Translate

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

De Woody Allen, só quero os filmes

As acusações da filha adotiva de Woody Allen deram um nó nas cabeças da intelectualidade mundial. Até a pseudo-intelectualidade ficou boquiaberta, com cara de boba, que o que ela é. Como poderia o cineasta responsável por tantos grandes filmes abusar da própria filha adotiva? E, então, os que sempre se deleitaram com as comédias inteligentes e sensíveis de Allen ficam confusos. Serei eu um monstro por gostar dos filmes desse suposto pedófilo?

O advogado de Allen (não o cineasta) veio a público desmentir. Ok, sabemos que advogados falam qualquer coisa desde que recebam seus honorários. E Allen parece não estar nem um pouco a fim de enfrentar o batalhão de repórteres sedentos para arrancar seu coro numa entrevista coletiva. Eu também não estaria, mesmo que isso custasse minha reputação.

Dias depois, o filho adotivo de Allen e Mia Forrow, Moses, hoje com 36 anos e irmão da denunciante, disse que "é óbvio" que o cineasta não cometeu o abuso.

Sejam ou não verdadeiras as acusações, eu não estou nem aí. Vou continuar vendo os filmes de Woody Allen, embora jamais, por via das dúvidas, deixasse uma filha pequena aos seus cuidados. Sabe como é, nada pessoal, mas seguro morreu de velho...

Uma das poucas coisas que aprendi na vida é que uma coisa é o homem, outra é sua obra.

Seja ele político, artista, intelectual ou jogador de futebol, é bom que separemos as duas coisas.

Dizem que Charles Chaplin era um chato de galocha no convívio pessoal. Mas foi o maior ator cômico de todos os tempos. E Pelé? Só fala besteira há quatro décadas, mas em campo ninguém fará o que ele fez. Maradona já mostrou ser um mal educado irascível. E, no entanto, aquela perna esquerda é mágica.

Na política também é assim. Todos erram, até aquele que menos erra...

Michael Jackson devorava criancinhas? Ok, prefiro vê-lo cantar e dançar. Da mesma forma, não me interessa o discurso de Caetano Veloso, só suas músicas.

Albert Einsten era um carrasco com a mulher… tudo é relativo, diria o físico em sua própria defesa.

Exemplos não faltam de gênios grandes demais para caber em seres humanos.

Agora mesmo, Philip Seymour Hoffman ficou com a heroína num final de filme infeliz. Para a História, permanecerão as cenas que ele tão bem protagonizou.

Não quero saber da vida particular dessa turma. Se cometerem crimes, a polícia que os prenda. Na ribalta, pecados maiores são incompetência e oportunismo comercial.

Em vez de atirar pedras e de comprar as revistas de fofoca para descobrir os podres das verdadeiras celebridades (porque há os genéricos), prefiro vê-las fazendo aquilo que sabem melhor, que encanta e dignifica a Humanidade.

11 comentários:

  1. Ontem comentei com os amigos esse caso antigo, que voltou a tona agora.
    Dei o exemplo do meu vizinho que sempre bate na mulher, esse covarde lancha todo dia no armazém perto de casa, uns falaram que o dono do armazém na deveria mais atendê-lo, eu disse que uma coisa não tem nada a ver com a outra, ele deveria é ser denunciado.

    Como pode o gênio de Hannah e Suas Irmãs, acabar sendo acusado pela própria família por ser
    mau exemplo de marido e pai.

    Mas o que importa é sua vasta obra, o problema familiar dele deve ser resolvido pela justiça.
    .
    Cury

    ResponderExcluir
  2. E se fosse o Lula que tivesse 82 e a namorada 36 anos? Será que seria tudo tão normal e legal?

    ResponderExcluir
  3. E aí Marcelo , já desertou a primeira médica CUBANA .... mais virão .... ninguém quer voltar para aquela ilha prisão .... fala tú agora ??? kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma desertou? E quantos não desertaram? Gozado, não vi nenhuma reportagem sobre o atendimento feito pelos cubanos e a satisfação da população. Bastou uma deserção para a imprensa fazer a festa. E tem sempre a massa de manobra que embarca na onda. Como você, sargento. Ah, tá na hora do Jornal Nacional, vai lá assistir.

      Excluir
    2. Sgto.Pinto,no Brasil existem 7.400 médicos cubanos, quantos pediram asilo ??
      Cristo tinha 12 apóstolos,1 o traiu, será que o projeto de Cristo foi abalado por um traidor ??
      Então podemos dizer como nos quarteis :"Serviço (cubano) sem alteração"
      Cury

      Excluir
    3. E como sempre, a médica conseguiu "amigos" muito rápido. Engraçado como o caso foi parar na mídia muito rápido e sua fuga, logo para Brasília. Como a médica entrou em contato com o Deputado do DEM?

      Excluir
    4. Pontualíssimo, sr. Cury. Irretocável.
      Marcos Lúcio

      Excluir
    5. Idem, para o sr. Felipe
      M.L.

      Excluir
  4. "Uma desertou? E quantos não desertaram?" [2]

    Variação da hilário-trágica '25% de não adesão' ao projeto da prefeitura de Sampa na cracolândia. Escancaradamente sonegação da verdadeira informação: 75% de adesão.

    Drum

    ResponderExcluir
  5. "Uma das poucas coisas que aprendi na vida é que uma coisa é o homem, outra é sua obra".Aliás, o verdadadeiro artista é como se fosse um "cavalo" ou um aparelho que recebesse o "santo" da arte, que como tal, é sempre sagrada.O artista não é dono de si nem de sua arte ao fazê-la. Ele cria, mas não possui.
    A forma do observador participar da arte é envolver-se emocionalmente e interpretar da sua maneira própria, de acordo com seu interior, e sua sensibilidade . E todas as interpretações podem ser verdadeiras .E cada um vê o que quer ou pode ver (capacitação ou potencialidade). Não há uma verdade absoluta. Nunca há uma verdade absoluta...a não ser que todos nós vivos, vamos morrer, inexoravelmente.
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  6. Marcelão, reparei uma coisa hoje e não é mania de perseguição. Quando se refere ao mensalão de Brasília, se fala mensalão petista, já o mensalão do PSDB de minas, se fala mensalão mineiro. Deveria ser mensalão tucano, correto? O mais incrível e que nesse caso, o divulgado é o individuo, o partido fica praticamente imune.

    ResponderExcluir