Translate

domingo, 27 de janeiro de 2013

Incêndio na boate vai ficar por isso mesmo

Tragédia. Centenas de jovens curtindo um show de música na cidade universitária de Santa Maria (RS). No palco, o vocalista da banda inicia uma performance pirotécnica. Quase todo mundo eufórico, muito energético, muita vodca. De repente, a chama pega na espuma do teto, O fogo se alastra, há uma só saída, trancada pelos seguranças. Em meio ao pânico da fuga em massa, eles exigiam que os jovens pagassem suas comandas...

Mais de 230 mortos, a maioria por asfixia, 100 feridos, dezenas deles em estado gravíssimo.

Dilma volta correndo do Chile, o campeonato gaúcho para, o governador Tarso Genro lamenta a maior calamidade da história do estado, segundo pior incêndio ocorrido no país. O brasileiro assiste consternado ao transporte dos corpos em caminhões.

Agora, a previsão num país previsível.

VAI FICAR POR ISSO MESMO.

A comoção passa, e os processos são lentos. Não me iludo com políticos e delegados prometendo punição exemplar no calor da emoção, muito menos com os gritos indignados dos apresentadores sensacionalistas da TV. Tudo vai esfriando, esfriando. esfriando. A lei tem brechas que advogados caros sabem como explorar e de cabeça de juiz você nunca sabe o que vai sair, pois tudo no Direito dá margem a interpretações diversas. Até mesmo um tiro no meio da cara. Se o assassino tem prestígio, vão provar que agiu "sob forte emoção", "legítima defesa da honra" ou outro subterfúgio conveniente...

Lembra do Bateau Mouche? Tem um culpado lá na Espanha, solto.

E o Andrauss, o Joelma, o Andorinhas... o desabamento do elevado da Avenida Paulo de Frontin, do edifício Palace II; a explosão do shopping de Osasco, do duto de Cubatão... Quem foi preso? Quem continua preso? Quem teve os bens confiscados? Quem foi indenizado?

E o juiz Nicolau? Preso em casa. Nunca vi ninguém ficar preso em casa, lugar de preso é na cadeia. E o Pimenta Neves, que, condenado por assassinato, levantou do banco dos réus e também foi pra casa.

O Brasil tem um câncer: impunidade.

O governador gaúcho disse que o dono da boate vai ter que apresentar todos os laudos e documentos para o funcionamento. Mas apresentar agora? Deveria ter apresentado antes da tragédia, se houvesse fiscalização séria e preventiva. Ou não fiscalizaram direito ou levaram propina.

Na Argentina, só mudaram as leis depois que 194 morreram em condições semelhantes numa boate em Buenos Aires.

Talvez o responsável pela casa de shows de Santa Maria pegue uns dois anos em regime fechado e depois saia da prisão para tocar a vida.

Mais um ou outro pagará algumas cestas básicas ou prestará serviços à comunidade. Talvez os fiscais, que não fiscalizaram nada.

E vamos em frente, porque amanhã outra manchete diferente fará a impunidade nos chocar de novo, apesar de dizerem por aí que o julgamento claramente político do suposto mensalão inaugurou uma nova era na Justiça brasileira.

Foto: Marcelo Migliaccio


15 comentários:

  1. Nesse momento mais do que consternado estou com vergonha. Ha indicios claros de falhas dos mais diferentes tipos, mas so quem condena por indicios eh o Joaquim Barbosa que nao deve participar do processo. Lamento ainda que a tragedia tenha acontecido em um show de rock, ja tao fora da moda atualmente e que agora sera estigmatizado por essa tragedia. Enfim, um simples show ser responsavel pela morte de cerca de 10% do numero de mortos no ato terrorista do 11 de setembro eh triste e absurdo demais...

    ResponderExcluir
  2. Lamentavelmente, sem qualquer esforço, concordo, literalmente, com sua previsão. Memória curta e fugaz, sabemos, é um dos principais traços da personalidade de nosso país. Agora mesmo, o Renan Calheiros, das Alagoas do Collor, aspira presidir o Senado. Será que todos lembramos da trajetória maligna dessa pessoa?
    Quanto á tragédia da vez, lamento muito saber que muitos jovens de ambos os gêneros, deixam o planeta tão precocemente.. Seria divino, haver uma LEI UNIVERSAL, que determinasse que ninguém morreria antes dos sessenta anos, salvo, em casos especiais, de pessoas, já natimortas, por condições precárias, física e mentalmente, com que nascem.
    No mais, gostaria de estar na cidade da tragédia, para, profissional e pessoalmente, ajudar aos familiares dos sobreviventes. Como não existe essa possibilidade, muita luz e força prá cada um deles.
    ANTONIO CARLOS

    ResponderExcluir
  3. O blogueiro mais uma vez tem razão.Que é uma tragédia de se lamentar "ad eternum! e que os responsáveis teriam de ser punidos `a luz da lei e o mais rapidamente possível, é inquestionável, massssssssss... Porém o que é mais triste, deplorável e imperdoável é que o Deus Grana tem falado mais alto, (quase) sempre:"Em meio ao pânico, eles exigiam que os jovens pagassem suas comandas". A "lógica" perversa do mercado neoliberal que considera o cidadão somente como consumidor e como um número a mais ou a menos... não deixa vislumbrar, por enquanto, dias melhores. Quem viver...

