Translate

terça-feira, 19 de abril de 2016

O (d)efeito Bolsonaro

Meu dentista se entusiasma:

_ Voto em Jair Bolsonaro seja qual for o cargo a que ele se candidatar. Presidente, governador, prefeito, síndico do meu prédio, presidente do Botafogo!

Preocupado com a onda de assaltos próximo ao seu trabalho, o rapaz de pouco mais de 20 anos, gay, revela seu próximo voto:

_ Jair Bolsonaro.

O rapaz também é negro, ou seja, está em duas listas de extermínio.

Mais do que responsabilizar judicialmente o homem que homenageou no plenário da Câmara o torturador Brilhante Ustra, é importante investigar o fascínio que esse deputado de extrema direita exerce sobre fatia cada vez maior da população do Rio de Janeiro. Vivemos um tempo de ódio, não só na política, também no trânsito, nas relações de trabalho, nos jogos de futebol, nos bares e baladas. Tudo é motivo para o insulto, para a agressão física.

Na Universidade Federal Fluminense e no não menos tradicional Colégio Pedro II, alunas fazem manifestação contra os frequentes casos de estupro. O estarrecedor é que elas acusam seus próprios colegas pelos crimes. O ódio está no ar.

Da boca dos deputados evangélicos surgiram algumas das acusações mais virulentas na votação do impeachment. O presidente da Câmara age com ódio revanchista pouco se importando com o futuro da nação. O juiz do STF e o promotor da Lava-Jato não se envergonham de colocar sua ira acima das leis.

Bolsonaro, a cada aparição, afronta mais radicalmente o bom senso e a convivência humana. Não sofre sanções e ninguém que deveria puni-lo parece importar-se. Seu comportamento fica, portanto, legitimado aos olhos da crescente parcela fascista da sociedade.

E alguns ingênuos reclamam que há muito ódio no Facebook...

Bolsonaro é o ícone do nosso tempo. Cada vez mais gente se sente representada por ele. É o que assusta, e não o fato de ainda a maioria o odiar.

Qualquer dia, ele vai apresentar um projeto para erguer um monumento ao seu ídolo torturador. É só o que falta.

Foto: Marcelo Migliaccio



11 comentários:

  1. Verdade caro Marcelo. Passei 3 dias exorcizando demônios de jovens aparentemente bem nascidos e portanto injustificável tanta proximidade com violência. Discursos de ódio, minimizando torturas na ditadura. Gente sem sensibilidade alguma. Que só espumam e rosnam. Pavoroso imaginar onde iremos parar desse jeito.

    ResponderExcluir
  2. Sem tomar partido me atrevo a perguntar; se o Brilhante Ustra nunca foi oficialmente condenado e acho q nem mesmo indiciado, como podem punir o Bolsonaro por cita-lo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem oficialmente nem legalmente ele foi citado ou condenado, mas moralmente...
      Cury

      Excluir
  3. O Bolsonazi , se contemporâneo fosse...mandaria matar Cristo, Chico Xavier, etc e todos os espíritos de luz, pois ele é assumidamente das trevas, terrorista, criminoso, racista, misógino, xenófobo, reacionário, nazifascista, truculento, tosco, psicopata, provavavelmente "mal resolvido sexualmente", apologista da tortura, homofóbico, etc., enfim, um explícito pactário do Tinhoso, credo! Só destaquei os aspectos mais "positivos" desta besta do Apocalipse.

    É mais do que um contra-senso que mulheres, negros, gays, nordestinos, intelectuais, pessoas de maior sensibilidade artística, pobres, etc., considerem a possibilidade insana de votar neste monstro .ELE É CRIMINOSO em nível de justiça e não ideologicamente. Tanto que a OAB-RJ VAI PROCESSÁ-LO, POR TAMANHAS ABSURDIDADE E PERVERSIDADE...AINDA BEM!

    Em votação, deputado faz referência ao golpe militar de 1964 e à memória do primeiro militar reconhecido pela Justiça como torturador. Quem elogia crime de tortura ou de lesa humanidade
    ou o incentiva, criminoso é...e quem apóia, idem, simples assim.

    Da redação da Tribuna do Advogado
    12/]11/2008 - Os quatro maiores constitucionalistas brasileiros - Celso Antonio Bandeira de Mello, Fábio Konder Comparato, José Afonso da Silva e Paulo Bonavides - sustentaram de forma unânime, nesta quarta-feira, que não há prescrição para os crimes de tortura cometidos no Brasil durante a ditadura militar (1964-85), respaldando a ação neste sentido ajuizada pelo presidente nacional da OAB, Cezar Britto, no Supremo Tribunal Federal.
    Celso Antonio Bandeira de Mello "O Brasil não entrará no concerto dos países civilizados de verdade, se não responsabilizar os torturadores. Não há prescrição para crime de lesa-humanidade. A tortura é um ato monstruoso. A imagem que faço mentalmente é que o torturador é um demônio disfarçado de ser humano. Temos que responsabilizar duramente as pessoas que torturaram e mataram, porque só assim a sociedade brasileira vai se convencer de que atos dessa indignidade não podem ser reproduzidos nunca mais. Se eles ficam impunes, podemos conviver com o inimigo sem saber.Esse homem se senta ao nosso lado, fala conosco, apertamos-lhe a mão e, na verdade, ele é um monstro, uma fera. Não. Não há prescrição para crimes de lesa-humanidade". Meu pavor maior é com este povo mal formado e mal informado (infelizmente muita gente) que dá respaldo a uma anomalia desta. Hitler começou assim como o "puliçabolsonazi", seduzindo acéfalos ou os sem criticidade, porém, o antecessor tinha mais discrição e inteligência do que o genérico tupiniquim.

