Translate

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

O lado bom da vida

Você deve estar se perguntando: por que esse cara foi pra São Paulo no carnaval se tem um olhar tão crítico sobre a cidade?

Porque São Paulo no feriado é um barato. É outra cidade. É a mesma, mas é outra. São Paulo de folga é um convite ao desconhecido.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Com suas praças e parques que são sempre oásis para pensar no meio do caos do dia a dia.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Onde se pode observar os detalhes 

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

E a imponência da natureza oprimida entre os prédios

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

E que prédios estranhos...

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Queria saber como colocaram essa casa em cima desse edifício...

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

No feriado, dá pra ver bem a mão do homem através dos tempos...

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Sempre poética...

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Mesmo em tempos cruéis.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Poesia em ferro e concreto...

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

... na cidade que trata mal os nordestinos encantados com o viaduto do Chá.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

E diante da qual japoneses que cruzaram o mundo se curvam

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

São Paulo é assim: mar de gente até num feriado quando se trata de consumir.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

A São Paulo que faz o homem engraxar seus sapatos...

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Também lhe oferece um piano para tocar na estação de trem.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

São Paulo tem cachorro quente à vontade, coisa que o Rio não tem.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

São Paulo tem fartura no colorido mercado municipal.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Na mesa das cantinas italianas

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Nas feiras de antiguidades.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

Aliás, andaime aqui é coisa do passado. Limpa-se os prédios fazendo rapel.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

São Paulo, onde os skatistas que desafiam os milhões de carros.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

São Paulo é São Paulo.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

E merece uma rosa.

São Paulo/Foto: Marcelo Migliaccio

30 comentários:

  1. Imagens lindamente captadas pelo grande, observador e curioso jornalista, confesso que bateu saudades, sou filho de paulista e cearense, e optei por morar em Fortaleza, e nos feriados longos custumava visitar São Paulo.
    um abraço,
    Padua Pedroza

    ResponderExcluir
  2. Show de Fotos da maior cidade da América do sul. Eu vivi minha infância numa cidade paulista chamada Presidente Prudente, próxima ao Mato Grosso. Tenho carinho pela gigante paulista e o interior.
    Sergio.

    ResponderExcluir
  3. Como a vida não reume-se aos feriados, não viveria em SP, por grana nenhuma. Ontem, a cidade parecia Atlântida, totalmente submersa, menos a bandidagem, que continua com suas terríveis ações, ceifando vidas em todas as classes sociais, faixas etárias e etnias.
    SP, definitivamente, tô fora.

    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
  4. Fotos para lá de poeticamente parabenizáveis...uma outra São Paulo, melhor, digamos assim...
    Esta ediSAMPA está supimpa.

    Recordar alguns dos inspiradíssimos versos de SAMPA, do genial Caê,é oportuno, suponho.

    "E quem vem de outro sonho feliz de cidade
    Aprende depressa a chamar-te de realidade
    Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso
    (...)
    Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
    Mais possível novo quilombo de Zumbi
    E os novos baianos passeiam na tua garoa
    E novos baianos te podem curtir numa boa"
    Marcos Lúcio.

    ResponderExcluir
  5. O mais deplorável em SP, é forma como alguns grupos daquela cidade relacionam-se com as minorias. Agridem, psicológica e fisicamente, ás vezes, até a morte, minorias, como nordestinos, negros e sobretudo, homossexuais. Pertencer a um desses grupos na terra da garoa, é correr risco de morte. Como citei em postagem anterior, estive lá por diversas vezes, sempre por razãoes estritamente profissionais.

    Viver ou fazer turismo em SP, reitero: Tô fora.

    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas as críticas e todos os elogios feitos a São Paulo aqui são pertinentes. Agradeço a todos.

