Translate

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Nas nuvens


Se um dia nunca nasce igual ao outro,
por que acordamos sempre os mesmos?

3 comentários:

  1. Por que o medo de encarar quem verdadeiramente somos, nos aprisiona na máscara que forjamos para nos proteger. Melhor viver no casulo que encarar as adversidades lá de fora. Soma-se a isto, o fato de não estarmos acostumados com sutilezas. A mudança só é percebida quando grandiosa e revolucionária.

    A foto do céu de pássaros (pena que tirou) trouxe uma sensação boa, de leveza, que até me lembrei do Quintana:

    O bicho,
    Quando quer fugr dos outros,
    Faz um buraco na terra.

    O homem,
    para fugir de si,
    fez um buraco no céu.

    ResponderExcluir
  2. Marcelo vale lembrar da vista do parque da cidade de niterói, que apesar de não ser ao nível do mar tem, certamente, a mais bela vista do rio de janeiro, inclusive com os 4 referidos pontos, vale conferir! Abraço, Artur.P

    ResponderExcluir
  3. Gostaria muito de ter, entre os leitores do Alma Lavada, este Anônimo cujo comentário até me insirou. O convite está feito: apareça por lá e comente. Ao Marcelo, digo que discordo mais uma vez: nós não acordamos sempre os mesmos. Quem pensa está em constante mutação.

    ResponderExcluir