Translate

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Ainda bem que vai começar

Vai começar em breve o horário eleitoral gratuito, que as emissoras de TV privadas convencionaram chamar de "horário eleitoral obrigatório" para desmoralizá-lo.

Graças a Deus ele é obrigatório, ou nenhuma dessas redes transmitiria, assim como a Hora do Brasil no rádio, que deputados do lobby das emissoras querem derrubar há tempos _ a última proposta é que as rádios possam escolher entre três horários para transmiti-la, acabando com a cadeia nacional às 19h. Aí o povo teleguiado poderia abrir mão de saber o que andam fazendo o Executivo, o Legislativo e o Judiciário para ouvir músicas de Michel Teló e Waleska Popozuda .

Mas, voltando à faixa destinada a propaganda dos partidos políticos e de seus candidatos a cargos eletivos, trata-se de um importante instrumento de equilíbrio frente ao manipuladíssimo noticiário das emissoras privadas. E, por outro lado, nos dá a exata dimensão do nível intelectual e cultural do povo brasileiro, principalmente quando observamos os candidatos a vereador.

Veja o caso do PT e da Dona (tratamento pejorativo) Dilma, a presidente da República eleita pela maioria do povo brasileiro. Há quatro anos, tudo que as emissoras e seus jornalistas papagaios de patrão fazem é depreciá-la. Toda a pauta sobre o governo do PT é negativa.  Não estou discutindo aqui se Dilma governa bem ou mal, só estou avaliando o teor das notícias veiculadas com base na minha consciência e nos meus conhecimentos de como funcionam as redações, acumulado em 26 anos de trabalho dentro delas (televisão, rádio, jornal e revista). Veja o escândalo das privatizações do PSDB, ou o afundamento da plataforma P-36 no governo Fernando Henrique, ou os apagões no mesmo governo. A imprensa tratou esses fatos com a maior condescendência, mas se tivessem ocorrido num governo petista, imagine...

Outro exemplo é Leonel Brizola, que teve mais espaço no telejornal de maior audiência no dia em que morreu do que durante os oito anos em que governou o Rio. Isso é jornalismo imparcial?

Qualquer leigo que reparar bem pode perceber quando um órgão de comunicação tem simpatia ou antipatia por certo político. É só observar os verbos empregados em relação a ele, por exemplo, ou a quem o editor da reportagem dá o benefício da palavra final. Vão aqui Algumas dicas para ler jornais.

Outra estratégia eleitoral do partido da mídia é dar ênfase, nos noticiários locais, aos problemas de atendimento à população dos órgãos federais, como as filas para recebimento do seguro desemprego, por exemplo. A prefeitura e o governo do estado, ocupados por "parceiros" no caso do Rio, têm suas inúmeras mazelas ignoradas ou deixadas em segundo plano. Isso é fazer política às vésperas da eleição, usando uma concessão pública, visando atingir a um candidato, no caso a presidente que tenta a reeleição.

Então o horário gratuito é uma forma de dar ao governante uma chance de mostrar o que fez, porque a imprensa adversária só mostra, só dá ênfase e destaque ao que ele fez mal ou deixou de fazer. Tudo bem, aparecem umas figuras oportunistas e até desprezíveis no meio de tantos partidos, mas é um retrato do povo brasileiro, educado, mais que pelas escolas, pelas próprias emissoras de TV aberta e suas programações, com raras exceções, emburrecedoras.

Mais do que deixar de faturar com comerciais durante duas horas por dia, incomoda à meia dúzia de empresários que monopolizam os meios de comunicação privados no Brasil o fato de o presidente inimigo poder dar ao povo as informações que essa mesma confraria sonega de forma descarada com a desculpa de que jornalismo bom tem que incomodar o governante. Jornalismo bom tem que mostrar a realidade sem super-dimensionar problemas e esconder boas realizações. Cabe ao governante saber usar esse espaço para divulgar o que fez de bom ou será fatalmente derrotado.

Então viva o horário eleitoral gratuito, instituto sagrado da democracia num país de meios de comunicação irremediavelmente tendenciosos.

8 comentários:

  1. Concordo. Só não entendo é que sabendo de tudo isso você ache que sempre vence o melhor candidato???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O melhor candidato consegue vencer a manipulação das massas.

      Excluir
    2. Nesse caso ele precisa ser excepcional e não apenas melhor. A eleição do Collor ilustra bem isso.

      Excluir
  2. O problema é que o povo só quer ver novela!

    ResponderExcluir
  3. bom nao esquecer a sintonia fina entre a propaganda do psdbpflarena e o jn...

    ResponderExcluir
  4. Pensei que só eu gostasse de ouvir a Voz do Brasil, e quanto ao horário eleitoral, eu sempre escolho meus candidatos antes mesmo de começar, mas é uma boa opção para quem quer conhecer melhor seus candidatos.
    Sobre o inesquecível Brizola, que já deveria virar filme, vale a pena assistir o nocaute que ele deu na Globo, basta acessar o link abaixo:
    https://www.youtube.com/watch?v=ObW0kYAXh-8
    Cury

    ResponderExcluir
  5. Sera que um dia, finalmente, o voto sera facultativo??

    ResponderExcluir