Translate

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Caos

O desastre com um ônibus ontem na Avenida Brasil tem vários culpados.

O motorista estressado e mal educado que não esperou todo mundo descer no ponto e dirigia em alta velocidade.

O universitário troglodita que não conseguiu descer e resolveu agredir o motorista com o veículo em movimento, causando o acidente. Segundo testemunhas, foram quatro chutes contra a cabeça do condutor.

Aqueles que, na mídia ou fora dela, contribuem para a glamourização do chute na cara.

A Justiça, que deveria ter punido esse jovem, de 25 anos, nas duas vezes em que ele foi parar na delegacia (por agredir o cunhado e uma senhora que fora lhe cobrar o aluguel).

A empresa de ônibus, que colocou um veículo na rua mesmo com o licenciamento vencido há quase dois anos e que obrigava motoristas a trabalharem até 19 horas seguidas, alguns ainda fazendo o trabalho de cobrador. E, se mantém motoristas que desrespeitam passageiros e as leis de trânsito, deveria ser responsabilizada, pois o empregado é a cara da empresa.

A prefeitura, que não fiscaliza nada e parece comer na mão das empresas de ônibus.

O governo do estado, que permitiu que um veículo com 46 multas, sendo 14 por excesso de velocidade, continuasse nas ruas.

Eu e você, que aceitamos tudo passivamente, tornando-nos cúmplices por acomodação.

Só não têm culpa os sete mortos e 10 feridos, quatro deles em estado grave.

Ah, para completar o festival de absurdos, o delegado encarregado do caso, inexplicavelmente, também indiciou o motorista por homicídio doloso. Ou seja, o cara leva um chute na cara de um passageiro celerado e é considerado culpado também. A família dele está indignada e com razão.

14 comentários:

  1. Ao que consta até agora,o acidente foi a cerca de 300m após o ponto de ônibus onde o universitário queria descer,sendo ainda por cima na subida do viaduto de acesso à Av. Brasil,não dando tempo,portanto,de o ônibus desenvolver velocidade excessiva. O motorista pode até ter dado uma de Fernando Alonso,mas não naquele local,pois não havia espaço para andar demais. Não é de hoje que os governos estão pouco se lixando para falhas dessa ordem,contanto que a arrecadação das multas continue entrando em seus cofres,afinal,é sabido que essa arrecadação consta do orçamento de inúmeros governos. Quanto ao universitário causador do acidente,não deixa de ser irônico que uma turma como a dele,que adora fazer protestos contra a violência e a intolerância,se mostre violenta e intolerante na sua vida cotidiana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, os relatos são de que o motorista vinha em alta velocidade antes da briga.

      Excluir
  2. CarioCAOS...não significando que outras cidades estejam em ordem.

    Repito esta oportuníssima sacada do Observador arguto:"Quanto ao universitário causador do acidente,não deixa de ser irônico que uma turma como a dele,que adora fazer protestos contra a violência e a intolerância,se mostre violenta e intolerante na sua vida cotidiana". Bingo!!!
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  3. Em tempos de UFC, o chute na cara do motorista é uma coisa normal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse Felipe bate, sempre, um bolão.Sempre atento aos sinais que, infelizmente, estão trocados ou, como disse o Nando Reis: o mundo está ao contrário e ninguém reparou.Esta merda violenta deste tal de UFC deveria ser proibida de passar na tv, de onde tudo se copia, infelizmente.

      Excluir
  4. Acidente que escancara, mais uma vez, a falta de educação, civilidade, honestidade, saúde emocional e outros atributos , atualmente escassos nos seres pensantes.

    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
  5. Ontem passei pela av. das Américas de carro, eu estava a uns 80km/h e observei um BRT que passou por mim, ele trafegava a uns 90km/h e por ironia, atrás dele estava escrito " velocidade máxima 60km/h ".

    Com tantos pardais pela via, o motorista não esta nem ai para as multas e o pior é que a quantidade de acidentes com o BRT está aumentado a cada dia.

