das oito, inclusive os mendigos. Em Ipanema, você acha até um ou outro que aceita ser coadjuvante, mas, mesmo assim, só presta a parte que vai da General Osório, incluindo o Morro do Galo, até o início de Copacabana, bairro onde a coisa, de fato, fica boa.


Praia de Ipanema/Foto: Marcelo Migliaccio
Ipanema vista do alto do Pavão-Pavãozinho

12 comentários:

  1. Eu não espero nada diferente desse governador global, é notório que ele só trabalha para os mais abastados, infelizmente.
    Cury

    ResponderExcluir
  2. "... , principalmente os caipiras cariocas". O triplo uso da palavra "caipira" foi bem adequada: estamos, os cariocas, nos tornando cada vez mais uns caipirões! Reparo isso nos meios de transporte, nas salas de espetáculos, lojas etc. Além da caipiragem, confunde-se o comportamento doméstico com o público. Frequentar ambientes públicos tem se tornado um estorvo. Marco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Marco. No cinema é que se vê como o povo, a classe média carioca, está cada vez mais mal educada...

      Excluir
  3. boa marcelo,sou nascido no leblon,hoje moro em santos,mas meu velho pai ainda mora lá,portanto, estou sempre por aí.sempre falo para os amigos, que o meu outrora aprazível bairro hoje está infestado de gente metida a besta,reacionária e leitora de veja e globo.até o bracarense,que há 30anos atrás,sob a batuta do grande armando, era um bar simples hoje está totalmente dominado por este tipo de gente.saudações tricolores!roberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações tricolores, apesar de termos trocado o técnico mais inteligente do Brasil pelo menos inteligente...

      Excluir
    2. é verdade,está difícil aturar o abelanta.roberto

      Excluir
  4. e ai marcelo! não sou morador nem do leblon nem de ipanema, sou de botafogo, mas acredito que essa estrategia do governo em mudar o traçado das linhas de metrô não tenha a ver com elitismo. Sou um dos que menos gosta de Cabral e Paes, mas me pareceu que essa mudança visou a evitar causar transtornos nas regiões de tráfego intenso da lagoa, jardim botânico e humaitá( o que na minha opinião é errado. Se fosse necessário piorar o trânsito ali por determinado período para construir metro valeria a pena, afinal não se faz omelete sem se quebrar alguns ovos) o que causaria grandes perdas de votos para ambos gestores já que muitos comentariam " olhe lá, esse prefeito não faz nada e ainda instaura o caos na cidade" ou " pra que esse metrô? so ta servindo para transtornar mias o que ja era ruim". Mero jogo político burro essa mudança do traçado, mas não creio em elitismo até porque a associação dos 2 bairros litoraneos está reclamando muito e fazendo de tudo para travar o inicio dessas obras( inclusive ja busacaram um adepto da causa que lhes pudesse ajudar, um promotor) alegando que vai causar grandes danos e bla bla ao bairro, provavelmente, assim como os moradores de higienópolis em São Paulo capital que usavam de argumentações como essas para mascarar o que, na verdade, é o "incômodo" que o maior fluxo de pessoas vindas de todos os lugares, pessoas "diferenciadas" nas ruas e nas praias "deles", vai causar em suas vidas. Abraço, Artur

    ResponderExcluir
  5. Tim Maia sabiamente dizia:
    "Este país não pode dar certo.Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme,traficante se vicia e pobre é de direita."

    Cury

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Cury, acho que o "pobre é de direita" foi por sua conta, mas ficou ótimo o adendo!

      Excluir
  6. Simplesmente uma grande sacada do blogueiro, assim como a do Cury, sobre os pobres de direita: "De minha parte, acho o Leblon super deprê. Todo mundo na rua se acha protagonista da novela das oito, inclusive os mendigos"

    Adoooro um sarcasmo. Quanto ao Leblon, com seus habitantes "se sentindo" protagonistas de novela, para mim que tenho ojeriza por tv, fica impraticável. Não por despeito ou inveja. Ainda que eu ganhasse um apartamento lá, vendê-lo-ia (só um mesoclítico nas horas mais "complexas", digamos assim...) e iria morar em outra freguesia, ou até, quem sabe, circar em outro terreiro.
    Certamente não suportaria um Leblon provinciano, direitista e caipira.

    ResponderExcluir
  7. Enquanto o metro corre rumo errado, o pessoal que usa a "super(?)via" segue apanhando sempre que um trem para no meio do caminho e eles reclamam... Pobre tem que sofrer calado??

    ResponderExcluir
  8. O traçado do metrô é mal feito e planejado desde os primórdios: não há metrô na Leopoldina, Rodoviária Novo Rio, Praça XV, etc. começaram fazendo errado na década de 1970 e seguem errando até hoje.

    ResponderExcluir