Translate

domingo, 27 de novembro de 2016

Primavera vermelha

Era uma vez a primavera vermelha. Alegria, respeito, democracia, pluralidade, comida no prato, casa própria, luz e dignidade pra quem sempre foi escravo. O povo feliz disse sim quatro vezes para a estação das flores. O inverno cinzento queria voltar mas as pessoas não deixavam. 

Aí, os barões, os donos da terra, tentaram acabar com a primavera. A pretexto de arrancar algumas flores mortas, transformaram todo o vale fértil numa floresta de ervas daninhas. Puro egoísmo. Eles precisam de uma paisagem triste. De nada valem seus carrões blindados se não há um menino miserável fazendo malabarismo no sinal.  


Mas o dinheiro não consegue mudar a natureza. Não para sempre. Nem com a ajuda dos que se mantiveram indiferentes à grande festa de cores e de fertilidade e dos que detestam o perfume da harmonia.

E um dia a primavera voltará. 


Rindo das pernas curtas da mentira, para alegria dos que amam a festa das cores.

Foto: Marcelo Migliaccio

6 comentários:

  1. Respostas
    1. "Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade" - Miguel de Cervantes em Dom Quixote

      Excluir
  2. A natureza é mais poderosa que a tênue vontade do homem.

    ResponderExcluir
  3. Os barões arrancaram as lindas flores que o povo estava colhendo, mas eles esqueceram que muitas sementes ficaram na terra e um dia vai florescer novamente, e com mais força.

    Fidel, sua morte biológica jamais apagara você do coração do seu povo e admiradores.
    A Morte errou ao levar Fidel, que estava encomendado era o Michel.

    Cury

    ResponderExcluir
  4. Beleza mano...seu recado , poeticamente, foi bem dado.
    Lembrei-me: " Podes cortar todas as flores mas não podes impedir a Primavera de aparecer".
    Pablo Neruda

    ResponderExcluir