    Só de imaginar , solidaria e altruisticamente, que um filho ou parente nosso ou amigos pudessem estar naquele caos infernal (ninguém é melhor do que ninguém ou possui estrela na testa), dispensa maiores reflexões, né?
    Que os sobreviventes tenham sorte e que os familiares que vão enterrar ou cremar seus entes queridos, encontrem algum conforto espiritual ou existencial, da forma que (se) conseguirem... amém que sim!
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  4. Não culpo só os proprietários dessas casas de show ou boates por essas tragédias, culpo as autoridades, inclusive os bombeiros pela vista grossa que fazem quando fiscalizam esses estabelecimentos (me dá o meu $$$).

    Em janeiro de 2012 um prédio foi abaixo após uma explosão causada por cilindros de gás, porém os mesmos cilindros eram entregues na luz do dia e a prefeitura/bombeiros/defesa civil nunca perceberam que estocar gás poderia causar uma tragedia !!

    Como disse o Marcelo, vai ser mais uma tragédia sem culpados !!

    Por falar em impunidade, por onde anda o espanhol Chico Recarey que só fez M. aqui no Rio, até a fachada de uma casa de show dele (Scala) desabou, será que ele fugiu ??.

    O samba da Mangueira em 89 fez uma homenagem a esse pilantra (...Mas hoje tem o Chico Recarey, Re..ca..rey. Que o Rio apresenta das noites o mais novo rei...).
    Alò Mangueira, não tinha ninguém melhor para ser homenageado ??

    Cury

    ResponderExcluir
  5. Não tem muita importância, mas parece que a banda não era de rock e tocava uma mistura de sertanejo com musica gaucha.

    ResponderExcluir
  6. Brasil é um país cômico. Agora todo mundo querendo colocar a culpa em alguém (os seguranças, no momento, estão sendo moídos, pois supostamente barraram a fuga em massa, sempre é o pobre o culpado num país com consciência colonizada). Mas como disse o autor, dificilmente alguém será punido, país corrupto é assim. O ideal seria: responsabilizar todos os donos da boate, o gênio da banda que usava sinalizadores, o funcionário público que deveria fiscalizar, as empresas que patrocinaram e divulgaram o evento. Assim, cria-se uma consciência coletiva de responsabilidade. Se afim fosse, artistas como Ivete Sangalo sentir-se-ia, ladra, em receber 650 mil em dinheiro público.

    ResponderExcluir
  7. Os quatros sócios da boate, que não conseguem ser localizados pelas autoridades, devem estar, juntamente com seus advogados, elaborando uma estratégia para provar que não havia nenhuma irregularidade com a boate e que a culpa foi toda dos seguranças, que impediram as pessoas de saírem quando o incêndio começou.

    ResponderExcluir
  8. Pirotecnia em local fechado? Se é que é previsto em normas técnicas, deve haver parâmetros, como mínimo de área, altura do teto etc. Acho temerário em quaisquer condições fogos em local fechado.

    Concordo com Lamar, pegar seguranaças pra Cristo não é certo. Se não estavam equipados com rádios, de modo a saber de imediato o quê estava acontecendo lá dentro, a culpa não é dos trabalhadores.

    Ausência de saídas de emergência, extrapolação da capacidade máxima e fiscalização...sem comentários.

    Drum

    ResponderExcluir
  9. "(...) consideradas as características do espaço, ela (pirotecnia) é proibida e pode causar grandes riscos(...)" Carlos Wengrover, engenheiro e coordenador do comitê brasileiro de segurança contra incêndio no Rio Grande do Sul

    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/rs/2013-01-28/o-que-poderia-ter-evitado-a-tragedia-em-santa-maria.html

    ResponderExcluir
  10. Como a corda arrebenta do lado mais fraco,os seguranças já são candidatos à forca em praça pública. Uma jornalista na tv por assinatura,após divulgar uma entrevista com uma sobrevivente afirmando que os seguranças,após perceberem o que estava ocorrendo,trataram de abrir as portas,tirar as grades que estavam do lado de fora da casa noturna e puxaram as pessoas pra fora daquele lugar,fez de conta que não ouviu e bateu na tecla de que os funcionários não deixaram ninguém sair. Quanto aos donos do estabelecimento e ao imbecil que teve a infeliz idéia de acender um sinalizador em um lugar fechado,nem uma palavra. No fim das contas,tudo isso vai servir para um monte de gente aparecer e quase ninguém ir em cana.

