Translate

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Sem embargo

Copacabana, Rio de Janeiro. Brasil

9 comentários:

  1. É imperdoável a massa excluída e excedente que o "capetalismo" produz e não só em Copacabana, o que já seria demais. Tente uma foto destas em Havana...impossível.

    O pior de tudo é que a torneira está aberta, ou seja, são os pobres que, ignorantemente, perpetuam a miséria com a quantidade incontrolável de filhos que jogam/desovam no mundo sem a menor condição financeira e emocional. Esta reprodução irresponsável, inclusive com a quantidade de crianças nascidas através da "concepção" nas ruas, é inacreditável, além de super preocupante.

    Uma política de controle de natalidade eficiente seria o primeiro passo. Enquanto isto não for rigorosamente implementado, não há saída e o aumento de violência será mera consequência. Onde esta quantidade absurda de gente "indesejável", porque não pode consumir em shoppings"rsrs, vai trabalhar? Como vão conseguir dinheiro se não for assaltando?

    Empregos encontram-se em escassez desconcertante e injusta... até para a classe média , com o predador e nefasto neoliberalismo substituindo vorazmente gente por máquina.A foto é de uma verdade impactante, inconveniente para alienados... e provoca indignação para quem entende os motivos políticos que subjazem.O pior nr. 2: como lidar com estas crianças vítimas? Até quando será possível evitá-las???Repetindo: quem vai fechar esta torneira que já está provocando quase inundação???Quem anda pelas ruas movimentadas do Rio(e do Brasil, por extensão) e tem um mínimo de lucidez, está bastante preocupado, não sem evidentes razões.
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  2. No Rio, e de resto em todo o Brasil e países e/ou populações perféricas, o crescimento de legiões de excluídos, dá-se, em oredem de grandeza exponencial. As razões são conhecidas desde sempre: Desigualdade de investimentos e oportunidades, amplo espectro. essas populações são naturalmente, jogadas nas calçadas de bairros nobres ou não. Daí, para a flagelizante dependência ao álccol, crack e outras drogas, reprodução irresponsável e criminalidade,é questão de mais ou menos tempo. Seu destino é traçado ainda no desejo eivado de morte de amantes , que sequer, reconhecem-se sujeitos de seus passos trôpegos.
    Soluções simplistas e mágicas não há. Ainda assim, creio que , investimentos contínuos e consistentes em Educação, não excluindo nas demais áreas, poderão resultar a médio e longo prazo, na minimização desse inferno que agride-nos á todos, com o mínimo de empatia por nossos semelhantes.

    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
  3. O Brasil é um dos piores índices de desigualdade no mundo. Quanto à distância entre pobres e ricos, nosso país empata com o Equador e só fica atrás de Bolívia, Haiti, Madagáscar, Camarões, Tailândia e África do Sul. (Extraído do relatório da ONU)

    É uma falácia dizer que, ao promover transferência de renda, o governo está “sustentando vagabundos”. O governo sustenta vagabundos quando não pune os corruptos, o nepotismo, as licitações fajutas, a má utilização do dinheiro público.

    Continuo levantando a bandeira do imposto sobre grandes fortunas, desde que ele seja utilizado somente no combate a miséria e a pobreza.

    Cury

    ResponderExcluir
  4. ......são apenas crianças.....

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente, eles são apenas números estatísticos. É uma pena que vivemos tão pouco (mesmo se todos vivessem em média 100 anos,ainda seria muito pouco em comparação a idade de nosso planeta). Parece que sempre repetimos os mesmos erros ao longo de gerações e gerações. Não sou muito fã de previsões apocalipticas, mas tem momentos que dão a entender que caminhamos para a destruição. Evoluimos, mas continuamos excluindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Felipe, tem hora em que é difícil ser otimista.

      Excluir
  6. se agora ta assim, imagina....

    O MARACA É NOSSO, NÃO DO EIKE CORRUPTO!

    ResponderExcluir
  7. Essa foto das Casas Casadas me faz lembrar o fiasco da prefeitura. O prefeito (outra vez ?) anunciou que será um dos mais badalados centros culturais da Cidade, mas o que vemos hoje é um quase abandono, com uma frequência pífia.

    Esse prefeito não toma vergonha, se fosse no Japão já teria feito haraquiri !!

    Cury

    ResponderExcluir