Translate

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Apelo infantil

Olhe só a última ideia brilhante dos publicitários que trabalham para a indústria de bebida alcoólica:



Um freezer cuja pintura simula uma dessas máquinas em que crianças tentam pegar bichinhos de pelúcia manejando uma garra mecânica.


O que faz o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar)?

Nada, como nada fez para tirar do ar a propaganda da Peugeot em que o tenista Guga dá um show de direção perigosa pelas ruas da cidade, inclusive quase atropelando três operários.

Aqui não tem Hugo Chávez, nem Partido Comunista chinês, nem ditador sírio.

Aqui, a ditadura é do dinheiro.

Quem tem dinheiro, tem poderes ilimitados, compra todo mundo.

Pra mim, droga tem que ser liberada. Todas. Mas nenhuma delas precisa de propaganda, muito menos para influenciar crianças.

14 comentários:

  1. Acho muito lamentavel tambem o uso dos fortoes do UFC em propagandas como a da Sky onde um deles aparece para humilhar um pai forcando-o a entregar o controle remoto ao filho, e outro que ao estacionar ocupa duas vagas e quem quiser que se meta com eles. Aqui na Bahia do ACM a cada tres vagas de estacionamento uma eh oerdida, imagine com esse incentivo.

    ResponderExcluir
  2. A alguns anos atras, eu achava que a Xuxa era o que havia de mais nocivo para as crianças.
    Agora com essa enxurrada de comerciais tendenciosos, os pais e educadores precisam fazer um trabalho para não deixarem as crianças virarem meras consumistas sem causa !!

    Cury

    ResponderExcluir
  3. A propaganda do Guga é a da Peugeot,na verdade. O da Renault é uma que até já não está mais no ar (felizmente),na qual a personagem dá um cavalo de pau no meio da rua para encaixar o carro em uma vaga. Ambos péssimos exemplos,ainda mais se considerarmos que somos campeões de mortes no trânsito. Como dizia a velha música da Legião Urbana:"Vamos comemorar como idiotas a cada fevereiro e feriado".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, corrigi o nome da fábrica. Bela citação do Renato Russo

      Excluir
  4. Sem dúvida, a influência é inegável. Se começa a apreciar bebida alcoólica cada vez mais cedo.

    Outro dia, num supermercado de bairro classe média alta da Z. Sul, um menino, aparentando uns 11 anos, declarou o seu encantamento diante da prateleira de cerveja, na companhia do colega, com direito a um abraço afetuoso numa embalagem com 6 unidades de Skol:

    - Essa é a parte do mercado que eu mais gosto - suspirou.

    Talvez ele seja sobrinho do diretor de marketing da Skol, que recentemente fez a seguinte afirmação numa reportagem sobre a marca, escolhida como a preferida dos cariocas:

    "Quando se olha para Skol e para o carioca, é como se fossem irmãos."

    E o amor não é só entre irmãos, também é tema da campanha na TV na qual a latinha personifica a mulher amada ao som de Linda Demais.

    Faltou dizer que a Skol é elixir do amor. Não, melhor ficar subentendido, caso contrário além do "Se dirigir, não beba", teriam que acrescentar "Todo remédio deve ser mantido fora do alcance de crianças", e é preciso expandir o mercado consumidor...

    Na BOA, nada mais refrescante que um chope gelado, mas beber precisa ser uma ação consciente e responsável.