    ResponderExcluir
  11. E aquele canal de televisão, tão chocado e triste com a tragédia, mandou sua celebridade máxima, quer dizer, seu maior jornalista, tomar o avião e partir pra frente da boite kiss para cobrir a matéria, que já era velha. O preço do anuncio no jornal sensacinal deve ter dobrado ontem. É vergonhosa a forma usada pra faturar em cima da desgraça alheia. Bom, essa é a especialidade da casa, né?

    ResponderExcluir

  12. ESTES TEMPOS NÃO ESTÃO PRA NINHARIAS

    Foram necessários quase 250 mortos se pensarmos nos que ainda podem vir a falecer, (até ontem, 05-02-2013, precisamente, 238 óbitos) fora os feridos gravemente, para que começassem a fazer o que sempre deveria estar feito. Sábado à noite, inúmeras casas noturnas do Rio estavam fechadas por não oferecerem segurança para seus frequentadores. Porque isso, porquê sempre tem que ser com sangue que a roda da civilidade e justiça se move? Faço deste pequeno texto, um réquiem para meus irmãos tão jovens, vítimas do descaso do antropofágico empresariado brasileiro, que em nome de mais e mais grana, nunca leva em consideração a vida humana. É por demais lamentável que todas as conquistas sociais obtidas no decorrer da história tenham sempre sido lavadas com rios de sangue... Até quando permitiremos a existência de uma civilização tão vampiresca quanto a nossa? Até quando meu Deus? Como empreendedores abrem casas de diversão sem levarem em conta a segurança dos seres humanos que ali irão? Seria o mesmo que construir uma casa com as devidas aberturas para portas e janelas e não colocar portas e janelas para fechá-las, quando a casa está abarrotada de objetos roubáveis. É obvio que ninguém faz isso; porque ninguém quer ser roubado e disso não se descuida... mas, da vida humana, esquecem costumeiramente. Um amigo que na sua filosofia dita realista, mas que considero pessimista ao extremo, disse que tudo isso seria logo esquecido, que após o carnaval outras tragédias suplantariam o impacto desta, e a ele eu respondi que não, que decididamente não seria assim, realisticamente sei que as pessoas acordam e lutam pelos seus direitos mais básicos quando estes lhes faltam, e não seria diferente, principalmente com um acontecimento de expressão internacional como este. Atitudes começaram e continuarão a serem tomadas, e obviamente, os canalhas de plantão, ainda por algum tempo continuarão buscando estratégias para burlarem as leis, e a luta pela dignidade tem de ser tão forte quanto a persistência deles... é o exercício da vida e da democracia: atenção e vigia. O triste e desprezível é serem necessários 250 quando um já seria um escândalo. Porque uma vida é sempre um milagre, um vir a ser com tantas possibilidades, que acabar com uma vida é sempre arrancar um pedaço de Deus, emudecer-lhe uma de suas expressões. A gananciosa, desprezível, criminosa e monstruosa irresponsabilidade de todos que lidam com vidas humanas e não tomam as devidas precauções, para que tragédias como esta sejam verdadeiramente evitadas; elas só envergonham e entristecem a nossa já tão precária existência. No mínimo, nosso repúdio por tamanho descaso com a vida humana. E que jamais nos esqueçamos do provérbio que diz: “Quem não pune o lobo, sacrifica as ovelhas”.
    Theo Lima

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde:

    Legal o blog!
    O encontrei sobre um comentário de um dos incêndios em SP...
    Aliás estes foram as maiores tragédias existentes; em tais tempos - poucos recursos.
    Mencionas sobre um homem no JOELMA que fumou diante de toda a tensão lá vivida_ou este seria UM FUMANTE ATIVO mesmo ou no NERVOSISMO/tentou amenizar o problema.
    O que há de gente que FUMA em situações menos favorecidas - alias FUMAR não é nem um mpouco favorecido; triste de quem faz isso (e de quem SOFRE AS CONSEQUENCIAS!).
    E ainda sobre tal pessoa que fumava em tal incêndio: FOGO não faltava para acender tal... risos.
    Em relação à tal BOATE KISS (que chamo de FRIZZ), nem sei se serias FATALIDADE mesmo: péssimos exemplos de FALTA DE SEGURANÇA; além de uma falta de noção o tal ter acendido tal coisa (só entre nós: pena que não foi junto com as VÍTIMAS DE BEM!)...
    Isso serve de exemplo para OUTROS AMBIENTES FECHADOS E LOTADOS: teatros, cinemas - nestes vai gente de todas as idades_crianças/idosos.
    A banda se chamava FANDANGUEIRA... A apelidei de BAGACEIRA (e isso seria pouco!).
    Quanto a mim: também sou do RJ, só que resido no RS há tempos.
    E a violência aqui não é diferente do RJ (inclusive de outros Estados brasileiros). Cada dia uma modalidade de crime surge.
    Por acaso, és parente dos artistas DIRCE & FLAVIO MIGLIACCIO?
    É isso.

    Valeu,
    Rodrigo

    http://rodrigo-arte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Rodrigo, seja bem-vindo. Sim, sou filho do Flávio e sobrinho da Dirce. Abraço

      Excluir