Translate

quinta-feira, 19 de julho de 2012

O receptador das intimidades

Ontem a polícia prendeu ladrões de carro no Rio. Depois disso, os policiais passaram a procurar as oficinas que compram peças de carros desmontados, ou seja, as receptadoras, as financiadoras do crime, que compram o produto roubado para revender ao consumidor final.

Pois aconteceu o seguinte outro dia na televisão.

Um programa novo na emissora líder de audiência decidiu debater a invasão de privacidade. Convidaram um ator contratado da casa e um fotógrafo que passa seus dias perseguindo pessoas mais ou menos famosas atrás de flagrantes inusitados.

O mediador do debate, apresentador do programa, logo tomou partido do ator da casa. Sendo ele uma personalidade também, resolveu colocar o fotógrafo paparazzi contra a parede. Juntaram-se então o ator contratado da casa e o apresentador para demonizar o pobre coitado do lambe-lambe.

O debate de dois contra um virou uma covardia. A dupla de "famosos" ali, colocando para fora todos os seus recalques contra fotógrafos que os emboscaram nos shopping centers da vida, levando embora o sossego de um dia de folga em família.

Foi quando o tal ator, que adora dar lição de moral, disse que também deveriam ser responsabilizados os órgãos de imprensa que compram as tais fotos para publicá-las em suas revistas e sites de celebridades.

Nesse momento, o fotógrafo, muito calmamente, disse que sua principal compradora era a empresa dona daquele canal de TV.

Ou seja, o receptador da preciosa intimidade roubada do ator e do apresentador é ninguém menos que seu próprio patrão.

Instantaneamente, as duas celebridades, até então tão indignadas com a situação, se calaram. Ficaram com caras de tacho. Sem graça, o apresentador ainda saiu-se com essa:

_ Que delícia podermos debater isso aqui.

Mas o debate acabou ali, quando chegou nas responsabilidades do patrão de ambos sobre o crime que denunciavam. Acabaram-se seus argumentos e aquela suposta coragem intrépida de debater o tema polêmico.

Ainda se vangloriaram de o programa ser gravado e mesmo assim a cena ter ido ao ar, mas, se cortassem na edição, estariam desmoralizados diante da grande platéia reunida no estúdio.

Você que consome revistas ou visita sites de fofoca, portanto, é o último elo dessa cadeia. É você quem consome a intimidade roubada dos artistas pelos paparazzi e revendida pela indústria da mídia de celebridades. Da mesma forma que o espertinho compra peças roubadas para consertar seu carro a um preço menor, o consumidor de fofoca quer ver o artista sem que ele esteja se apresentando profissionalmente.

A TV comercial não dá margem a nenhum debate sério, porque tudo ali tem implicações e interesses, sejam políticos, econômicos, ou ambos. É o chamado vício de origem, em termos jurídicos.

O video desse constrangedor arremedo de debate está no Youtube.

6 comentários:

  1. Foi no mínimo burrice escolher este tema para o programa e ter como um dos convidados um invasor das intimidades dos (+/-) famosos, pois o risco do invasor revelar quem era o principal receptador do produto de seu trabalho era grande. Provavelmente ele se sentiu acuado e resolveu colocar a boca no trombone, para limpar um pouco a sua barra - e também para justificar que o trabalho dele só existe porque tem quem pague pelo produto de seu trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Ironicamente o programa recebeu o nome daquulo que falta ao empreagado, mais ainda ao empregador. A consoante "n" tá sobrando, assim como os membros da platéia, que "acham" participar de um debate(?).

    O que esperar da diva platinada senão mais uma ode à hipocrisia?

    Parte da explicação tá no post "number one" deste blog.

    E viva a liberdade de expressão!

    ResponderExcluir
  3. Este "debate" entrou para os grandes momentos da televisão brasileira. a carqa de tacho do Pedro Bial não tem preço rsrs

    ResponderExcluir
  4. Graças ao PT e a seu guru da mídia Franklin Martins, não temos do que reclamar em matéria de TV.Dispomos dos melhores noticiários, programas de cunho cultural, debates sobre temas diversos sempre em alto nível,filmes, enfim, tudo aquilo que tanto esperamos por décadas:a nossa Rede Brasil!!
    E mais...sem gravar o bolso do contribuinte!!A qualidade é de tal envergadura, que os cidadãos alegres e sorridentes, não se importam em recolher impostos em cascata incidentes sobre tudo aquilo que consomem.Sabem que pagam muito pouco diante daquilo que tem em retorno!!Além desse verdadeiro oásis dentre a mediocridade midiática privada,ainda recebe em contrapartida uma rede de saúde pública da mais alta qualidade, ensino gratuito comparável aos melhores do planeta desde a pré-escola, e ainda por cima, fruto da invejável qualidade da gestão orçamentária, que não tolera desvios, extirpou o "toma lá-dá-cá" com os políticos e acabou com a mamata das empreiteiras, gerou um superávit de fiscal de tal magnitude que permitiu ao nosso país sediar os eventos Copa e Olimpíada!!Decididamente, crise por aqui não passa!!Povo instruído e saudável graças ao PT e ao maior Presidente que o mundo inteiro já teve, em todos os tempos!!

    ResponderExcluir
  5. Putz, vou ser obrigado a postar mais um comentário. No trabalho não consigo acessar o youtube, então, hoje cedo, só tinha lido o texto. Mas agora a noite,em casa, assisti ao vídeo...nossa, que babaca a postura desse ator, hein? Mas por outro lado foi muito legal a cara de bunda deles quando o fotógrafo falou quem era o principal receptador do que ele produz.

    ResponderExcluir
  6. O pior é qua a maldita rede (de esgoto?!), que não assisto por n motivos, assim como outros canais...afirma o óbvio: TV GLOBO E VOCÊ...TUDO A VER.

    Não adianta mudar os reis e, sim, promover a evolução concreta dos seus súditos. O "serumano" é o que lê, o que come, o que vê, o que ouve, etc, quase sempre! Alguns jornalistas precisam assistir determinados programas (escatológicos ou ridículos) para criticá-los...faz parte do "modus operandi" da profissão.

    Como figueira só pode dar figo...esta emissora nefasta...não
    pode_em hipótese alguma_ ser levada a sério (na verdade, não merece audiência), pois segundo o combatente blogueiro, ululantemente..."A TV comercial não dá margem a nenhum debate sério, porque tudo ali tem implicações e interesses, sejam políticos, econômicos, ou ambos".
    Sou muiiiito mais temeroso do povo que vê tv _sem criticidade ou sem critério, a tal massa de manobra_ do que da falta de qualidade da mesma.
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir