Translate

terça-feira, 26 de julho de 2016

Estado de sítio olímpico

Uma beleza, o Rio olímpico, estou me sentindo tão seguro quanto um israelense.

Foto: Marcelo Migliaccio

Com tantas forças de segurança nas ruas, são inevitáveis as lembranças de um tempo sombrio, tempo de golpe militar...

Hoje, o golpe é civil mesmo.

v

Mas o bom humor dos nativos sobrevive. Mesmo em época de crise, sempre é tempo de amar. Inclusive com promoções na subida do Vidigal!


Foto: Marcelo Migliaccio

O que será que o carioca deve estar pensando ao ver todo esse aparato na Zona Sul apenas no período da Olimpíada. Talvez ache que, para as autoridades, só a vida do turista tem importância. 

Foto: Marcelo Migliaccio

O metrô até a Barra está pronto, dizem, mas é só para a "família olímpica" usar. A força tarefa da limpeza encontra-se a postos para uma cruzada na Lagoa. Nenhuma sujeirinha nas raias do remo é a ordem do prefeito.


Foto: Marcelo Migliaccio

No último sábado, contei 16 policiais militares na entrada do Pavão-Pavãozinho, praticamente separando o morro de Copacabana. Claro, nem todo mundo está contente com esse estado de sítio.


Foto: Marcelo Migliaccio












3 comentários:

  1. Para os cariocas, essa será uma olimpiada (piada mesmo).
    Bem faz alguns países que não querem olimpíadas nem copa do mundo em seu território.
    Cury

    ResponderExcluir
  2. Não me situo, nem me cumplicio, com nenhum estado de sítio, muito menos olímpico. O único Olímpico que mexeu , desajeitada e bizarramente com meus brios rs...foi o "parceiro" de Macabeá, no livro inesquecível e emblemático: "A hora da estrela" da genial e minha preferida escritora Clarice Lispector.

    ResponderExcluir
  3. É um golpe verdadeiramente olímpico e o principal derrotado todos já sabem quem é: O Povo brasileiro.

    ResponderExcluir