Translate

domingo, 5 de outubro de 2014

Um dia lindo de eleição

Foto: Marcelo Migliaccio

11 comentários:

  1. Espero que saibamos aproveitar esse dia lindo para votarmos em quem possa fazer todos os dias serem lindos o ano todo.
    Gosto de votar em mulheres, porque são muito competentes e honestas, como disse frei Betto: Em denúncias de corrupção, raramente aparece o nome de uma mulher,
    Cury

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Marcelo!

    Como sempre, acho este um momento solene: me visto bem; preparo lanche para os mesários e vou a pé admirando o belo dia (sempre dá um belo dia!) e a nossa vitória sobre os dias obscuros em que não votávamos com liberdade. Felicite-nos pelas lutas que permitiram este momento.
    Que você tenha um lindo dia, também!
    Abraços fraternos,
    Wanda Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria ser mesário lá onde você vota. Tenha um bom domingo!

      Excluir
  3. Boa tarde Marcelo,
    Dia lindo mesmo! Temos mesmo que comemorar a liberdade pra votar.
    Saí bem contente de casa, mas acabei brigando no local de votação, porque constatei algumas pequenas irregularidades.
    Mas enfim, sinto vontade de agradecer a você Marcelo, por seus textos tão coerentes e significativos. E por sua poesia que comparece nas fotos, nas linhas, e nas entrelinhas.

    Bjs,
    Um bom domingo pra todos nós e que a noite nos traga ótimas notícias.

    Sandra

    ResponderExcluir
  4. Mauro Pires de Amorim.

    Sei que alguns e algumas vão execrar o que vou dizer, mas nossa democracia deveria ser mais do que ter que escolher entre péssimos candidatos(as) e menos péssimos candidatos(as).
    Acho todos(as) ruins. Os debates eleitorais mais parecem briga em reunião de condomínio com todos usando seu tempo para falar mal e atacar uns aos outros. Vão concorrer a síndicos do Brasil para receber em troca o quê? Isenção de condomínio? Claro que não! O concurso para a presidência envolve cifras bilionárias.
    A verdade é que os candidatos e candidatas péssimos porque os partidos políticos são péssimos, afinal, são os partidos que escolhem e dão aval aos seus candidatos e precisam amadurecer e evoluir muito enquanto instituições. Nossa democracia é incipiente e ainda está engatinhando nesses últimos 25 anos. Mas é esse o ritmo do passo da história no Brasil. Modorrento, desleixado.
    Partidos Políticos brasileiros vivem de marketing e consequentemente seus candidatos(as) também. Propostas de governo e projetos políticos quase não existem, são feitos conforme os interesses do momento das alianças, dos clubinhos prives político-partidários e palacianos e são fora da realidade das necessidades, direitos, prioridades pétreas e passos históricos necessários para se construir um futuro melhor para gerações atuais e futuras. Propostas políticas e projetos de governo viram produto de venda de imagem e conceitos estapafúrdios e dissociados da realidade nacional.
    E para piorar, eleitores de determinadas regiões do país votam em candidatos(as) daquela região por acreditarem que beneficiarão aquela região. Ledo engano, como produto de marketing hedonista, candidatos(as) beneficiarão a si e sua turma, seu clubinho prive. Achar que um(a) presidente da república, senador, deputado federal, deputado estadual, governador tem que voltar-se somente para um bairrismo de sua localidade é algo de mentalidade feudal. Mas partidos políticos brasileiros e candidatos(as) enquanto produto de marketing são a expressão do feudalismo da propaganda e do marketing político brasileiro, pois voltam-se para beneficiarem seu clubinho prive, seus nobres aliados. Pensam de maneira mais fechada ainda do que os bairristas regionalistas, pois sua confraria de alianças partidárias possui a mentalidade secreta e incestuosa dos pactos feitos para se tomar o Estado de assalto e locupletar-se do poder em seu proveito exclusivista. Essa é a capitania democrática brasileira.
    Felicidades e boas energias.