      Excluir
    2. O sr. Antônio Carlos lembrou do fato mais desumano e/ou deplorável da cidade: "Agridem, psicológica e fisicamente, ás vezes, até a morte, minorias, como nordestinos, negros e sobretudo, homossexuais". Infelizmente em outros estados também, em menor escala ou mais camufladamente, com os preconceitos embrulhados para presente, digamos assim...(menos mal e longe de ser o ideal: direitos e deveres iguais para qualquer cidadão). E o pior de tudo é que não há escapatória para os cidadãos que compõem estes universos determinísticos, com suas cadeias causais e respectivos imperativos biológicos.Estas diferenciações ou "minorias" só enriquecem e fertilizam a evidente diversidade de que se compõe a natureza.
      Para esta mesma natureza inexiste um ex-nordestino, um ex-negro ,ou um ex-homossexual, da mesma forma como é impossível para qualquer humano escolher ser uma destas "minorias". Simplesmente se constata, se reconhece e nada mais.
      Abraço
      Marcos Lúcio

      Excluir
  6. Finalmente vc se curvou perante São Paulo. Uma cidade cosmopolita avançada, onde tudo acontece. Melhor que São Paulo, só Nova Yorque! Yves Rangel.

    ResponderExcluir
  7. Ja foi dito por muitos aqui que a cidade tem qualidades, mas querer negar os inumeros defeitos de Sampa eh no minimo estar cego pelo bairrismo exarcebado. Nao custa lembrar o forte desejo separatista desde a decada de trinta, tipico de quem se acha melhor do que os outros. E este desejo se confunde com o preconceito em relacao as minorias tambem ja bastante citado aqui, assim como o apoio a governos esdruxulos (Maluf, Pita, Janio, Kassab) e pior ainda, o apoio a atitudes como o massacre do Carandiru e a recente desocupacao do Pinheirinho. Sao Paulo pode ser uma das maiores metropolis do Mundo mas esta longe de oferecer a qualidade de vida que se espera de uma grande cidade.

    ResponderExcluir
  8. Um movimento separatista ocorre por diferentes fatores mas o que ocorreu em SP foi diferente: Comecou em 1930 quando Washington Luis, tendo o apoio de 17 estados contra 3, lancou Julio Prestes para a presidencia, contrariando o acordo conhecido como "cafe com leite" onde a presidencia era ocupada por um paulista, sucedida por um mineiro, sucedida por um paulista num moto continuo. Seria a vez de um mineiro e isso foi o estopim para que esses 3 estados que ficaram contra, apoiassem Getulio Vargas. Julio Prestes levou a presidencia com mais de 90% dos votos e o resultado foi o golpe que colocou Vargas na presidencia. Com Vargas veio o governo "provisorio" que se tornou uma ditadura.

    Em 1932 eclodiu a revolucao constitucionalista que NAO visava a independencia do estado mas sim exigir uma nova constituicao e o com ela, o fim da ditadura do governo provisorio. Outros estados apoiaram SP que acabou sendo traido, devido acordos com Vargas. Dos 3 estados que apoiariam SP apenas o atual Mato Grosso do Sul manteve a uniao. Rio Grande do Sul e Minas Gerais trairam SP.

    Entre os paulistas revolucionarios surgiu um grupo que pregava uma republica soberana (para SP) ou a formacao de uma federacao onde os estados soberanos. Algo como uma confederacao. Entre os que pensavam assim estava Monteiro Lobato.

    Deu no que deu. SP perdeu mas por consequencia dessa luta onde foi massacrado, conseguiu a nova constituicao, a de 1934.

    Mas que fique claro: Nao foi uma revolucao separatista mas sim uma revolta contra um governo ilegitimo e totalitario e tenho orgulho em saber que meu avo materno pegou em armas e bravamente lutou por esses ideais!

    ResponderExcluir
  9. Grande Monteiro Lobato alem de separatista tambem reconhecido mais recentemente como racista. Qualquer movimento que tenha como objetivo separar o Pais, como vemos algumas vezes nos estados sulistas deve ser execrado independentemente das justificativas. Normalmente sao movimentos orquestrados por elites dominantes que se acham melhores que o restante da populacao e por esse motivo nao merecem creditos.