    Cury

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só 90? No Aterro do Flamengo eu a 80 tenho a sensação do mundo inteiro a 150. E o Detran pegou a Ferrari do Felipe Massa em excesso na demonstração feita no Aterro: Felipe seria multado por estar a 95/h, segundo o radar do Detran. Ele acelerou a 280 (Matéria de Marcio Arruda no blog Cockpit do JB). Drum

      Excluir
  6. Outra foto com o céu esplendoroso.
    sergio.

    ResponderExcluir
  7. Mureta se conforme norma evitaria queda. 'Economia' porca. Capetalismo porco. Drum

    ResponderExcluir
  8. Oi Marcelo, pois é?
    E como é que a gente pode entender tanto absurdo?
    E o nojo que dá, ver uma certa mídia, rondando como urubu, alardeando, e quem sabe feliz, com tanta "matéria boa".
    Como é que pode um motorista, desempenhar, também, a função de cobrador, e não receber a mais por isso? O motorista tem que receber o dinheiro da passagem, fazer contas, devolver o troco, se preciso for, e dirigir ao mesmo tempo. Como é que é permitido isso?
    Imagine o nível de tensão!
    E o tal "estudante", estudando pra ser o quê, né?

    É. É tudo muito absurdo mesmo!
    Tudo muito nublado.

    Beijo,
    Sandra

    ResponderExcluir
  9. A intolerância do passageiro não justifica a irresponsabilidade do motorista que conduzia vidas. Se algo de errado ocorria no ônibus era seu dever ter parado e feito o babaca descer. Agora o motora não lembra de nada! Nem vai lembrar até pq a câmera do onibus sumiu...
    No Rio é comum vermos ônibus em alta velocidade detonando o trânsito, colocando em risco as vidas dos passageiros, transeuntes e outros carros. São arrogantes mesmo (meRmo!!!), irresponsáveis em sua maioria...
    Outro dia vi um desses passar em alta velocidade na frente do Pinel. Ele estava lotado, indicava que ia para Caxias. Acho que vinha da praia... Após dar uma fechada no meu carro, ultrapassou o sinal vermelho, quase atropelou uma senhora que atravessava na faixa com um bebê no carrinho.
    Daquele jeito ele não ia chegar nem na metade do Aterro! Provavelmente o motorista garotão tinha bebido (na praia).
    Antes que ele completasse a curva do Iate na Pasteur eu não aguentei, chutei mesmo, digo, fiz o animal parar o ônibus (explico: fiquei com o meu carro na frente do coletivo e fui diminuindo a velocidade até ele ser obrigado a parar) e falei tanta coisa... só não dei ordem de prisão (em caso de flagrante delito qq pessoa do povo pode fazer isso). Antes que ele descesse ou atirasse eu caí fora é claro. O motora garotão ficou perplexo e os passageiros também. Foi tudo bem rápido e, obviamente, intenso. Confesso que agi mal, mas foi minha reação. Não aguentei ver tamanha loucura, tinham muitas crianças com as cabecinhas nas janelas do ônibus, aquilo me revoltou! Era um sábado a tarde... Sei que eu deveria ter ficado por ali pelo Pinel. Ele me fechou é certo, mas consegui me proteger, estava atenta, reflexos rápidos... pq não pensei f-se, não é comigo.
    Por fim, olhei pelo retrovisor e vi que ele tinha diminuido a velocidade, pelo menos até onde consegui acompanhar.
    Antes de me julgarem pensem no seu filho (ou pai, mãe, irmão...)dentro daquele ônibus, pq foi isso que pensei. A minha filha anda de ônibus no Rio.
    É preciso ter cuidado com sentenças sumárias, típicas de ditaduras...
    Bem, é só uma reflexão.
    Saudações a todos,
    Andrea

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que os motoristas são terríveis, ainda mais nos feriados e fins de semana, pode reparar.

      Excluir
    2. Parabéns, Andrea...o Rio e o Brasil precisam de muiiiiiiitas atitudes como a sua.
      Eduardo

      Excluir