Translate

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Episódio biográfico ficcionado

Tim Maia atende o telefone com aquele vozeirão:

_ Alouuuu (ele está de bom humor).

_ Tim?

_ Quem é!? (ele já não está mais tão de bom humor).

_ Aqui é o jornalista Torquato por Quatro..., eu..

_ Eu o quê, mermão?

_ É.. eu tava pensando em... em escrever sua biografia (glub!)

_ Aaaaaaahhhhh, ôôô.

_ Contar a sua história, Tim, sua história é maravilhosa!

_ Dá um tempo, mermão. Tá a fim de se dar bem em cima de mim? Biografia é o caralho!

_ O Brasil precisa conhecer a vida de um dos seus maiores ídolos...

_ O Brasil precisa é ouvir minhas músicas, comprar meus discos, que eu lancei pelo selo Vitória Régia.

_ Mas proibir uma biografia não é uma forma de censura, Tim?

_ Censura? Censura é o que fizeram comigo depois que eu faltei a uma gravação de programa: proibiram que a emissora tocasse qualquer música minha lá. Isso é que é censura, mermão!

_ (...)

 _ Quer saber de uma coisa, mermão?

_ Fala, Tim.

_ Té mais!!!!




*************

A biografia não autorizada fere um princípio básico do jornalismo, que é checar as versões, ouvir o outro lado, que nesses casos é o lado mais importante, o lado do biografado. Como cumprir esse compromisso básico com a veracidade do que se publica sem ouvir o principal personagem da história em questão? Esse é apenas um dos muitos motivos pelos quais acho que cada um é dono da sua intimidade, e que o direito à livre expressão de um termina quando começa o direito à intimidade de outro.

É ou não é, Tim?

11 comentários:

  1. Beleza, beleza, beleza...

    O que eu quero é sossego!

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de ler biografias escritas por ex mulher ou ex marido, por exemplo:
    Rosane escreve biografia de Collor, Ex esposa escreve sobre Berlusconi, etc...
    Seria muito útil para todos.
    Cury

    ResponderExcluir
  3. Irretocável ou assertivo, quanto à questão da privacidade. Repito que a intimidade do artista diz respeito somente a ele e a quem mais ele se dispuser a compartilhar... e não ao populacho ou à gentalha ávidos por escândalo. Dos artistas só interessam-me suas artes, quando as julgo como tais.Normalmente o povo , que não faz sexo como gostaria ou o faz de péssima qualidade rs, quer mais é saber das práticas sexuais do biografado . Principalmente os moralistas, que são tarados em potencial, Freud explica. O brilhantes Oscar Wilde sabia que:"Um moralista é, quase sempre, um hipócrita; uma moralista invariavelmente, um bagulho."

    Tenho sérias restrições ao reacionarismo, etc., do Nélson Rodrigues, mas quanto a estas questões sexuais mal resolvidas...ele acertou na mosca, né?

    "Se cada um soubesse o que o outro faz dentro de quatro paredes, ninguém
    se cumprimentava."


    "A prostituta só enlouquece excepcionalmente. A mulher honesta, sim, é que,
    devorada pelos próprios escrúpulos, está sempre no limite, na implacável
    fronteira."


    "Só o rosto é indecente. Do pescoço para baixo, podia-se andar nu."


    "Só o cinismo redime um casamento. É preciso muito cinismo para que um casal
    chegue às bodas de ouro."


    "O povo é um débil mental. Digo isso sem nenhuma crueldade. Foi sempre assim
    e assim será, eternamente."

    "É preciso ir ao fundo do ser humano. Ele tem uma face linda e outra hedionda.
    O ser humano só se salvará se, ao passar a mão no rosto, reconhecer a
    própria hediondez."

    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  4. Grande Tim, na musica ( gostava tanto de você). A foto acima também chama a atenção.

    ResponderExcluir
  5. Não sei se gostei mais do post ou das frases que o Marcos Lúcio levantou.

    ResponderExcluir
  6. Violência semelhante: sindicatos e cinicatos descontam contribuições sem autorização prévia do trabalhador, na maior cara de pau. Depois de ter sido assaltado, o trabalhador é que tem que apresentar carta de oposição ao desconto. Drum

    ResponderExcluir
  7. Mauro Pires de Amorim.
    Concordo plenamente com você e para completar, afirmo o óbvio ululante. Ninguém vai conhecer melhor uma pessoa do que a própria pessoa e com isso, ninguém conhece melhor a história de uma pessoa do que ela mesmo.
    Portanto, esse lance de biografia não autorizada é besteirol para tomar tempo e dinheiro de otário com tendências fofoqueiras, pois se a pessoa é conhecida publicamente por seus feitos que são tornados públicos, é isso que interessa.
    A intimidade de uma pessoa, interessa somente às pessoas que lá estavam naqueles momentos íntimos e a mais ninguém e ficar falando sobre isso é delegar tempo e energia a babaquice.
    Mas o pior é que tem otários que acreditam em papo babaca e ainda delegam seu tempo e dinheiro para conhecer esses fatos.
    Felicidades e boas energias.

    ResponderExcluir
  8. Para esquecer um pouco a polêmica das biografias, fui assistir ao show de Al Jarreau na Lagoa ontem, foi sensacional !!
    Com seus mais de 70 anos, ele deu um show, comparável ao que assisti no Rock in Rio de 85, claro que naquele dia também teve mais 2 monstros da música: George Benson e James Taylor que sou super fã.

    Cury

    ResponderExcluir
  9. Não sou o TIM mas respondo: Biografia é o CACETE...

    ResponderExcluir