    ResponderExcluir
  10. Lobato foi um entre alguns que, aproveitando o momento, formou um pequeno grupo que pregava a independencia; a soberania de SP. Isso foi um fato menor, quase insignificante, no meio de uma revolucao contra um governo totalitario. SP nao queria ser uma nacao! Mas, aproveitando da existencia desse grupo, criaram a falsa ideia de uma revolucao separatista. Tao irreal como a tentativa de dar ao saudoso Brizola o titulo de incendiario...

    NAO foi uma revolucao separatista. Foi uma revolucao contra o estado totalitario: a ditadura Vargas.

    Movimentos separatistas ocorreram no Brasil colonia e durante o imperio: Inconfidencia Mineira (MG), Guerra dos Farrapos (RS), Sabinada (BA), Confederacao do Equador (PE), Revolta Praieira (PE), etc.

    ResponderExcluir
  11. O fato de apenas parte do movimento ter sido separatista, como o proprio missivista afirmou, nao absolve parte dos paulistas que desejavam a separacao. E basta uma pesquisa rapida por la para atestar que muitos ainda hoje desejariam que isso acontecesse. Obviamente sao os mesmos que discriminam as minorias, e voce pode ate nao acreditar, mas que eles existem existem...

    ResponderExcluir
  12. Nao houve "parte do movimento ter sido separatista". Ocorreu, sim, que um grupelho com ideias separatistas aproveitou da revolucao para tentar crescer essa ideia esdruxula. E os vencedores usaram isso para pinchar a revolucao como "movimento separatista", o que eh uma grande mentira.
    A revolucao de 32 foi um movimento historico, impar, relevante, democratico. A data, 9 de julho, passou a ser fereiado estadual eh eh o feriado mais importante do estado.

    Discriminacao, hoje, existe em todos os lugares mas, sem duvida, eh bem forte em SP. Quem discrimina nao eh paulista, gaucho, baiano, acreano. Quem discrimina eh um idiota! um fraco, pobre de espirito! Felizmente existem leis e estamos vendo muitos babacas se ferrando e, quando vejo isso, acho otimo!

    ResponderExcluir
  13. Em relacao a parte final do texto sobre discriminacao concordamos plenamente. Dai a querer negar que Monteiro Lobato e outros "paulistas" renomados nao eram separatistas eh tentar colocar panos quentes na historia do Pais. Tanto isso eh verdade que eh justamente nesta data que o movimento republica de Sao Paulo (MRSP) assumidamente separatista, faz suas manifestacoes pela separacao de Sao Paulo. Seria coincidencia???

    ResponderExcluir
  14. Nao estou negando a existencia de um sentimento separatista em SP, bem como nao poderia negar o mesmo em relacao a outros estados mas nao eh disso que estou tratando neste debate. O que disse e digo eh que a revolucao de 32 ocorreu por outro motivo. Ela nao nasceu de um sentimento separatista; ela nao foi uma revolucao separatista. Esse "titulo" erroneo foi dado pela parte vitoriosa no conflito. Foi pura propaganda enganosa. Uma mentira na tentativa de diminuir o fato.

    No meio de um dos meus comentarios escrevi sobre o movimento separatista mas apenas para concordar que isso exista (e existe, se bem que restrito a alguns gatos pingados acefalos) e nao para afirmar que esse foi o motivo da revolucao de 32. Nao foi!

    Assim como a parte vencedora passou a chamar a revolucao de 32 como movimento separatista, gatos pingados acefalos, que ainda hoje seguem procriando, acharam por bem usar a data para fazer manifestacoes sem sentido que so serve para sujar a revolucao de 32.