    ResponderExcluir
  5. Mauro Pires de Amorim.
    Concordo contigo que o dinheiro é a síntese do poder e ostentar possuir dinheiro é sinônimo de sucesso na vida. Tudo no estilo da mentalidade e análise superficialista copiada da sociedade igualmente superficialista norte-americana, criando a dicotomia entre "winners and losers" (vencedores e perdedores na vida).
    Por falar em dinhero e sociedade norte-americana, Obama conseguiu ser re-eleito. Confesso que cheguei à cogitar que o mercado financeiro daquele país, leia-se os banqueiros e poderosos conglomerados econômicos da América do Norte, não permitiriam que Obama vencesse, dando um "jeitinho" para que isso não acontecesse, afinal, um país onde a elite econômica possuí pretenções de dominação mundial, que manipula as agências de comunicação para enfatizarem notícias que lhe são favoráveis, desestabiliza e depõe governos estrangeiros que são contrários aos seus interesses, alçando ao poder governantes que lhes sejam mais favoráveis. Um país onde se assassinam presidentes eleitos, fazer fraude eleitoral, seria dentre os crimes, o menos pior.
    Mas o fato é que Obama venceu. Mesmo assim, não se iludam, pois aposto que essa vitória de Obama foi costurada politicamente com os republicanas e isso já era nitidamente perceptível na última semana da campanha eleitoral e agora, no próprio discurso de Romney, pedindo a união entre democratas e republicanos em prol do bem do país. Portanto, não se surpreendam se nesse 2º mandato na presidência dos EUA, perceba-se um governo com características mitigadas, um Obama-Romney, algo meio Frankenstein. Mas política tem dessas coisas, não sendo por outro motivo que o PT, já no 2º mandato de Lula e posteriormente com Dilma, aliou-se a velhos tradicionalistas e até coronéis da política brasileira, sintetizados no PMDB e partidos menores.
    Voltando à re-eleição de Obama, não esperem muito dele em termos internacionais e digo isso principalmente em relação à expectativa de ajuda econômica externa, inclusive para a América Latina e União Européia, pois essa era a diferença anunciada na campanha para a presidência, afinal, a crise econômica nos EUA continua grave e os grandes capitalistas dequele país não estavam gostando nem um pouco da possibilidade do Tesouro dos EUA evadirem dólares que podem estar disponíveis em sua economia interna e consequentemente auxiliarem seu país a sair do atoleiro econômico, para anabolizarem economias externas, sem que estes mesmos capitalistas norte-americanos obtenham ganhos vantajosos e tal fato ocoreria em relação à União Européia, ja que, aquele bloco econômico em função de desenvolvido sistema educacional e tecnológico, possuí capacidade de produzir patentes e produtos próprios, capazes de competir com os produtos e patentes norte-americanos.
    Não possuo bola de cristal, muito menos me arvoro em profeta da verdade, mas conheço um pouco a mentalidade do mercado neo-liberal e baseado nesse conhecimento é que arrisco esse brave esboço analítico.
    Felicidades e boas energias.

    ResponderExcluir
  6. Hoje, para mim, o tema eh outro!
    Contente, estou celebrando a vitoria do candidato que apoiei e votei: #OBAMA12

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se as crianças tivessem nos pais os reais e verdadeiros educadores, que não eram tão infantilizados quanto agora...como já aconteceu em priscas eras ou em tempos menos insanos, vazios e violentos...não haveria grandes problemas. Como agora quem (des)educa é a maldita rainha da lar, ou seja, a TV ...que não vejo até por falta de tempo e por considerá-la quase sempre medíocre, mais do que eu rs...podemos imaginar que nem adianta correr porque o bicho não vai pegar: já pegou. Tomara que eu esteja equivocado.Amém que sim!
      Abraço
      Marcos Lúcio

      Excluir
  7. O slogan da campanha de Obama foi:
    Vote em mim, eu peguei o Bin !! (rsrs)

    Só falta ele acabar com a Prisão de Guantânamo, que mais parece um campo de concentração.

    Cury

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Plenamente de acordo Cury, foi promessa de campanha!

      Excluir
  8. Oi Marcelo , você sempre chama nossa atenção pra estas mensagens subliminares da midia em favor das bebidas , consumismo ,apelo sexual ,que influenciam mal as crianças e o pior é que funcionam ! O numero de jovens ( menores ) que fazem uso de bebidas alcoolicas é enorme ,pois muitos fazem questão de afirmar que saíram à noite e "beberam muito ",parece que nada é mais interessante do que isso numa festa.Certa vez estava com meu filho numa pizzaria esperando para entrar e atrás de nós ,tinha um grupo de jovens ,na faixa de 14 a 16 anos ,aparentando ser de classe media alta ,com uma garrafa pet de refrigerante ,que passava de mão em mão e o que fez observá-los foi o cheiro forte de vodca que exalava , a garrafa de refri era só pra disfarçar .Fiquei pensando nos pais daquelas crianças ,será que imaginavam que os filhos estavam ali naquela situação .
    No que diz respeito a liberação das drogas discordo ,mas gostaria de saber porque você é a favor ?
    Adorei a foto da gaivota ! Gosto de observá-las sempre que posso ,aliás sabe quando perguntam que bicho gostaria de ser ,eis aí a minha preferencia .

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Teresa, pra temntar resumir, sou a favor porque a proibição só gera violência e crimes e porque todo ser humano tem o direito de escolher o que quer para si. Um abraço

      Excluir