Translate

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Química digital

Dizem que a única coisa que distingue definitivamente dois seres humanos é a impressão digital. Conversa. Esses risquinhos na ponta dos dedos podem ser muito bons para decorar carteiras de identidade, mas estão longe de resumir a diversidade da espécie que dominou o planeta a despeito da força dos elefantes e da velocidade dos guepardos.

Não há duas pessoas sequer parecidas, mesmo que imitem o cabelo do Justin Bieber ou os seios plastificados da... qualquer uma. Você pode estar achando chato esse papo cabeça de abobrinha e já digo aonde quero chegar: nas curas milagrosas alardeadas nos templos evangélicos, espíritas etc e na limitação da medicina.

Os pastores _ alguns canastrões de marca maior _ falam que tudo é obra de Deus. Não vou entrar nesse mérito, pois para isso primeiro deveriamos discutir o que cada um entende por "Deus", uma resenha sempre longa e inconclusiva. O fato é que, nos cultos, muitos fiéis exibem exames médicos que atestavam seu pé na cova uma semana ou um mês antes. Para a medicina, estavam desenganados, no entanto estão ali, orando, louvando e contribuindo para a obra, o que prova que também estão trabalhando.

Assisto a trechos de programas evangélicos na TV quando não tenho nada pior pra fazer. Outro dia, uma senhora disse diante das câmeras que quem lhe indicara aquela igreja foi o próprio médico. Isso mesmo, o doutor jogou o estetoscópio em cima da mesa e suspirou:

_ Pra senhora não tem jeito... (pausa) Tente o culto daquele pastor...

Tirando alguns figurantes contratados para relatar milagres, acredito que muitos desses depoimentos são verdadeiros. O que constato nesses programas é que, mesmo diante de um pregador pouco convincente, as pessoas não estão ali para mentir. Elas se entregam, procuram e agarram a própria fé.

Então,  aí dá-se a cura.

Voltando à diversidade humana. É por causa dela que a medicina é tão limitada e imprevisível. Não adianta dar o mesmo medicamento a mil pessoas só porque é isso que está escrito nos compêndios médicos. Cada uma dessas mil vai metabolizar aquilo de acordo com sua química. Para umas, será um antídoto, mas para outras poderá ser o veneno.

A química de cada um?

O cigarro é uma roleta russa, mas não se pode afirmar que provoca câncer. No máximo, é correto dizer que o hábito de fumar pode provocar câncer, além de outras doenças, afinal o nosso centenário Oscar Niemeyer esteve aí até os 104 anos com seu pito na boca...

Coloque um milhão de pessoas diante de uma farta mesa de self-service e creio que nem duas delas farão pratos exatamente iguais. Assim como a fé, o paladar e o apetite são características únicas de cada pessoa. Eles são resultado da química corporal do indivíduo. Há quem adore cebola, o fã do giló, o alérgico a camarão, o chocólatra, o que só come purê de batata com caldo de feijão por cima, o que bochecha o chope antes de engolir...

Há de tudo.


E devo confessar que adoro cartilagem de galinha...



Ninguém vai ao culto para contar mentira... espero

8 comentários:

  1. Sobre as "curas" milagrosas que frequentemente são exibidas nos programas evangélicos: não tenho nada contra nenhuma denominação religiosa, mas, pra mim, 80% do que é exibido nesses programas subestima a inteligência de quem está assistindo; e não estou me referindo apenas às curas de doenças, estou falando também da rapidez com que determinadas pessoas que começam a frequentar algumas igrejas progridem financeiramente. Já cheguei até a pensar em frequentar uma delas, pois tinha gente ali que era analfabeta e em 6 meses já tinha mais do que eu que tenho nível superior, especialização e sou concursado em um órgão público federal.

    Sobre a química de cada um: concordo plenamente contigo, não dá pra afirmar categoricamente que quem fuma vai ter câncer, quem bebe vai ter cirrose e assim por diante, senão, como explicar alguém que fuma dos 10 aos 90 anos e nunca teve nenhum problema de saúde relacionada ao cigarro? como explicar alguém que há mais de 30 anos pesa 160 quilos ou mais e nunca teve diabetes, problemas no coração ou qualquer tipo de doença relacionada ao excesso de peso?

    Como disse Humberto Gessinger: NINGUÉM=NINGUÉM

    ResponderExcluir
  2. Nunca fumei na vida. Já não posso dizer o mesmo quanto a bebida, mas sempre nos finais de semana. Comecei cedo_ aos quinze anos_ e perdi a conta de quanto já consumí todos esses anos.
    Tenho 35,e pra infelicidade de muitos e felicidade de alguns poucos e bons_ afinal, trabalho,tenho uma boa esposa e me acho responsável,até muito mais do que muitos abstêmios_continuo vivo e relativamente bem de saúde.Os problemas que surgem,inevitavelmente fazem parte da vida e nem sempre estão associados aos hábitos que se leva.Afinal, até trator que é de ferro um dia quebra.
    Enfim, se fosse levar a sério tudo que a medicina, religião e afins, pregam,estaria eu agora como prova definitiva que existe vida e internet após a morte.Ou então, de que outra forma vcs estariam me lendo agora?
    Mas, atenção:Minha avó dizia que até pra ser irreponsável,precisa-se de um pouco de responsabilidade .Talvez seja esse,afinal, o segredo.