    ResponderExcluir
  15. A história não é uma ciência exata e portanto, um mesmo fato histórico possui diversas interpretações motivadas por questões políticas, pessoas, ou sentimentais como no caso do nobre missivista. No caso da revolução separatista de 32, o que chama a atenção é o fato da de São Paulo comandar a república por décadas sem se preocupar com questões democráticas, mas assim que um outro setor da elite dominante do País dá um golpe os paulistas se tornam, a partir de então democratas extremamente preocupados com a constituição? A constituição neste caso foi apenas um álibi para a perda da liderança nacional e ponto. Se fosse o caso, este mesmo ideal deveria ter aflorado em 37 quando Getulio instituiu o estado novo, mas como houve várias benesses getulistas para São Paulo, tornaram-se menos esfuziantes os ideais democráticos paulistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A revolucao constitucinalista de 32 nao teve intencao separatista.

      Excluir
    2. Como diz o velho ditado: De boa intenção o inferno está cheio rsrsrs...

      Excluir
    3. O Zé Dirceu só depois que morrer, mas o Monteiro Lobato e todos aqueles que defenderam o separatismo em 1932 certamente já ocuparam seu espaço. Mas não se preocupe, o diabo tem chifre e casco bifurcado, portanto é herbívoro e não come carne!

      Excluir
    4. Com ou sem o Lobato, o Dirceu, o diabo vegetariano, o fato eh que a revolucao de 32 nao foi um movimento separatista.

      Excluir
  16. O estranho prédio parece uma mistura de Torre de Pisa com Balança Mas ñ Cai da Praça XI. Drum

    ResponderExcluir
  17. So mesmo quem acredita no diabo pode acreditar que o levante de 32 nao foi uma reacao a perda do poder da elite paulista, que como consequencia criou o movimento separatista de Sao Paulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A revolucao de 32 NAo foi uma revolucao separatista. Um movimento separatista existia, obvio, mas a Revolucao de 1932 NAO foi criada por esse movimento. A Revolucao de 32 ocorreu por outras causas mas NAO devido ao movimento separatista. Afirmar que a Revolucao de 32 foi separatista seria o mesmo que afirmar que a 2a. grande guerra foi motivada por odio racial, o que -sabemos- nao eh verdade. O povo judeu foi vitima da guerra mas nao a causa!

      Excluir
  18. Uma revolucao ocorre quando o poder muda de maos. No caso de 32 tinhamos a luta de uma elite contra a outra que se rebelaram por diputa de poder. Entao no maximo o que tivemos foi um levante que se travestia de constitucionalista ate que Getulio comecou a distribuir benesses e o movimento recrudesceu. Tinhamos nauqele momentos disputa por poder e o argumento forte que perdura ate hoje que Sao Paulo produzia muito e recebia pouco da uniao e que portanto ficaria melhor sozinho. Se isso nao for um desejo separatista entao...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado. Uma revolucao ocorre na tentativa de tirar alguem do poder."Mudar de maos" eh uma consequencia a partir de uma vitoria.

      A revolucao de 32 foi uma resposta ao golpe de 1930 onde Vargas (que havia perdido a eleicao), tomando o poder via esse golpe, havia anulado a constituicao que existia e centralizou o poder em suas maos alem de acabar com o legislativo. Fui um golpe contra a democracia. Centralizou o poder e passou a nomear interventores em todos os escaloes. Foi contra isso, que voce insiste em chamar de "movimento separatista" o motivo da revolucao de 32.

      Mas, por mais que possamos escrever sobre o assunto em momento algum ira ocorrer uma mudanca na sua e, menos ainda, na minha concepcao sobre o tema. Assim, da minha parte (sem a necessidade do "intervencionismo Migliacciano"), dou o debate como encerrado passando a voce as ultimas palavras.

      Excluir
  19. Obrigado pelo privilegio, mas Revolucao segundo o Aurelio significa mudanca profunda ou completa, coisa que nao aconteceria de forma alguma qualquer que fosse o resultado do levante de 32. Como eu disse antes, historia nao eh ciencia exata e portanto sempre havera mais de uma interpretacao, e a minha e de muitos historiadores que conheco eh que foi um movimento separatista. Aproveito a oportunidade para parabenizar a forma sensata como o Marcelo administra o blog, sem precisar de palpites para isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que chegaram a um acordo sobre seu desacordo. Posto isto, caso encerrado... espero

      Excluir