    ResponderExcluir
  4. Kkkkkkkkk pois é amiguinho, salta aos olhos q esse teu "tupiniquim" tá cheio de preconceito racial... Fica tambem evidente q vc faz a projeção mental daquilo q vc gostaria q ele fosse. E, q em ultima analize, vc mesmo traz escondido em teu proprio amago. Sem medo e sem odio, pratique a caridade q o teu caminho parece q ainda nem começou...

    ResponderExcluir
  5. kkkkk o Torelly tem toda razão. Vamos praticar a caridade e reconhecer, através do imperdível e necessário e obrigatório video no link abaixo, as maravilhas e benesses e propostas iluminadas deste nobre, civilizado, altruísta e bem resolvido "parlamentar" (pra lamentar rs). Nâo deixem de abrir este video e garanto: ele é mais iluminado kkkk do que o Chico Xavier.

    https://www.youtube.com/watch?v=kxFCH5fN_O4

    Sugestão de quem viu e ouviu, perplexo, as barbaridades medievais que ele vomitou: Tem de ser cassado e isolado, com focinheira, de preferência. É preciso estancar a violência desta besta fera Bolsonazi, credo!


    https://www.youtube.com/watch?v=kxFCH5fN_O4


    BOLSONARO = ADOLF HITLER. Veja e tire suas conclusões!
    www.youtube.com


    OAB classifica como ato abominável citação de torturador por Bolsonaro, denunciando-o por quebra de decoro parlamentar e apologia à tortura. O pedido tem como base a atitude do parlamentar quando da votação - na Câmara - do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

    ResponderExcluir
  6. OAB ? Ah sim, Basta ele pagar q não faltam "advogados" todos OAB, para defende-lo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obviamente que sim, infelizmente, Torelly. Mesmo o Cu-nha (quem tem Cunha, tem medo rs) não vai ser punido, por motivos similares, ou seja, no Patropi, o dinheiro fala mais alto. Se não podemos contar nem com a Justiça Justa...não há solução civilizada.
      Réu no STF, Eduardo Cunha acelera reajuste do Judiciário
      Impacto orçamentário da proposta para 2016 é de R$ 1,160 bilhão
      Jornal do Brasil

      Vetado no ano passado pela presidente Dilma Rousseff como parte do esforço pelo ajuste fiscal, o reajuste salarial do Judiciário ganhou caráter de urgência na Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (28) graças a um esforço do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é réu da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e ocultação de contas no exterior.

      O Plenário da Câmara aprovou, por 277 votos a 4, o pedido de urgência do projeto que aumenta os salários dos servidores do Poder Judiciário (PL 2648/15). A proposta pode ser incluída na pauta a qualquer momento, mas não há previsão de votação. Pelo texto aprovado na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, o reajuste será de aproximadamente 41,47% para os servidores do Judiciário da União. O aumento será dado, de forma escalonada, em oito parcelas, de janeiro de 2016 a julho de 2019.

      >> Sob protestos, Câmara aprova criação das comissões da Mulher e do Idoso

      Plenário da Câmara aprovou pedido de urgência por 277 votos a 4 nesta quinta-feira (28)
      Plenário da Câmara aprovou pedido de urgência por 277 votos a 4 nesta quinta-feira (28)
      O vencimento básico dos cargos de analista, técnico e auxiliar judiciários, por exemplo, terá aumento inicial de 1,5% até chegar a 12%. Já a Gratificação Judiciária, hoje correspondente a 90% do vencimento básico, chegará gradualmente a 140%, em julho de 2019.

      A proposta tem impacto orçamentário para 2016 de R$ 1,160 bilhão. De acordo com o STF, houve negociação com o Executivo para garantir os recursos para o reajuste a partir de 2016, sendo que o impacto financeiro total ocorrerá apenas a partir de 2020.

      Com Agência Câmara

      Excluir
    2. O que espanta não é o alinhamento da sociedade cada vez mais crescente com o Bolsonaro. O que me causa espanto é a tentativa de frustrados e ignorantes que ainda insistem em criticar as pessoas que se identificam com Bolsonaro. Não concordo com tudo que ele diz mas ninguém é perfeito não é mesmo? Esse crescimento dele, principalmente na parcela jovem, é inevitável e causa desespero de vários setores da mídia esquerdista e comprada. Tomara Deus ele seja presidente!

      Excluir
    3. As pessoas se identificam com o Bolsonaro por causa dessa onda de violência que estamos vivendo. E a culpa disso é da direita? Ora, a direita não está no poder faz tempo, mas continuam culpando a mesma. Eu não sou de direita nem de esquerda, não concordo com o que o Bolsonaro fala ou pensa, mas entendo o sentimento de quem o apóia. Treze anos de PT no poder e o que temos é isso que vemos. Vamos dar uma chance ao novo governo. Ajuda se não tentar atrapalhar.

      Excluir