    ResponderExcluir
  3. Êsse é o Marcelo Migliaccio,iniciou com RG passou por Niemeyer,e desmbocou nos evangélicos.Cuidado com as porradas! rs ah,valeu a foto,tou falando da primeira lá em cima. Bom dia.

    Monica.

    ResponderExcluir
  4. Greve de fome em frente àquela tv no Rio contra silêncio da mídia sobre massacre no Pinheirinho. No youtube. Drum

    ResponderExcluir
  5. Oi, Marcelo,suas fotos são maravilhosas e como sempre ,você
    tem me feito lembrar coisas boas,como a primeira vez em que estive no Pão de Açucar !Já fui várias vezes,mas a primeira foi marcante !
    E quanto ao texto,mais uma vez,certeiras observações.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Teresa, o sol batia em cheio no bondinho... bj

      Excluir
  6. Prezado MM...quanto a não ter nada pior a fazer e, por isto, assistir programa de tv evangélico, nada posso dizer. Meu eterno problema é faltar muito tempo especificamente para incontáveis coisas boas e ótimas a fazer...portanto, tv... sem chance alguma, a não ser que eu fosse jornalista, ou em busca de inspiração para elaborar algum ótimo texto, com criticidade, como é o seu caso.

    Sobre a questão da natureza que se constitui, exclusivamente, de diferenças e diversidades, a ponto de não existir, extamente, um grão de areia idêntico a outro, utilizarei o grande poeta que prova, logicamente, o que está na cara:nem gêmeo é igual.

    Ninguém é igual a ninguém. Todo ser humano é um estranho ímpar.
    Carlos Drummond de Andrade

    Somos como um rio com a sua corrente própria . A nossa nunca será a mesma daquele que está ao nosso lado.
    O mapa de nosso percurso, o trajeto da corrente de nosso rio, está em nosso coração.
    É nele, sejamos ou não místicos, que devemos, portanto, prestar atenção, para encontrar nosso
    peculiar destino. É muita inocência, portanto, acreditar na impossível alma gêmea...é desfazer da infinita criatividade do CRIADOR. No álbum da vida não ha figurinha repetida, em hipóese alguma.

    Gosto de pensar que é preciso olhar o outro-tão diferente quanto nós_' com os olhos do outro. Não apenas com os nossos.

    A sensação e a certeza de que X não é melhor que Y,
    a sensação de que X não pode ser Y, nem Y poderá ser X, demonstra que.
    apenas são o que e como são. Nem mais. Nem menos.

    Que bom sabermos que ser diferente é normai. Também não podemos esquecer de que a deficiência ideológica , religiosa e moral pode, se não agirmos contrários, contaminar como qualquer doença contagiosa. Preservemo-nos pra que realmente possamos ser livres, num país livre, democrático e humanizado!

    Até o sofrer é de várias maneiras e o morrer é de modos os mais variados. Ninguém atravessa a doença ou a morte ou a Dor do mesmo jeito. Isto é certo sobre nós, seres humanos: todos somos diferentes por sermos únicos e irrepetíveis.

    Onde não houver o normal: diferença e diversidade _ a principal característica da vida_, além da impermanência... certamente, não haverá vida real e natural.
    Abraço
    Marcos Lúcio

    ResponderExcluir
  7. Pude concluir,pelo excelente texto do blogueiro, além do "auxílio_sempre_ luxuoso, realista e oportuno" do sr. Marcos Lúcio, na minha modesta avaliação, que as pessoas que não aceitam as diferenças... que em nada as prejudicam, são pessoas com baixa auto-estima, falta de (auto)conhecimento e, pior, ainda não entenderam que elas também são, evidentemente, diferentes. Todo mundo é o outro de alguém. A única igualdade possível é sermos e termos o direito à óbvia diversidade.Para aqueles que não toleram diferenças (ou seja, a vida que só se constitui disto, inclusive o "TODO PODEROSO", que é A MAIOR DIFERENÇA QUE SE PODE IMAGINAR) que em nada vão alterar a mediocridade dos seus dias, sugiro, "en passant", uma terapia, posto que a psicanálise sabe muito bem que "antipatias violentas traem ou traduzem ou evidenciam afinidades secretas"...que aprendi e concordo, logicamente, em comentário feito pelo ML ,aqui já citado, em outro ótimo post dele, no blog idem,da talentosa Fernanda Dannemann.
    Bom finde e abraço
    Danilo

    ResponderExcluir