Translate

sexta-feira, 12 de julho de 2013

O fim do futebol

Foto: Marcelo Migliaccio
O lendário Maracanã agora é só uma lembrança no coração do povo

Depois de anunciar preços de R$ 100 e R$ 220 para os ingressos nos setores centrais do estádio, os novos donos do Maracaná (que um dia pertenceu ao povo do Rio) agora resolveram mostrar que o absurdo não tem limites: proibiram as tradicionais bandeiras e os instrumentos musicais. Veja só que coisa! A Charanga, criada por Jaime de Carvalho em 1942, para animar os jogos do Flamengo surgiu oito anos antes do próprio Maracanã ser construído. Mas agora os tecnocratas e burocratas, que nunca viram um jogo na geral, se acham no direito de proibir instrumentos no estádio. Vão todos ser obrigados a ficar ouvindo uma gravação de Macarena pelos alto falantes?

E mais: o torcedor que tirar a camisa será gentilmente conduzido para fora. É proibido também. Será que ainda pode falar palavrão lá dentro?

_ Juiz filho da puta!!!!

_ Pxxxxxi, ô! Olha a boca. O ambiente aqui é familiar

Ah, também não pode mais ver o jogo em pé. Quero ver explicarem isso para a turma da Raça Rubro-Negra, da Young Flu, da Fúria e da Força Jovem... ah, e da Inferno Rubro, torcida organizada do nosso querido América.

Os empresários que arrendaram o estádio com a cumplicidade do governador Sérgio Cabral só esqueceram de explicitar outra proibição: pretos e pobres não entram mais. Com o ingresso mais barato, no pior lugar, custando R$ 60, que trabalhador vai gastar 10% do salário mínimo em apenas uma hora e meia, ainda mais correndo o risco de sair decepcionado com uma derrota do seu time?

Mataram mesmo o futebol. Quem quiser ver 22 mercenários correndo atrás de uma bola para uma platéia de mauricinhos e patricinhas que não torcem, só fazem pose para as câmeras da TV, que assista na calçada, diante de um botequim.

É por essas e outras que o governador do Rio e a empresa de mídia que estranhamente lhe dá suporte incondicional gozam de tanto prestígio entre a população daqui. Ontem mesmo uma multidão foi até o Palácio Guanabara dizer o quanto gosta do atual inquilino.




LEIA TAMBÉM

Homenagem póstuma a uma paixão nacional
O meu Maracanã

25 comentários:

  1. Claro que Eike Batistão não iria entrar se não fosse para ganhar muito, e o imundo do governador é complacente com tudo.

    Se colocar uma lona no Maraca, vira circo e o palhaço somos nós.
    Os ingressos mais baratos estão atras do gol.

    Por essa e outras que considero Sérgio Cabral um nauseabundo (faz muito tempo que não uso essa palavra).

    Cury

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma mistura semântica que se aplica bem ao caso.

      Excluir
  2. Estao apenas tentando retornar no tempo... Lembra que quando o "football" chegou no Brasil isso era um esporte da elite?
    Agora, mudando de assunto: Onde anda o Lula que, com essas manifestacoes todas ocorrendo no Brasil, ele nao deu uma palavra?? #AlguemViuOLula?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lula não tem cargo algum, por que falaria? Ele fez a parte dele, deixou o governo com a maior aprovação popular que um presidente já teve. Quem tem que falar sobre as manifestações é a oposição, que tenta se beneficiar delas. Abração

      Excluir
    2. Mas... Ele ADORA aparecer na midia. Nao perde uma oportunidade... Agora, ficou caladinho... #AlguemViuOLula?

      Excluir
    3. Se ele concorrer ganha no primeiro turno, não precisa nem "aparecer na mídia". Isso é pra quem não tem voto, como o Aécio e a Marina, por exemplo.

      Excluir
    4. Nao estou falando da popularidade do Lula nem sobre ele levar no primeiro turno. Lula fez varias coisas corretas assim como algumas erradas (a copa do mundo eh uma) durante o seu mandato.
      Nao estou falando do mauricinho do Aecio nem da natureba da Marina, menos ainda de qualquer membro do executivo ou do legislativo.
      Nao estou falando disso.
      Estou querendo saber onde anda o Lula, aquele que, apos o termino do mandato, apareceu varias vezes falando sobre fatos que ocorriam. Cade o Lula dando a sua opiniao sobre isso que esta ocorrendo? Por que nao aparece e fala sobre isso?

      Excluir
  3. Quaquaquaaaaaaaaaaaa
    As viuvinhas do fhc são inconsolaveis e ADORAM chorar em publico

    Torelly

    ResponderExcluir
  4. Mauro Pires de Amorim.

