Translate

terça-feira, 28 de maio de 2013

Hoje não

Hoje não vou procurar o traficante
Nem o médico, o padre ou o pastor

Não vou me afogar nas mulheres

Nem no remédio que meu melhor amigo tem pra dor

Não vou falar bem do governo

Nem mal da oposição

Hoje não serei patriota

Que se dane o Brasil, a China, o Afeganistão

Não vou babar no pôr do sol

Nem amaldiçoar a poluição

Hoje eu vou é vomitar todos os sapos no colo do meu patrão


Não vou ler jornal nem me olhar no espelho

Eles sempre enganam, aprendi

Hoje não vou salivar pelo meu prato preferido

Nem lamentar a fome de quem está fodido

Hoje não vou tomar partido


Que gosto estranho tem a liberdade

10 comentários:

  1. Faço minhas as suas palavras.

    Nesse sentido é o pensamento do Divã: "Cansei de filme de guerra, holocausto, tortura, exorcismo, crise existencial, seqüestros, erro médico, suicídio, trapaça. Agora só vejo comédia romântica,dessas que não valem o preço do ingresso. Ando abençoando a alienação..."

    Um abraço,

    Andrea

    Obs: mas continue escrevendo ok?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faço parte deste time! Parei de ver Jornal Nacional há aanos, novela, TV aberta e filme que gera tensão... no jornal, seleciono o que leio. Pedi demissão de um emprego babaca e tento deixar do lado de fora da minha vida todos os babacas que posso...

      Excluir
  2. Linda inspiração Marcelo.

    Lindo também é esse pássaro da foto, a sua cor preta e vermelha lembra algo grandioso que atrai millhões de torcedores pelo Brasil.

    Cury

    ResponderExcluir
  3. Não se interessar por nada, como licença poética, descanso, ou alívio, e para sentir-se "livre", é, eventualmente, de suma importância.Dizem que até Deus descansou ao sétimo dia rsrs.
    Tenho como o melhor da vida, depois da santa saúde, a seminal liberdade.

    Porém, "O preço da liberdade é a eterna vigilância".

    Concordo com o Napoleão Bonaparte:"A maior batalha que eu travo, é contra mim mesmo."
    Ato contínuo, creio que, para a verdadeira liberdade, necessitamos nos voltar para nós mesmos, vigiando nossos pensamentos. Porque são eles que comandam nossas vidas e podem gerar sentimentos que funcionam tal qual prisão, como a raiva, o ciúme, o medo, a inveja, a tristeza, a angústia, e que podem nos levar a atitudes nocivas...ou de transferência e projeção e sairmos culpando tudo e todos por nossos desacertos.

    Assim, se as coisas não estiverem indo bem , nos sentindo presos de alguma forma, paremos e observemos nossas atitudes, sentimentos e pensamentos. Quem quer ser realmente livre, deve estar sempre vigilante, mas não somente atento a jornais, tv, enfim, ao resto do mundo, como muitos pensam. Quem quer gozar a verdadeira liberdade, deve tomar cuidado com os próprios pensamentos. Esse é o preço.Há mentes livres na prisão e mentes presas nas praças e jardins.

    Muitos tolos supõem que alienando-se politicamente, estarão livres.


    "Política não é partido (político). Partido é uma das formas de fazer política. Faz-se política na família, na igreja, no trabalho, na escola e também na gestão pública. Desse ponto de vista, é preciso se interessar por política para não cair numa postura individualista, tolamente exclusiva", pontua Mario Sergio Cortella.


    Quem melhor esquadrinhou esta questão, na minha desimportante conceituação foi Bertolt Brecht:"O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.
    O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais".

    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sempre, sábias palavras, Marcos Lúcio!

      Excluir
  4. Esta em um devir de Fausto, jornalista? Por acaso terá o nobre membro da torcida rubra- depois de ter vendido a alma para o diabo da labuta- fatigado de clarevidência, consciência e prazeres carnais (mamilos femininos, a beleza natural da urca e os 'remedios' do amigos ) em um enjoo existencial? Estará pretendendo a remissão do pacto com o diabo pelo amor de uma Margarida ?! se for isso só tenho a dizer que é um tremenda de uma viadagem, Marcelo. Mas, vc tem razão a vida é issa doidera mesmo. tem dia que estou sem saco para por menores também. Mas em fim. E o livro ?


    drapetomaniaco.

    ResponderExcluir
  5. Oi minha querida Fernanda,
    adoro ler suas postagens, sábias palavras....sabe quem sou? Nos conhecemos quando ainda éramos crianças, depois a vida modificou nossos destinos.Já tentei te encontrar, mas em vão, mas hoje em dia com a modernidade da informática, consegui localizar seu blog.
    Tenho muita saudades do tempo que éramos ainda crianças...
    Se puder, me responda, gostaria muito de falar com vc ou quem sabe nos encontrarmos para relembrarmos os velhos tempos. Um abraço carinhoso,
    Blanche

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Blanche! Claro que me lembro de você! Vi seu recado lá no Alma Lavada e te respondi, mas acho que você não viu. Qual é o teu e-mail? Manda que eu te escrevo! bjão!

      Excluir