    ResponderExcluir
  5. Caro Mauro,

    é claro que você não será execrado, ao menos por mim.
    Quando digo, ou melhor, escrevo, que este é um belo dia dia é porque somente votei para presidente quando tinha 32 anos.
    É claro que não considero o dia de eleição como "uma festa da democracia", mas fico pensando em todos nós que sofremos para que isto acontecesse.
    É claro que desejo uma sociedade muito, mas muito, melhor que esta que temos. E continuo lutando nos fóruns mais avançados para que meu sonho se realize.
    Que bom poder contar com pessoas como você que se não se satisfazem com o que conseguimos e têm energia para continuar nossa luta.
    Um grande abraço dialético,

    Wanda Rodrigues

    ResponderExcluir
  6. Saldo positivo por um lado: a messiânica/fundamentalista/fanática Mentirina Silva, pelos próximos 4 anos não desgovernará o país e nem a sua insuportável voz teremos de ouvir, "vezenquando".

    Confesso que, desconfiado e cético, amparado pelo "pessimismo da razão"... pois os políticos são e refletem o povo, quase sempre, e, igualmente amparado pelo "otimismo da vontade", torci arodorosamente para que você acertasse no vaticínio que aqui repito:

    "Sexta-feira, 22 de agosto de 2014
    A eleição acabou

    Lindberg vai ganhar a eleição no Rio. Fácil. Sou capaz de apostar. Vencerá Garotinho ou Crivella no segundo turno, porque não há tantos evangélicos assim por estas bandas.

    Taí, vai dar Dilma lá e Lindberg aqui.

    Alguém duvida?

    Pois é...a eleição, infelizmente, ainda não acabou e só conto com ovo, repetindo: depois de sair do "uc" da galinha rsrs.

    Agora é fazer promessa, vodu, despacho, pajelança rsrs e o escambau, para mais DILMA, PORQUE ELA AINDA É A MELHOR OPÇÃO: ELA É DILMAISSSSSSSSSSS!!!.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauro Pires de Amorim.

      Agradeço suas palavras e jamais execraria ninguém e mesmo que fosse execrado, penso eu; que quem gosta de viver de elogios é mulherzinha ou hominho de fantasia. Não estou falando ao seu respeito, apenas expressando em poucas palavras o pouco que conheço da vida e claro, todos nós temos nossa história individual. Apenas penso que para se governar um país como o Brasil, por exemplo, é preciso se ter mais do que a cegueira intelectual do brasão da república estampada no peito e um salário de 'chapa branca' ou 'brasão do poder' estampada no peito e nos ganhos.
      Para destruir, qualquer idiota, seja homem ou mulher, sabe fazer, mas para construir e evoluir, é preciso uma inteligência e percepção maior do que a mediocridade do poder oficial. Não sou tábua de salvação, mas cá entre nós. Esse país, nação, história e povo merecia algo muito melhor do que os feudalistas da Nova República e portanto copistas da história se apresentando em campanhas "eleitorais" xucras e mal resolvidas, por conta de sua vida pessoal mal resolvida, efêmera e prostituta.
      Mas o passo da história brasileira é bem mais lento do que nossa simples existência humana. Culpa de uma elite incestuosa? Talvez. Mas é essa elite que temos. A mesmo tipo de elite que se contenta em viver de reclamações e esperanças miraculosas para demonstrar seu resplendor e ao mesmo tempo, se algo der errado, junta os trapos e vai viver em algum país estrangeiro de 1° mundo e publica "selfies" ou matéria paga como bons marionetes e puxa-sacos do poder financeiro mundial comprando nossa mídia castrada, portanto assexuada e vendilhona.
      É por essas e outras que o Brasil em muitos círculos do poder econômico e político é considerado um país hermafrodita, sem identidade opcional, guiado por cegos que isolam e torram o orçamento público, deixando o povo em geral numa cegueira lenitente e alienante.
      Quanto a mim e talvez você, procuro andar e viver até onde a visão alcança e as pernas me levam.
      Felicidades e boas energias.

      Excluir