Translate

segunda-feira, 3 de março de 2014

Garis

Se eles soubessem a força que têm, aí é que a coisa iria feder…

Em pleno Carnaval, dois dias de greve parcial de garis no Rio e alguns bairros da cidade estão assim:


Se os garis desempenham o pior papel na sociedade, o de recolher o nosso lixo, deveriam ser os profissionais mais bem pagos, assim como os policiais, que têm por dever de ofício arriscar a própria pele para defender nosso carro, nosso relógio ou nossa casa.


O problema é que essas duas categorias fundamentais de trabalhadores não estão em condição de reivindicar muita coisa, já que existe muita gente disposta a fazer o que eles fazem pelo salário que ganham. No caso dos garis, nem máscaras de proteção para a turma que anda com o nariz na traseira dos caminhões coletores a categoria conseguiu. E lá vão eles com o cheiro do nosso rejeito entrando pelos alvéolos sem pedir licença.

Para aumentar a renda, os policiais, em geral, têm preferido o caminho mais fácil da corrupção ao da mobilização. Deveriam ter dignidade como os americanos e os japoneses. Questão de cultura… de punição exemplar para corruptos e corruptores, como fazem os chineses.

A PM por sinal, reprimiu com violência o ato dos garis em greve perto do Sambódromo. Se os dois se unissem… sai de baixo.

Garis descendem de escravos. Essa é a razão de muitos não aderirem à paralisação. O medo da fome ainda está em seus DNAs. Não lhes resta muita opção além de recolher nosso lixo. Tentar ser jogador ou sambista. Só que aquele que puxa o samba no carnaval, durante o resto do ano puxa a caçamba.

O salário de um gari no Rio? R$ 800. E ainda dizem que a escravidão acabou. A Comlurb tem o maior orçamento do município. E para o ser humano, prefeito, migalhas? Logo o senhor, tão generoso com as empresas de ônibus...

Talvez um dia, alimentados e educados, seus filhos ou netos adquiram auto-estima, organização, condições dignas de trabalho e salário condizente. Por isso é revolucionário educar e alimentar e educar um povo subdesenvolvido. Porque aí recolher o lixo vai ser mais uma opção e não a única opção.

Garis não quiseram ou não tiveram coragem para entrar para o tráfico. Talvez a fila quilométrica no RH das bocas de fumo tenha desanimado outros tantos. Não, não resta muita alternativa a recolher o lixo.

Integrar os batalhões de ambulantes ilegais…

Foto: Marcelo Migliaccio


Catar latinhas…

Foto: Marcelo Migliaccio

Ou ver a festa de longe esperando um descuido...

Foto: Marcelo Migliaccio


A imprensa já os coloca como vilões da história, entrevistando a classe média irritada com a sujeirada que ela mesma produz. A TV gosta mesmo é do gari sorriso, sambando no Sambódromo. Será que ele vai furar a greve pra evoluir diante das câmeras?

Foto: Marcelo Migliaccio

A prefeitura recorre a empresas particulares para tentar jogar todo o lixo para baixo do tapete pelo menos até os gringos voltarem pra casa. E a Justiça apressou-se em declarar a greve ilegal.

Um gari deveria ganhar R$ 15 mil por mês. Ok, R$ 10 mil. R$ 5 mil, vá lá. Mas só lhes resta tapar o nariz e voltar ao trabalho por uma mixaria, porque a lei do capitalismo é clara: quem não trabalha não come.



LEIA TAMBÉM:


Ensaio cor de abóbora








10 comentários:

  1. 5 mil pro gari, 10 mil pro policial e 15 mil pro professor. Os dois primeiros aprenderam à ler e escrever com os Professores. Num Pais que arrecada trilhões e estados importantes, grandes arrecadadores de impostos como Rio e São Paulo, pra onde vai todo esse dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim como o post está ótimo...este comentário do Sérgio, idem, pois penso que a profissão melhor remunerada teria de ser a do professor, posto que formadora das demais.

      Quanto à pergunta: " A TV gosta mesmo é do gari sorriso, sambando no Sambódromo. Será que ele vai furar a greve pra evoluir diante das câmeras?...a resposta é: ele estava no sambódromo eu o vi na madrugada dos desfiles de segunda-feira...e deu o show costumeiro.Ato contínuo, a tv deve ter filmado, né?
      Marcos Lúcio

      Excluir
  2. Senti falta de algum comentário a respeito da forma como os garis foram tratados pelo Boris Casoi recentemente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei isso na época em que o blog era no JB. Acho que ele quis mais criticar sua própria equipe por fechar o jornal com aquele depoimento do gari do que propriamente diminuir a categoria. Foi a minha impressão.

      Excluir
  3. Chamar os garis de "mais baixa posição" dentro da escala social, para mim não deixa dúvidas de que foi especificamente sobre eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dentre as institucionais é a mais baixa mesmo. Achei que ele criticou a escolha da sua equipe para fechar o jornal desejando feliz ano novo ou coisa parecida. Mas tudo bem, vai ver que foi isso mesmo que vc observou. Abraço

      Excluir
  4. Estou com os garis e não abro. A imundície está no governo. Tenho impressão que não quiseram negociar com a categoria antes do Carnaval, achando que não tteriam coragem para tanto. Nas imediações do Sambódrmo, havia montanhas de lixo. Greve justa o povo apóia. Com certeza. Yves.

    ResponderExcluir
  5. Também estou com os garis, acho que a greve é a melhor e mais rápida maneira de conseguirem o que reivindicam, pois o lixo acumula e seu trabalho passa a ser mais valorizado.
    Junto com professores e policiais os garis deverias ser muito bem pagos.

    Já perceberam que o governador está gradeando tudo, desde o Palácio Guanabara até os chafarizes e monumentos das praças públicas. Sempre digo que se colocarem uma lona no Palácio Guanabara, vira "o Grande Circo do Cabral". (rsrs)
    Cury

    ResponderExcluir
  6. Show de artigo Marcelo .... !!!! parabéns !!!! como já cansei de dizer neste blog que você escreve muitíssimo bem ....
    assinado : Subtenente Marcos Pinto , Exército quase Bolivariano Brasileiro , ( ativa ) Jacarepaguá - RJ .

    ResponderExcluir
  7. Mauro Pires de Amorim.

    É por essas e outras que estou cagando e andando para Visita do Papa, Ano Novo, Rock in Rio, Carnaval, Copa do Mundo de Futebol, Olimpíadas e outros eventos que reúnam manada humana em clima de ápice eufórico bipolar, pois a vida do povo não vai mudar com nada disso.
    Esses eventos são apenas o ópio, o circo para o povo. As únicas vidas que podem mudar com tais eventos são daquelas dos dirigentes e ícones. No mais, a vida dos bobos a bobas que ficam assistindo e servindo de figurante no meio da manada suarenta, nada.
    Igualzinho Big Brother e programa televisivo com "famosos e famosas" ou a respeito deles e delas.
    O que intimamente me interessa saber o que Fulana e Cicrano fazem ou deixam de fazer?
    E ficar sabendo ou deixar de saber, vai fazer alguma diferença em minha vida?
    Quem foi campeão, vencedor ou premiado ou quem deixou de ser, vai fazer diferença?
    Vai fazer diferença e interessar para quem está lá faturando. Para os diretamente envolvidos e dirigentes .
    Portanto, tudo isso é um grade besteirol. Uma embromação.
    Felicidades e boas energias.

    ResponderExcluir