    Gente o quê é isso? Na minha opinião vocês estão passionais demais, defendendo e atacando políticos com uma paixão quase fanática. Aliás paixão fanática também existe no futebol.
    Da onde será que vem essa paixão fanática em atacar e defender cegamente política, futebol e religião ao ponto de certas pessoas dizerem que esses 3 temas não discutem?
    No entanto, por um lado, alegar isso pode ser sinal de alienação, mas por outro pode ser preservação ou precaução para evitar aborrecimento diante de algum fanático.
    Eu discuto política, futebol e religião por entender que no Brasil os 3 temas são explorados para a manipulação e manobra de massas por quem está no poder ou quer uma fatia dele.
    Por isso essa situação toda, que aliás, não é nova:

    a)políticos e grandes empresas de mídia e comunicação se aproveitando do futebol, um esporte popular e de massas para parecerem populares, pois como o Migliaccio muito bem mencionou, saí mais barato assistir um jogo num boteco ou até pagar para ver a transmissão ao vivo pela tv do que ir ao estádio.

    b)cada vez mais sacerdotes religiosos usam seus fiéis seguidores de fé como curral eleitoral e se lançam na candidatura política e o pior, conquistam votação expressiva. Mas afinal o que tem a ver as questões da fé divina com o cargo eletivo ou até mesmo com o preparo e caráter para o exercício do cargo político? Nada!

    Tanto nos quesitos a e b por mim enumerados e que possuem como ponto em comum o elemento político, ao meu entender levantam a questão do foco para a matriz da política. Os partidos políticos, pois é desses que saem os candidatos e programas de governo.
    A verdade é que os partidos políticos no Brasil são oportunistas, mercantilistas e mercenários, fazendo alianças com Deus e o Diabo, vendendo vagas de ingresso para quem der mais e negociando inescrupulosamente cargos no poder independentemente se quem vai ocupar o cargo possuí programa de governo e intenções compatíveis com quem está no poder negociando o referido cargo. Todo esse aspecto passa pelo quesito ética e a política brasileira está carente de ética, pois apolítica no brasil é e sempre foi tratada, com curtas e raras exceções como um clube fechado, dissociado do restante da sociedade e voltado para os interesses dos membros dessa panelinha ou clubinho fechado, sendo portanto de características autocráticas, pois governa para seus interesses exclusivos dando "um que se exploda" para o resto da sociedade, tal qual o personagem Justo Veríssimo.
    Lembro que o Brasil possuí em sua história muito pouca ou quase nenhuma prática de Estado Democrático de Direitos, que quando começa a engatinhar, é logo suplantado por um sistema autocrático, modelo típico de monarquias absolutistas, conforme ocorreu em nosso país na época histórica do Brasil Colônia e Brasil Império e posteriormente com as Ditaduras Vargas e de 1964.
    Portanto, a prática histórica da cultura e formação dos partidos políticos brasileiros é eminentemente de raízes autocratas e portanto voltada para o exercício do poder em benefício do grupo que está no poder. A prática de Estado Moderno, de Estado Democrático de Direitos está apenas engatinhando no Brasil, já que não existe uma prática na história brasileira de continuidade ininterrupta e consequentemente de amadurecimento desse modelo e sem passar por critérios éticos regulatórios essa consolidação será mais lenta e demorada.
    Felicidades e boas energias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho até legal discutir política, futebol e religião (não por muito tempo, claro). O errado é achar que alguém mudará de opinião depois da discussão.

      Excluir
    2. Mauro Pires de Amorim.

      Perdoe se me alonguei demais em minhas alegações, mas enquanto muita gente boa fica discutindo apaixonadamente e até ficando com mal estar e se indispondo um com o outro, os espertos, oportunistas e encastelados da política, religião e futebol vão só comendo pelas beiradas, vão "só no sapatinho", repetindo essa velha fórmula e no final das contas enchem o papo e engordam o bolso. E os gente boa, acabam ficando um emburrado com o outro. Mas é isso mesmo que esses "vaselinas" da política, da religião e do futebol querem.
      Felicidades e boas energias.

      Excluir
  5. Boa noite!
    Vou entrar no assunto, mesmo sem ter sido convidada, e nem quero fazer bate-bola.

    O Lula falou sim, e, entre outras falas, apoiou a Dilma, que é o que eu acho que a gente deveria fazer, pra jogar uma água nesse fogo que a direita está doida pra acender. No momento, todo cuidado é pouco.
    E, também, acho uma boa ideia preservar o Lula. Creio que ele sabe fazer a hora.

    Abraços,

    Sandra

    ResponderExcluir
  6. Falou muito bem Sandra. Lula já fez muito pelo Pais e não eh por causa disso que precisara dar opinião sobre tudo que acontece no Pais e no Mundo. Até por que, se ele deixou a Dilma em seu lugar precisa dar autonomia para que a presidenta possa trabalhar. Como alguém já disse, viuvas de FHC passam o tempo querendo colocar a culpa no Lula em qualquer coisa Ruim que acontece, mas esquecem de enaltece-lo quando a coisa êh boa. A Copa foi ganha pelo Brasil há 6 anos atras e se fizéssemos uma pesquisa de opinião na época a absoluta maioria seria a favor e agora quer reclamar de quem permitiu ao Brasil condições de pleitear a Copa e a Olimpíada? Como bem disse o Mauro se há argumentos podemos discutir qualquer coisa, só não discuto religião, por que sou agnóstico e não gosto muito de ficção. Bom domingo a todos, até por que aqui, na Praia do Forte êh difícil ser ruim.

