Translate

segunda-feira, 2 de março de 2015

Overdose de vodca


Impressionante o enfoque enviesado da mídia nas reportagens sobre a festa em Bauru em que um jovem morreu de overdose de vodca e outros três foram internados em estado grave. O culto ao álcool, incentivado no Brasil desde a mais tenra idade com esse festival de publicidade na TV, não foi sequer mencionado, claro. O problema, para os telejornais, é que a festa não tinha alvará nem estrutura para socorro. Vê se pode? 

E que os milhões da Ambev e dos fabricantes de destilados continuem entrando nos cofres das emissoras, patrocinando programas esportivos etc. 

Não sou a favor da proibição de nenhuma droga, nenhuma, nem do álcool, que está entre as mais pesadas. Quem quiser usar, que use, cada um sabe de si. Mas sou contra qualquer tipo de publicidade de substância psicoativa, e a do álcool, como é feita no Brasil, é criminosa.

Esse projeto que em breve tornará crime a venda para menores só vai inaugurar uma nova prateleira nas bocas de fumo. As que vão vender bebida alcoólica a menores.

E a curiosidade continuará a ser aguçada, desde cedo, pela babá eletrônica.

4 comentários:

  1. Alcool e cigarro matam mais que a maconha. À meu ver o cigarro é a pior droga, pois mata também o passivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matam mais porque são drogas legalizadas, o que faz com que mais gente faça uso. Libere a maconha, libere a propaganda que você vai ver aumentar exponencialmente o número de usuários, aumentando o número de mortes comparáveis ao cigarro e ao álcool. A seu ver, que você não viu , é que o álcool também mata terceiros, o passivo, e mata muito, ou você acha que um só sujeito bêbado, o bebedor ativo, que pega o volante de um carro e provoca um acidente com mortes é a única vítima?

      Excluir
  2. É impressionante quando ando de madrugada em São Gonçalo, onde eu moro. Adolescentes de 12, 13, ,14 anos em diante , com garrafas de whiskie , vodka, big Apple entre outras, vagando pela noite, dirigindo ao ritmo de músicas no talo do volante. E nada é comentado, discutido, fiscalizado ou punido.

    ResponderExcluir
  3. Noves fora a criminosa e imperdoável propaganda...gostaria de saber que tipo de pais têm estes adolescentes alcoolizados. Pais ausentes, no mínimo , "y otras cositas más", com todo "respeito".

    ResponderExcluir