Translate

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Todo jornal me diz que a gente já era

Ontem a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) declarou-se oficialmente a favor do impeachment. A pergunta é se alguém se surpreendeu com isso. Basta lembrar que, em 1989, quando o país se preparava para escolher pelo voto direto seu primeiro presidente depois de 21 anos de ditadura militar, o então presidente dessa entidade, Mario Amato, disse, em tom ameaçador, que se Lula vencesse "800 mil empresários" iriam embora do Brasil. A sinistrose surtiu efeito e o eleito foi Fernando Collor de Mello. Deu no que deu.

Só 12 anos depois, Lula chegou à Presidência. Nenhum empresário se mandou, ao contrário, ficaram aqui e continuaram faturando alto como sempre. Aliás, faturaram como nunca com 20 milhões de pessoas a mais no mercado consumidor. Mesmo assim, a Fiesp suas irmãs _ a Firjan, a CNI, a UDR, a Febraban, a Ambev... _ jamais engoliram o PT. Essas confrarias, donas das terras, dos bancos e dos meios de produção, desde 2002 tentam recolocar a chave do cofre nas mãos de um político amigo, um aliado, um pau mandado. Como nas urnas está difícil, conspiram. Aumentam preços sem precisar, desabastecem, demitem, tudo para que a situação pareça insustentável. Praguejam contra a corrupção embora sempre tenham financiado a eleição de corruptos.

A propaganda por seus canais repetidores diz que o Brasil vai de mal a pior.

E lembro de Raul Seixas...

"Todo jornal que eu leio 
me diz que a gente já era
que já não é mais primavera
oh baby, a gente ainda nem começou..." 

Fala-se muito da parcialidade da mídia, que alardeia aos quatro ventos qualquer ato ilícito cometido no Executivo ao mesmo tempo em que ignora cinicamente as maracutaias dos aliados. Nossa combativa imprensa fecha convenientemente os olhos para os corruptores, os que compram com seus milhões juízes, parlamentares e funcionários públicos.

É um engano, porém, demonizar a mídia, que não existe de fato. A TV que nos embota, embrutece e emburrece diariamente é apenas uma corneta, a corneta dos cartéis, a voz dos donos do mundo. Quem sustenta emissoras de TV, jornais e revistas com seus anúncios é o Itaú, a Volkswagen, a Votorantin, a Vale (que era nossa e, graças a Fernando Henrique Cardoso, agora também é deles)... a grande imprensa é só a caixa de som por onde a confraria dos monopólios faz ecoar sua voz.

Os jornalistas adestrados vivem dizendo que o Estado tem que diminuir, que a solução é privatizar tudo. Cá entre nós, você prefere trabalhar para o governo brasileiro ou para alguém?

Editorialistas de aluguel reproduzem o choro sistemático contra a carga tributária. Só que a cesta básica continuou subindo mesmo com todos os produtos isentos de impostos.

Que moral têm as entidades empresariais para criticar o governo se, apenas em 2013, segundo a Receita Federal, 15 mil empresas sonegaram mais de R$ 2 bilhões em impostos? Por falar nisso, por que a Operação Zelotes da Polícia Federal para prender sonegadores e fiscais corruptos nunca sai nos jornais?

O Brasil sempre foi um país de donos. Primeiro eram os índios, os donos da terra. Aí, chegaram os portugueses, donos das armas, dos escravos, dos espelhinhos. Viraram donos do ouro e da papelada que lhes garantia todo o resto. Seus filhos, netos, bisnetos e tataranetos estão aí até hoje, passando de mão em mão as terras e os meios de produção. Nós? Nós aqui olhando e trabalhando para eles para não morrer de fome ou de frio ao relento.

_ Sim senhor, patrão...

Olha, eu não sou comunista não, tá? Detesto ditaduras. Meu time é Lei Vale Para Todos Futebol Clube.

Que o empresariado, acumulador por natureza, queira derrubar o governo que mais distribuiu renda na História, a gente até entende. Mas que um bando de idiotas embarque nessa com eles achando que a corrupção vai acabar quando Dilma cair é difícil aceitar.


Foto: Marcelo Migliaccio

PS: Ressalvas honrosas para a entidades patronais Anfavea e a Abimaq, que se posicionaram contra o golpe do impeachment.

2 comentários:

  1. Marcelo, você citou Raul e eu lembrei-me da música Comportamento Geral
    do Gonzaguinha (Você deve rezar pelo bem do patrão
    e esquecer que está desempregado).
    Uma pena que um pais abençoado por Deus como o nosso tenha esses gananciosos empresários, banqueiros, políticos etc...
    Cury

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez atirou no que viu e acertou no que não viu, também.Acertos totais. Infelizmente, esta absurdidade é uma lastimável verdade : "Mas que um bando de idiotas embarque nessa com eles achando que a corrupção vai acabar quando Dilma cair é difícil aceitar". Sim, os idiotas - verdadeiros analfabetos políticos "y otras cositas más"- estão estimulados pela midia golpista que despeja, na cachola rasa desta gente, diuturnamente, detritos como inverdades, ameaças, medos, canalhices e toda sorte de baixaria para que pensem ser o pt o único partido corrupto e o único demônio tupiniquim. Sinto asco ou pena destes midiotas que atrapalham a vida dos demais, os menos midiotizados rs.

    ResponderExcluir