Translate

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Licor de Anísio

Na porta da boate do Lido, um senhor de óculos pretos e cabelos brancos esbraveja. O segurança, que parece o Charles Henrique do Pânico na TV, o leva para longe. Duas prostitutas o acompanham até a esquina, onde o idoso cai num choro convulsivo. Uma delas o acaricia e consola maternalmente, ou seja, duro ele não está.

Na porta do inferninho, o baleiro despeitado tripudia em  meio aos bombados pitboys:

_ Quem vai querer bater num velho desses?

Eis que um comboio de carros da polícia deixa o velho brigão em segundo plano. As sirenes acordam Copacabana.

Rumam para o maior prédio da Avenida Atlântica. No céu, não um nem dois, três helicópetos dão razantes sobre a cobertura cinematográfica.

Teve até policial descendo de rapel na cobertura


Na portaria, jornalistas e cinegrafistas se amontoam. Policiais armados vigiam as garagens, outros mostram um papel ao sonolento porteiro. Que espetáculo  às cinco e meia da manhã! Ao ver a tropa, achei que lá em cima estavam entrincheirados o Bruce Willis, o Charles Bronson, o Schwarzenegger, o Rambo e o Vítor Belfort. Mas era só o velho Anísio de outros carnavais.

Nota dez para a policial da Core


Logo, os curiosos começam a chegar.

_ Vieram prender o Anísio da Beija-Flor _ conta um cinegrafista de má vontade e que, se fosse bom para botar essa banca toda, não estaria no plantão da madrugada...

Três helicópteros para pegar um beija-flor. Que exagero, quanto combustível. No meu tempo, chamavam isso de presepada. Uma patrulhinha bastaria para levar o bicheiro preso. Aliás, acho que a coisa que eu mais vi na vida foi o Anísio ser preso. E a segunda coisa foi o Anísio ser solto.

Alguém tem dúvida que um juiz vai soltá-lo a tempo de ver sua escola do coração na Marquês de Sapucaí? Aposto que rola o alvará de soltura, e você?

Mais uma vez Anísio. Poderiam variar o script e escolher outro bode expiatório. Além do mais, Anísio é tricolor. Por que o sistema sempre desfalca a torcida do Flu? Prendam um flamenguista para variar.

Esse é o país da mesmice. Sempre os mesmos presos, sempre os mesmos corruptores, sempre os mesmos mandando na mídia, no Senado, no futebol, no Carnaval, no cimento, nas terras, no tráfico, na Justiça. E só há olhos para os bicheiros. E para os ministros da Dilma.

O país mais previsível do mundo.

Ah, Anísio não estava em casa.

Hoje, deu zebra

2 comentários:

  1. Tem o ex-prefeito de Teresópolis também. O tal do Mário Tricano já foi preso e solto inúmeras vezes. É como no filme "Casablanca", em que o chefe de polícia ou milico de plantão manda prender "os suspeitos de sempre". Marco.

    ResponderExcluir
  2. É Marcelo,eu também já ví esse filme outras vezes com o Anísio.
    E se ele ficar preso,eu aposto no alvará de soltura ainda para o natal.
    Ah,"prendam um flamenguista para variar."
    Eu ainda estou procurando o riso,pois até agora não achei graça nem uma na frase... Boa noite.

    Monica.

    ResponderExcluir