    ResponderExcluir
  7. Quem nao diz "amem" passa a fazer parte das "viuvas de FHC"? Voces deveriam tem um pouco mais de imaginacao antes de tentar criar um estereotipo para tentar pinchar alguem pelo fato de opinar e essa opiniao nao coadunar.
    Menos, gente. Menos... Sejam um pouco, apenas um pouco coerentes.
    Eu nao estou querendo culpar o Lula. Soh estou perguntando se alguem viu o Lula, o cara que sempre faz comentarios publicos sobre coisas que ocorrem. Queria saber o que ele falou sobre o povo nas ruas, soh isso. (Alguem saberia informar, por favor?)
    Por falar em coerencia tem uma grande incoerencia ai em cima: a presidente Dilma NAO necessita, para exercer a sua funcao, de receber autonomia do seu antecessor. Ela eh a presidente e nao uma fantoche!
    Reconheco e aplaudo as conquistas sociais do governo Lula. Seria leviano nao reconhecer esse fato assim como seria leviano nao aceitar o fato de que o plano real trouxe a economia para os eixos. Sao fatos!
    Fato tambem eh que esse movimento que esta nas ruas ocorreu de forma espontanea. Vejo nesse movimento um desejo de "chega, basta, estamos de saco cheio" com relacao a tantas e tantas coisas que ocorrem no nosso Brasil quase que de forma cotidiana e, lamentavelmente, quase que de forma natural onde reside a base da Lei de Gerson...
    Claro que tem muita gente interessada em tirar alguma vantagem nisso mas esse movimento tem sim continuar aceso pois a "agua" que estao jogando nele, como essas medidas (engavetadas por tanto tempo) agora aprovadas no senado nada mais eh do que uma tentativa de extinguir esse movimento para entao retornar ao cotidiano das falcatruas, roubos, abuso de poder, corrupcao, etc.

    ResponderExcluir
  8. Uma das caracteristicas das viuvas de FHC eh nao admitir isso. Festejam o plano real, mas esquecem que o presidente na epoca do plano era o Itamar e depois falam que eh o presidente ou a presidenta quem manda, mas no caso do plano real era o ministro que mandava, va entender. Tao confuso quanto isso eh decretar feriado em Sao Paulo no aniversario da revolucao separatista, ou a Independencia da Bahia um ano depois do resto do Pais. Ou seja, festeja-se uma data por um estado ter lutado contra o resto do Pais, ou por ser atrasado emrelacao ao resto. Como alguem ja disse, as pessoas estao nessas passeatas para reclamar de suas proprias escolhas e ao avaliar as ultimas acoes do congresso conclui-se que so serviram para tentar um golpe que levasse as elites de volta ao poder, mas, felizmente, vao falhar nisso tambem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce escreveu que esta (estava) na praia do forte. Pegou muito sol na cabeca??

      Excluir
    2. Quaquaquaaaaaaaaaaa
      Claro que pegou, ele não esta de luto...

      Excluir
    3. Se o plano Funaro/Sarney tivesse dado certo, eu seria uma "viuva do Sarney". Se o plano Zelia/Collor tivesse dado certo eu seria uma "viuva do Collor". Se o plano Real nao tivesse dado certo e um plano fosse feito no governo Lula e esse plano desse certo, eu seria uma "viuva do Lula".
      Entendeu? O que vale nesse bla bla bla todo repleto de posicoes partidarias, de opcoes individuais eh que a coisa funcionou para o bem de todos! Se o Lula (corretamente) pode aplicar mais recursos para as classes menos favorecidas isso se deve ao fato de termos uma economia estavel, consequencia de um plano que deu certo. Entao, acorda e cai na Real!
      Afinal, tirando as paixoes politicas e partidarias, temos que reconhecer o fato de que a economia brasileira vai muito bem gracas a um plano que funcionou.
      E, para mim, isso eh muito mais importante do que saber o nome do seu criador ou o seu partido. Passa a ser sem importancia se olharmos para o quanto importante foi para todos, esse plano ter dado certo.

      Excluir
  9. Por essas e outras chamam de Primavera Árabe um movimento que surgiu em dezembro no hemisfério Norte. A quem interessar possa estamos no inverno no hemisfério Sul.

    ResponderExcluir
  10. Que injustica.chamar alguem de viuva do FHC. O certo eh viuva do Itamar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coisa rara: concordo! Mas, como escrevi, mais importante do que lembrar de um nome eh lembrar que, se hoje a situacao economica esta estabilizada, isso foi por causa do plano cujo nome voce pode ficar a vontade para dar um: nao importa!

      Excluir