Translate

terça-feira, 5 de agosto de 2014

O gelo pode, sim, parar de pingar

Assaltos aumentam em Santa Teresa, Botafogo e Jardim de Alah.

Roubos a pedestres aqui, ali e acolá.

Troca de tiros diariamente na UPP do Alemão. Os fuzis voltaram. O gelo está pingando de novo.

Tá ruim no morro e no asfalto. Mais uma vez.

Não tem solução?

Tem.

Legalizar as drogas, mas isso não basta.

Não adianta legalizar e dar para a farmácia Pacheco vender. Drogaria Max, nem pensar. Nem laboratório Roche, a indústria da medicina já fatura demais.

Se entregarem aos mesmos de sempre, a coisa só vai piorar, porque nem a receita da droga os bandidos vão ter mais.

Tem que legalizar as drogas e estabelecer o comércio apenas nas favelas. Empregar mão de obra na endolação, refino, prensagem, venda ao consumidor, call center etc...

Com vigilância sanitária, firma reconhecida e CNPJ. Isso é inclusão social! Incluído, o bandido vira trabalhador. Menos furtos, roubos e sequestros. Muito menos. Só iriam sobrar os bandidos-bandidos, como na Suécia, Dinamarca, etc. Talvez tivéssemos dez homicídios por ano e não por hora.

Em vez de investir em carros blindados e recrutas sem vocação, o Estado investiria em campanhas de educação para as crianças não usarem drogas (começando, claro, pela proibição da propaganda de bebida alcoólica no rádio e na TV). E também nos programas de tratamento para os 20% que se tornam dependentes químicos, alcoólatras e afins.

Assim procederia uma sociedade desenvolvida, que preserva de verdade as liberdades e escolhas individuais.

Mas essa solução o sistema produtivo brasileiro (baseado em cartéis e monopólios) e a nossa preconceituosa Justiça PPP (que só prende preto, pobre e petista) não querem.

Porque droga é expansão do pensamento e da consciência. E isso é um perigo.

Bandido, eles podem matar; pensamento, não.




11 comentários:

  1. Gostei da terminologia bandido-bandido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi inspirada no Wanderley Luxemburgo, que uma vez disse que o Odvan era o típico "zagueiro-zagueiro"

      Excluir
  2. Caro Marcelo, a liberação da maconha só funcionou bem no Uruguai porque a população é de apenas 3 milhões e a maioria de uruguaios são alfabetizados e tem boa educação.
    Por aqui o Governo deveria alfabetizar bem os quase 200 milhões de brasileiros para depois pensar em liberar a maconha.
    Sabemos que drogas mais nocivas, como o álcool, são vendidas para menores descaradamente, mas não vamos liberar mais uma droga, sem antes educar principalmente as crianças.
    P.S. Sou a favor da liberação, uma vez fui em um um show de Reggae e não vi uma confusão ou briga, porque a maconha acalma, já a bebida agita e faz de alguns usuários um valentão
    Se você pisa sem querer no pé de um "doidão", ele até pede desculpas, mas pisa no pé de um bêbado pra ver !!
    Cury

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Cury. Primeiro precisa dar o paletó (boa escolaridade para todos em regime integral de fato, proibir propaganda de bebidas na telê e, concomitantemente, veicular propagandas educativas para crianças e jovens não usarem drogas, com depoimentos de ex-usuários, p.ex.),para depois dar a gravata da liberação. Realmente é um estágio muito avançado para nossa sociedade que ainda beira à barbárie, com padrão cultural muito baixo, em muitos casos evidentes.Não dá para colocar a charrete na frente dos cavalos rs.Se as condições fossem melhores, a liberação(sou favorabilíssimo) já estaria atrasada.

      Excluir
  3. " Tem que legalizar as drogas e estabelecer o comércio apenas nas favelas. Empregar mão de obra na endolação, refino, prensagem, venda ao consumidor, call center etc..." essa foi a parte mais engraçada .... kkkkkkk ..... favelados trabalhando na maconhabrás ... kkkkk que tal extinguir a PM como quer o PCO e formar uma polícia comunitária só com favelados ...
    ass . leitor da veja .

    ResponderExcluir
  4. Anônimo e leitor da Veja, mostra sua cara !

    ResponderExcluir
  5. "Droga é o que que se põe na sua cabeça". Parabéns Marcelo, pela lucidez e inteligência. É isso mesmo. A primeira coisa a fazer, na minha opinião, é desmistificar maconha, cocaína, crack e tudo mais, pois o "folklore" a respeito de todas as drogas é a maior barreira para a mudança. É como as religiões, fonte de crenças absurdas que guiam os comportamentos mais irracionais possíveis, levando à medidas radicais que não resolvem nada. Ao contrário, geram injustiças e punições bárbaras à muitos e muitos nesse nosso planeta de macacos. André Guimarães.

    ResponderExcluir
  6. Não somente nas favelas. Plantio caseiro também. Não existe 'epidemia' de crack. Existe aumento de pessoas sem teto. Fazer o quê debaixo da ponte em meio a ratos e bicudas na cara desferidas por policias tarados? Se não for crack, vai ser cachaça, cola, o diabo que tiver a mão para aguentar. Re-legalização iminente. Aguardando decisão final do nosso governo, o estadunidense. Aí nós vai junto, macaco de imitação puxa-saco que semo. Drum

    ResponderExcluir
  7. Discutir sobre proibição até dá. Prevalecesse o bom senso, seriam uns quinze minutos de discussão, bastaria mostrar a história, a sacanagem que um tarado do FBI fez para garantir poder e cabide de empregos com o fim da lei seca.

    Agora, ANVISA impedir uso de CBD, composto da erva sem efeito psicoativo, sem pesquisar (portanto ignorando), impedindo pesquisa (portanto tá de sacanagem), deixando crianças morrerem...se isso não se chama assassinato, no mínimo é omissão de socorro. Asco. drum

    ResponderExcluir
  8. Quando a Inglaterra quis dominar a China liberou o ópio. Uma casa em cada esquina para o povo se fartar. Aqui a droga já está liberada a muito tempo. Basta ver as legiões de zumbis que circulam todo mundo já sabe onde. No Brasil inteiro o craque está em primeiro lugar, dado ao seu baixo preço. Nossos jóvens saem da escola pior do que quando entraram. A educação e ministrada na rua . Ali aprendem o pior e sofrem na pele as piores consequências.Ainda penso no bem intencionado Brizola. Educação prioridade. Escola em tempo integral. Mass... O sonho acabou ràpidinho. Político safado não interessa dar educação ao povão. Yves.

    ResponderExcluir
  9. http://portalcorreio.uol.com.br/noticias/cidades/saude/2014/08/20/NWS,245043,4,323,NOTICIAS,2190-MINISTERIO-PUBLICO-FEDERAL-QUER-LIBERACAO-SUBSTANCIA-CANABIDIOL-TODO-PAIS.aspx

    Aleluia.

    drum

    ResponderExcluir